Cronologia das histórias de Tex escritas por MAURO BOSELLI

Por José Carlos Francisco

O blogue do Tex dá a conhecer a todos os seus visitantes, mais um pouco da História do Ranger, mais precisamente, a exacta cronologia de TODAS  as primeiras 32 histórias de Tex escritas pelo argumentista MAURO BOSELLI.

Trata-se de facto de um “documento” importante, que ajuda sobretudo a compreender melhor como são produzidas as histórias de Tex Willer (e a saber muitas outras curiosidades) , ainda mais, porque a cronologia foi cedida pelo próprio autor e por esse facto, agradecemos a Mauro Boselli pela sua grande gentileza e imensa disponibilidade.

Antes de começarmos, algumas advertências metodológicas feitas pelo próprio autor:

1) Sublinho que as datas apresentadas, referem-se somente aos roteiros e não aos argumentos.

2) O meu método de trabalho, sempre consistiu em enviar de tempos a tempos, algumas páginas do roteiro a cada um dos desenhadores a meu cargo e NUNCA enviando a história completa.

3) Se o desenhador não estiver parado, eu não escrevo para ele. Quando algum desenhador informa-me que está quase a concluir as páginas que tinha para desenhar, de imediato começo a escrever para ele.

4) Procedo deste modo, porque sempre escrevi várias histórias em simultâneo (não só de Tex) e, porque no passado, mais do que hoje, sempre fiz inúmeros trabalhos redaccionais.

5) Como disse, não escrevia somente Tex. Por exemplo, para terem uma ideia, em 1995, só para citar um ano ao acaso, escrevi também as seguintes histórias de Zagor: “Hellingen è vivo”, “L’angelo della morte”, “Cacciatore d’indiani”, “L’orrore dal mare”, “Il clan delle isole”, “Vampyr” e ainda Dampy nº 1. Outro exemplo ao acaso, em 1998 escrevi 10 a 12 histórias de Zagor e Dampyr.

E agora então, comecemos:

Tex italiano n° 309 e 310: “La tragedia della Shanghai Lady”; 181 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Julho e Agosto de 1986.
(No Brasil, Tex nº 215, 216 e 217: “A tragédia do Shanghai Lady“).

A primeira história de Tex com a participação de Mauro Boselli nasceu de um argumento idealizado com Giorgio Bonelli. Este último escreve as primeiras cinco páginas (a cena do navio abandonado) e algumas outras com a perseguição ao chinês pelas ruas de São Francisco. Boselli por sua vez roteiriza um pouco menos de cem páginas (páginas 6 a 96 da história) antes de passar a G.L. Bonelli em pessoa que continua a narração, tendo Sclavi como revisor. G.L. Bonelli manteve intactas as páginas já escritas por Mauro Boselli e concluiu a história, sem levar em conta o argumento por demais complicado, e a história foi passada a Letteri. Dois anos mais tarde, Tiziano Sclavi ao fazer a revisão da história, passou-a novamente a Mauro Boselli para que ela fosse alongada e para que o final (muito rápido) fosse arrumado. Boselli acrescentou umas vinte páginas e reescreveu outras, mas sem poder manter a versão original.
Quanto aos tempos de realização da história, Boselli escreveu-a em 1983, tendo sido requisitada por Gianluigi Bonelli em 1985, depois de ter tomado conhecimento dela através do seu filho Giorgio.
Letteri desenhou a versão de Gianluigi Bonelli em poucos meses. No início de 1986 foi feita a revisão redaccional final e Letteri desenhou o novo final em pouco mais de um mês.

Tex italiano n° 407, 408 e 409: Il passato di Carson“; 330 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Setembro, Outubro e Novembro de 1994.
(No Brasil, Tex nº 317, 318, 319 e 320: “O Passado de Kit Carson“).

Em 1992 Boselli escreveu somente as primeiras 100 páginas do roteiro, parando por pouco mais de um ano, para permitir ao desenhador a realização da história de Zagor intitulada “O Explorador Desaparecido” (No Brasil: Zagor Extra nº 11, Mythos Editora). A continuação do roteiro prosseguiu então entre Janeiro e o Verão de 1994, concluindo Marcello os desenhos em Setembro do mesmo ano, quando já tinha sido publicada a primeira parte da história, desenhando por isso, cerca de 35 a 40 páginas por mês.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 416, 417 e 418:Tulac!“; 236 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Junho, Julho e Agosto de 1995.
(No Brasil, Tex nº 329, 330 e 331: “O Caçador de Homens“).

A realização do roteiro desta história ocorreu entre o Outono de 1994 e o Verão de 1995.

Tex italiano n° 420, 421 e 422:La luce dallo spazio“; 256 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Outubro, Novembro e Dezembro de 1995.
(No Brasil, Tex nº 333, 334 e 335: “A Ameaça do Espaço“).

A realização desta história ocorreu no mesmo período da história anterior, ou seja, entre o Outono de 1994 e o Verão de 1995.

Almanacco del West 1997: “Bad River“; 102 páginas desenhadas por Aldo Capitanio. História publicada em Janeiro de 1997.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 3: “Rio Selvagem“).

O roteiro desta história breve de Tex foi escrito entre o início e o final de 1995.

Tex italiano n° 435, 436 e 437: “Il ritorno del Maestro“; 268 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Janeiro, Fevereiro e Março de 1997.
(No Brasil, Tex nº 348, 349 e 350: “A Volta do Mestre“).

A realização desta história, a nível do roteiro, ocorreu entre o final de 1995 e Setembro de 1996.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 438, 439 e 440: “Gli invincibili“; 330 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Abril, Maio e Junho de 1997.
(No Brasil, Tex nº 350, 351, 352 e 353: “Os Invencíveis“).

A história foi escrita por Mauro Boselli exactamente entre Janeiro e Dezembro de 1996.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 445 e 446: “La tragedia del treno 809“; 162 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Novembro e Dezembro de 1997.
(No Brasil, Tex nº 359 e 360: “A Tragédia do Trem 809“).

O roteiro foi escrito entre Fevereiro e Junho de 1997.

Almanacco del West 1998: “Glorieta Pass“; 94 páginas desenhadas por Alarico Gattia e Maurizio Dotti. História publicada em Fevereiro de 1998.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 2: “A Planície da Traição“).

A realização do roteiro desta segunda história breve de Tex, escrita por Boselli, situou-se entre o início e o final de 1995, tal como aconteceu com a história do Almanacco del West do ano anterior.

Tex italiano n° 452, 453 e 454: “Il ritorno del Morisco“; 289 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Junho, Julho e Agosto de 1998.
(No Brasil, Tex nº 337, 368, 369 e 370: “A Volta de El Morisco“).

A história foi iniciada por Boselli em Outubro de 1996, tendo sido concluída cerca de treze meses mais tarde, em Novembro de 1997.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Albo Speciale italiano n° 12: “Gli assassini“; 224 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Julho de 1998.
(No Brasil, Tex Gigante nº 7: “Os Assassinos“).

Este primeiro Tex Gigante escrito por Mauro Boselli, nasceu no Outono de 1995, tendo sido finalizado pelo argumentista em Janeiro de 1997. A demora excessiva ocorreu porque naqueles tempos, Alfonso Font não desenhava somente Tex.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 458, 459 e 460: “Sulla pista di Fort Apache“; 330 páginas desenhadas por José Ortiz. História publicada em Dezembro de 1998, Janeiro e Fevereiro de 1999.
(No Brasil, Tex nº 372, 373, 374 e 375: “Rumo a Forte Apache“).

História começada a ser escrita em Maio de 1997, para ser concluída por Mauro Boselli em Julho de 1998.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 463, 464 e 465: “I sette assassini“; 330 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Maio, Junho e Julho de 1999.
(No Brasil, Tex nº 378, 379, 380 e 381: “Os Sete Assassinos“).

História iniciada por Boselli em Setembro de 1997, sendo concluída no mês de Novembro de 1998.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 466, 467, 468 e 469: “Golden Pass“; 372 páginas desenhadas por Giovanni Ticci. História publicada em Agosto, Setembro, Outubro e Novembro de 1999.
(No Brasil, Tex nº 382, 383, 384 e 385: “Golden Pass“).

A continuação de Golden Pass, história iniciada por Guido Nolitta (Sergio Bonelli) e que teve cerca de 70 páginas desenhadas por Aurelio Galleppini, aconteceu entre Janeiro de 1997 e Setembro de 1998, tendo Giovanni Ticci primeiro refeito todas as páginas anteriormente desenhadas por Galep e depois concluído a história, por uma questão de uniformização. Boselli recomeçou o roteiro de Nolitta, a partir do momento em que os quatro pards entram no banco (página 33 de Tex brasileiro nº 383).

Tex italiano n° 469 e 470: “Terra di confine“; 178 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Novembro e Dezembro de 1999.
(No Brasil, Tex nº 386 e 387: “Terras de Fronteira“).

Roteiro iniciado em Janeiro de 1999 e concluído em Junho do mesmo ano.

Almanacco del West 2000: “La legge del deserto“; 106 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Fevereiro de 2000.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 5: “A Lei do Deserto“).

Roteiro iniciado por Boselli em Março de 1998 e concluído em Setembro desse mesmo ano.

Tex italiano n° 473 e 474: “La lunga pista“; 220 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Março e Abril de 2000.
(No Brasil, Tex nº 388, 389 e 390: “A Longa Caminhada“).

Roteiro iniciado em Janeiro de 1998 e concluído em Setembro do mesmo ano.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 478 e 479: “La miniera del fantasma“; 220 páginas desenhadas por José Ortiz. História publicada em Agosto e Setembro de 2000.
(No Brasil, Tex nº 394, 395 e 396: “A Mina do Fantasma“).

Esta segunda história de Mauro Boselli para José Ortiz, teve o seu roteiro iniciado em Fevereiro de 1999 e concluído em Outubro, também de 1999.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 483 e 484: “A sangue freddo“; 220 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Janeiro e Fevereiro de 2001.
(No Brasil, Tex nº 401 e 402: “A Sangue Frio“).

O roteiro desta história que tinha como título provisório “La legge di Tex“, foi iniciado em Março de 1999,  tendo sido concluído em Dezembro do mesmo ano.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 488 e 489: “Matador!“; 220 páginas desenhadas por Aldo Capitanio. História publicada em Junho e Julho de 2001.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 18: “Matador!“).

Esta história foi iniciada por Mauro Boselli em Setembro de 1996, tendo-a terminada em Dezembro de 1998, quando o autor decide escrever o golpe final, não obstante faltarem na época, cerca de 60 páginas para Capitanio terminar de desenhar a história. Este roteiro foi evoluindo muito lentamente em virtude da escassa velocidade do desenhador. Por exemplo, durante todo o ano de 2007, Boselli somente escreveu as páginas 13 a 51.

Maxi Tex italiano 2001: “Nei territori del Nordovest“; 316 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Outubro de 2001.
(No Brasil, Tex Anual nº 4: “Em Território Selvagem“).

O roteiro desta história passada em território selvagem foi iniciado em Janeiro de 1999, para no final desse ano estar na página 153, sendo somente concluído em finais de Janeiro de 2001… dois anos e um mês no total…
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 497, 498 e 499: “La grande invasione“; 330 páginas desenhadas por Carlo Raffaele Marcello. História publicada em Março, Abril e Maio de 2002.
(No Brasil, Tex nº 412, 413 e 414: “A Grande Invasão“).

História iniciada por Boselli em Fevereiro de 2000, sendo concluída no mês de Dezembro do mesmo ano 2000.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 506 e 507: “A sud del Rio Grande“; 220 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Dezembro de 2002 e Janeiro de 2003.
(No Brasil, Tex nº 415 e 416: “Ao Sul do Rio Grande“).

Este roteiro cujo título de trabalho era “Una pallottola per Raza“, foi iniciado em Março de 2000. Letteri  nessa altura abrandou o seu ritmo de produção, pelo que somente foi concluído em Junho de 2001.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Almanacco del West 2003: “Eroe per caso“; 102 páginas desenhadas por Stefano Andreucci. História publicada em Fevereiro de 2003.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 19: “Herói por Acaso“).

Esta primeira e única, até ao momento, história de Boselli para Andreucci (em Tex) teve o seu início escrito em Janeiro de 2000 e o final em Dezembro desse mesmo ano.

Tex italiano n° 523, 524 e 525: “I lupi rossi“; 330 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Maio, Junho e Julho de 2004.
(No Brasil, Tex nº 429, 430 e 431: “Os Lobos Vermelhos“).

História começada a ser escrita em Maio de 2001, para ser concluída por Mauro Boselli dois anos depois, mais precisamente em Setembro de 2003, tendo como título de laboração “Dog Soldiers“.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 528 e 529: “Il diadema indiano“; 220 páginas desenhadas por Guglielmo Letteri. História publicada em Outubro e Novembro de 2004.
(No Brasil, Tex nº 434 e 435: “O Diadema Indígena“).

Esta última história escrita para Letteri, foi iniciada em Outubro de 2001 e terminada dois anos e meio mais tarde, em Março de 2004, tendo como título de laboração “Il mistero del diadema indiano“.

Tex italiano n° 538 e 539: “Colorado Belle“; 220 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Agosto e Setembro de 2005.
(No Brasil, Tex nº 444 e 445: “A Dama do Colorado“).

Roteiro iniciado em Outubro de 2000. As primeiras 28 páginas são confiadas a Aldo Capitanio, que jamais as terminará, uma vez que o artista antes de falecer apenas realizou alguns estudos e páginas a lápis. Em Janeiro de 2004 Boselli retomou o roteiro a partir da página 29, passando a ser Alfonso Font o desenhador da história, concluindo Mauro Boselli o roteiro em Outubro desse mesmo ano.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 544 e 545: “Intrigo nel Klondike“; 220 páginas desenhadas por Miguel Angel Repetto. História publicada em Fevereiro e Março de 2006.
(No Brasil, Tex nº 450 e 451: “Intriga no Klondyke“).

Em Fevereiro de 2004, Mauro Boselli iniciou o roteiro desta história que tinha como título provisório “Yukon River“. A sua conclusão ocorreu em Abril de 2005.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 546 e 547: “L’ultima diligenza“; 220 páginas desenhadas por Manfred Sommer. História publicada em Abril e Maio de 2006.
(No Brasil, Tex nº 452 e 453: “A Última Diligência“).

Esta primeira (e única) história escrita por Boselli para o Mestre espanhol Manfred Sommer foi iniciada em Abril de 2002 e finalizada em Fevereiro de 2005.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Almanacco del West 2007: “Polizia apache“; 110 páginas desenhadas por Ernesto García Seijas. História publicada em Fevereiro de 2007.
(No Brasil, Almanaque Tex nº 33: “Polícia Apache“).

A realização do roteiro desta aventura desenhada pelo Mestre argentino Seijas, situou-se entre Janeiro e Julho de 2005.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 556 e 557: “Morte nella nebbia“; 220 páginas desenhadas por Alfonso Font. História publicada em Fevereiro e Março de 2007.
(No Brasil, Tex nº 460 e 461: “Morte na Névoa“).

História cujo título de laboração era “Posse“, foi iniciada em Novembro de 2001 tendo como destino Carlo Raffaele Marcello, que inicia de imediato a desenhá-la. Mauro Boselli termina o roteiro em Maio de 2002. Quando Marcello a conclui, as páginas não são consideradas pela redacção da Sergio Bonelli Editore, como estando à altura para serem publicadas (o artista padecia já há algum tempo de uma doença grave). A história desenhada por Marcello permanece portanto na gaveta e foi redesenhada dois anos mais tarde, na sua totalidade por Alfonso Font, sendo então publicada em 2007, ou seja, 5 anos e 3 meses de gestação e espera!
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

Tex italiano n° 563 e 564: “Spedizione in Messico“; 220 páginas desenhadas por Erasmo Dante Spada. História publicada em Setembro e Outubro de 2007.
(No Brasil, Tex nº 466 e 467: “Expedição ao México“).

Esta primeira (e única) história escrita por Boselli para Dante Spada foi iniciada em Junho de 2003 e finalizada em Julho de 2006.
Para ler a crítica a esta história, clique aqui:

2 Comentários

  1. Ótima matéria! Um assunto obscuro para a maioria dos leitores de Tex. Boselli é com certeza alguém à altura de Bonelli, Nolitta e Nizzi, suas tramas com enredos profundos são espetaculares.
    Abraço a todos!

  2. Pard Zeca, PARABÉNS pela excelente matéria. Ótima idéia esse tipo de matéria, e está bem completa e com informações muito interessantes. EXCELENTE !!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *