Morreu Ernesto Rudesindo García Seijas, o Mestre Argentino do Staff de Tex

Ernesto Rudesindo García Seijas (1 de Junho de 1941 – 28 de Março de 2023)

(1 de Junho de 1941 – 28 de Março de 2023)

Esta é uma das notícias que nunca queremos dar, mas que a lei da vida a isso nos obriga. Ernesto Rudesindo García Seijas, o Mestre argentino do staff oficial de Tex, faleceu esta terça-feira, dia 28 de Março, aos 81 anos, deixando a banda desenhada mundial mais pobre.

O Tex de Ernesto Garcia Seijas

Por Mário João Marques

Ernesto Rudesindo García Seijas

Nesta terça-feira, 28 de Março faleceu Ernesto Rudesindo García Seijas, um dos nomes sonantes da banda desenhada argentina, a poucos meses de completar 82 anos de idade. Com a sua morte, podemos, naturalmente, afirmar que desaparece mais um desenhador de Tex, mas Seijas foi muito mais que um desenhador do Ranger italiano, mas vamos recordar o seu legado em Tex.

Este autor argentino teve um percurso curioso em Tex, pois estreou-se no Almanacco del West 2007 com Polizia Apache, aventura que, na realidade, não foi o seu primeiro trabalho para a série. O seu “contacto” com Tex já vinha desde os anos 1990, quando Sergio Bonelli o convidou para um Speciale, de título provisório I quattro giustizieri, e que deveria ter sido publicado em 2003.

Com um ritmo lento, Seijas levou quatro anos a concluir o trabalho, contribuindo também o facto desta aventura ter sofrido algumas alterações após as habituais revisões periódicas. Sobretudo porque Sergio Bonelli não via com bons olhos a presença de muitas personagens femininas, que Seijas compôs como poucos, o que obrigou o autor argentino a redesenhar onze pranchas, acabando a aventura por ficar guardada nas gavetas da editora e ser publicada apenas em 2011 com o título de Le Iene di Lamont.

No entanto, quis o destino que esse Speciale fosse o ultimo onde Sergio Bonelli iria deixar a sua assinatura no habitual texto de apresentação, assim como a sua publicação ocorreu poucos meses após Verso l’Oregon, o Speciale de Manfredi e Gomez, uma aventura protagonizada sobretudo por personagens femininas. Quando a aventura foi finalmente publicada, Seijas já integrava a equipa oficial de desenhadores de Tex e desenhado duas outras aventuras, Il killer e La prova del fuoco.

O requintado Kit Carson de Ernesto Garcia Seijas

Seijas dominava todas as técnicas de uma boa narração visual, mas nos seus primeiros trabalhos em Tex apresentou um Ranger muito sorridente e pouco irónico, muito ao estilo dos heróis dos primeiros seriados western, característica que ultrapassou com o decorrer do seu trabalho. O seu traço era claro e muito expressivo, oferecendo força e consistência às suas personagens e ambientes, assim como um contínuo movimento em todas as cenas.

Apesar de achar que o estilo vivo de Seijas era pouco adaptado ao western, Nizzi considerou o autor argentino como um mestre que sabia desenhar tudo, notável no jogo de expressões das suas personagens, capaz de fazer sorrir e comover e, por isso mesmo, poucos autores souberam interpretar graficamente tão bem um argumento seu.

Tex Gigante de Nizzi e Seijas

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *