“Tex o justiceiro” – O filme de Tex Willer em destaque no BDjornal # 23, que já se encontra à venda

Para conhecimento dos amantes da 9ª Arte e em especial para os fãs e coleccionadores portugueses de Tex Willer, informamos que  o BDj #23 já está à venda e portanto já pode ser adquirido por quem o deseje, inclusive no Stand Pedranocharco no FIBDA.

BDj #23

Uma vez mais, o nosso Ranger, tem um belo destaque nesta publicação portuguesa sobre banda desenhada, com direcção de Jorge Machado-Dias e propriedade de Pedranocharco Publicações.

TEX O JUSTICEIRO – O FILME DE TEX WILLERblogue do Tex, aconselha vivamente a leitura do BDJornal, já que nesta sua edição # 23, que acabou de ser publicada, Tex Willer está em destaque, ou mais precisamente, o Filme do Tex, devido a um texto  da autoria de José Carlos Francisco intitulado ” “TEX O JUSTICEIRO” – O FILME DE TEX WILLER“, conforme se pode ver nesta imagem que mostramos de seguida.

O BDjornal tem o formato de 275 x 205 mm e contém 92 páginas em impressão digital – capa em cartolina de 200 grs. plastificada brilhante e com papel do miolo de 115 grs. –  com tiragem limitada e distribuição centrada nas lojas da especialidade, apostando decididamente em reforçar o número dos assinantes. O preço de capa é de € 6,00 e a assinatura (6 números) é de € 30,00.

Eis o Press-release e algumas imagens:

O BDjornal, enquanto projecto, encontra-se numa encruzilhada da qual não sabemos ainda concretamente como sair. Falamos de questões financeiras, obviamente e como sempre. Depois do financiamento continuado durante três anos a fundo perdido, a nossa “mecenas” concluiu (e se calhar bem), que o BDjornal não iria ter nunca viabilidade para se auto sustentar. Daí que a partir desta edição número 23, as coisas se condicionam, ficando a publicação apenas e só, sujeita ao sempre volátil desejo dos leitores-compradores e à resposta dos vendedores em liquidar as contas. Dito de outro modo, sujeita às leis do débil mercado que neste momento temos na banda desenhada.

As hipóteses que se nos afiguram são apenas duas e passam pela desistência pura e simples do projecto, ou pela procura de parcerias ou investidores que queiram apostar nele. Para já teremos que esquecer, por enquanto, a questão da periodicidade, porque não há hipótese (como já se viu pelos dois números editados este ano, quando deveriam ter saído quatro até agora) de manter uma periodicidade bimestral, quando a maioria dos vendedores leva cerca de quatro meses a prestar contas. E a gráfica não perdoa atrasos nos pagamentos.

No entanto, desistir deste projecto ao fim de três anos e meio, quando o título já está amplamente difundido e implantado, pensamos que seria um gesto perdulário que tornaria inconsequente todo o trabalho realizado até aqui. Lembremos que além do território português, onde mesmo assim alguns bedéfilos distraídos ainda não nos conhecem, o BDjornal é conhecido na Galiza (onde é inclusivamente vendido), em França, Itália, Brasil e Angola. Claro que esta pequena difusão internacional não é massiva a nível de mercado, como se compreenderá, mas apenas ao nível de um restrito grupo de críticos e especialistas em BD.

Queremos com isto dizer que há sempre a possibilidade de se poderem vir a editar três ou quatro números do BDjornal por ano, pelo menos temporariamente, até conseguirmos recuperar a bimestralidade. O compromisso dos Assinantes (que passará a ser considerado por números editados e não por anos de edição) tem sido cumprido e viabiliza algum investimento que, juntando aos timings de pagamentos dos vendedores, possibilitará essa meta. Mas isto será, usando a gíria futebolística, abordar as coisas “jogo a jogo”, que é como quem diz “número a número”.

Para já esta edição que o leitor tem nas mãos, só foi possível devido a uma parceria de co-edição. Conseguimos que uma jovem editora, a Qual Albatroz, Lda. se juntasse a nós com um investimento financeiro para se produzir este número 23 do BDjornal. E o inusitado número de 92 páginas deve-se à inclusão de material longo, como a primeira parte do Dossier BD galega e o aumento da quantidade de bandas desenhadas, optando por aceitar publicar BD do Brasil, por via da disponibilidade demonstrada por Wilson Vieira – um argumentista com largo trabalho realizado e que colaborou inclusive com a casa Bonelli em Itália – e que colocou ao nosso dispor os trabalhos de grande qualidade que tem vindo a realizar com o desenhador Fred Macedo. Esta abertura à banda desenhada brasileira, em conjunto com a matéria sobre o D. João Carioca, de Spacca, visa sobretudo, para além da divulgação em Portugal, satisfazer o interesse cada vez maior pelo BDjornal no Brasil, onde vamos tentar que esteja à venda numa loja especializada em BD, de S. Paulo.

E o mote será este: manter os textos de história da BD, análises e críticas, com a qualidade a que os nossos leitores estão habituados, incluir mais bandas desenhadas e diminuir o elevado número de notícias breves, que não se justificam sem uma periodicidade curta, uma vez que se tornam obsoletas por perderem a actualidade. Estas passarão a ser apresentadas no site www.bdjornal.com quando este estiver pronto – esperemos que antes do final de Novembro próximo.

Para finalizar, destacamos o terceiro Troféu Central Comics consecutivo atribuído ao BDjornal, o que demonstra, apesar da exiguidade actual de público bedéfilo, que o nosso trabalho é bem considerado e aplaudido, o que muito nos congratula. Pena é que no Festival Internacional de BD da Amadora nunca teremos a oportunidade de ser premiados, uma vez que a organização decidiu acabar com a categoria Melhor Revista de BD, desde que as Selecções BD deixaram de se publicar.

SUMÁRIO

4 – O IV FESTIVAL INTERNACIONAL DE BD DE BEJA – 2008, J. Machado-Dias
6 – AS PUBLICAÇÕES DO VI FIBDB – RECENSÕES CRÍTICAS, Pedro Vieira Moura
7 – A PIDE EM BD – AS PAREDES TÊM OUVIDOS, SONNO ELEFANTE, Clara Botelho
8 – 26ª EDIÇÃO DO SALÓ DEL COMIC DE BARCELONA, Clara Botelho
10 – JOÃO ABEL MANTA, 80 ANOS – O ARTISTA E A OBRA GRÁFICA (2), Osvaldo Macedo de Sousa
13 – HOMENAGEM A JOÃO ABEL MANTA NO CNBDI DA AMADORA, J. Machado-Dias
14 – E. T. COELHO – A ARTE PARA ALÉM DA VIDA (2), José Ruy
16 – DOSSIER BD GALEGA (1) – PORQUÊ TEXTOS EM “GALEGO”? J. Machado-Dias
17 – DOSSIER BD GALEGA (1) – BANDA DESENHADA GALEGA: ALGUMAS COORDENADAS, Sara Figueiredo Costa
18 – DOSSIER BD GALEGA (1) – A HISTÓRIA DA BD GALEGA – 30 ANOS DE INTENTOS, Germam Ermida
23 – DOSSIER BD GALEGA (1) – ENTRE VIÑETAS: APOIOS INSTITUCIONAIS – A EDICIÓN NA PENINSULA, Henrique Torreiro
24 – D. JOÃO CARIOCA – A CORTE PORTUGUESA NO BRASIL (1808–1821), J. Machado-Dias
30 – DICIONÁRIO UNIVERSAL DE BANDA DESENHADA, Leonardo De Sá
32 – O AUTOR DO 1º DESENHO ANIMADO PORTUGUÊS – JOAQUIM GUERREIRO, A SUA VERDADEIRA BIOGRAFIA, Leonardo De Sá
34 – VALORES SELADOS – O PEQUENO E MONSTRUOSO MUNDO DE EDWARD GOREY (2), Nuno Franco
35 – BD – DOMINION, Miguel Santos
41 – BD – EVOLUTION, Wilson Vieira (arg), Fred Macedo (des) e Ramon Cavalcante (let)
49 – BD – Preview de MURMÚRIOS DA PROFUNDEZAS – 1 prancha de cada história
58 – BD – WONDERLAND 2, Henrique Valadas (des), Daniel Henriques, Jason São Bento, Split UP Studios (arg)
65 – RECENSÕES CRÍTICAS, Pedro Cleto
67 – RECENSÕES CRÍTICAS, Pedro Vieira Moura
71 – SOMENTE PARA OS OLHOS DO REI: NOVOS RUMOS DA CONQUISTA, Jakub Jankowski
72 – BEVES, Clara Botelho
76 – “TEX O JUSTICEIRO” – O FILME DE TEX WILLER, José Carlos Francisco
77 – PIXAR E DISNEY COM CATÁLOGO DE LUXO ATÉ 2012, Luís Salvado
78 – QUADRINHOS FANTÁSTICO–FILOSÓFICOS, Edgar Indalecio Smaniotto
79 – HQTRÔNICAS: HISTÓRIAS EM QUADRINHOS ELECTRÓNICAS, Edgar Indalecio Smaniotto
80 – “HOMEM DE FERRO” E O POTENCIAL JAMAIS EXPLORADO, Pedro Bouça
82 – BREVES – COMICS, Clara Botelho
87 – MANGÁ, RECENSÕES, Carina Santos
89 – PRÉMIO ÁSIA DA ACBD, Clara Botelho
91 – WORLD PRESS CARTOON e PORTO CARTOON, Clara Botelho
92 – MONSTRA TROUXE ANIMAÇÃO BRITÂNICA A LISBOA, Luís Salvado
93 – BD – POBRES… Àlvaro

COLABORAÇÕES

Clara Botelho, Sara Figueiredo Costa, Leonardo De Sá, Pedro Vieira Moura, Pedro Bouça, Edgar Indalecio Smaniotto, Pedro Cleto, José Carlos Francisco, Carina Santos, José Ruy, Osvaldo Macedo de Sousa, Germam Ermida, Henrique Torreiro, Nuno Franco, Jakub Jankowski, Marc Parchow (QualAlbatroz, Lda.), Luís Salvado.

FOTOS: Dâmaso Afonso, Hugo Teixeira, Leonardo De Sá.

BANDAS DESENHADAS: Miguel Santos, Wilson Vieira, Fred Macedo, Rui Ramos, Diogo Campos, Vanessa Bettencourt, Flávio Gonçalves, Diogo Campos, Diogo Carvalho, Phermad, Luís Henrique, Ricardo Reis, Álvaro, Henrique Valadas, Daniel Henriques, Jason São Bento, Split Up Studios.

BDj #23 - Páginas interiores

BDj #23 - Páginas  interiores

Por tudo isso, prezado Amigo Texiano não deixe de comprar esta edição do BDjornal, uma vez que se pode considerar um verdadeiro item de coleccionador de Tex! Para o adquirir ou para proceder à assinatura, caso não se desloque ao Festival Internacional da Amadora, durante as próximas três semanas, recomendamos o contacto via e-mail (bdjornal@gmail.com) com o editor Jorge Machado-Dias.

Copyright: © 2008 BDJornal; J. Machado-Dias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.