ESTATÍSTICAS BONELLIANAS – 2012

O final de cada ano é desde sempre o momento para fazer balanços. E, claro, Saverio Ceri não poderia deixar de nos dar os números totais relativos à produção Bonelliana ocorrida em 2012. Convidamo-vos a encontrar as edições anteriores da sua rubrica se acabou por as perder, pois estamos seguros que após estas novas estatísticas, ficarão tal como nós, à espera da próxima.

ESTATÍSTICAS BONELLIANAS – 2012

Por Saverio Ceri

Eis-nos aqui de novo neste nosso encontro fixo, no final de cada ano, desta rubrica que traz as estatísticas anuais de todas as produções bonellianas. Antes de começar a desfilar números, uma premissa para os leitores do blogue do Tex que pela primeira vez me lêem: o que se seguirá são classificações de quantidade, não de qualidade; são baseadas nas páginas inéditas produzidas pela editora Bonelli e publicadas precisamente nas edições da própria Bonelli no decurso do ano de 2012. Não encontrarão portanto todos os autores bonellianos, que dia após dia trabalham para a editora milanesa, mas somente aqueles que nos últimos doze meses foram publicados: haverá então autores que talvez já não trabalhem, mas cujas histórias não tinham ainda sido publicadas e por sua vez não estarão presentes nestas classificações alguns autores que actualmente produzem material para a editora Bonelli, mas cujas histórias não foram publicadas nas diversas séries de Tex & companhia. Também não encontrarão as páginas produzidas pela Bonelli, mas publicadas por outras entidades (como por exemplo as histórias curtas publicadas em 2012 no suplemento La lettura do jornal Corriere della Sera), não haverá também dados estatísticos sobre páginas não inéditas, quer tenham visto pela primeira vez a luz do dia em edições bonellianas ou noutras; por exemplo não publicamos os dados das primeiras aventuras de Mister Bo, ou aquelas das histórias curtas de Dylan Dog reeditadas como suplementos na série Super Book.

Dylan Dog, a personagem bonelliana do ano 2012 numa recente ilustração de Carlo Ambrosini

2012 foi um ano de transição, com a estreia de duas séries regulares (a última série sem fim anunciado remontava a 2001) e o encerramento de outras tantas mini-séries, embora “expandidas” já que tiveram alguns números especiais. Nesta encruzilhada de velhas e novas personagens o balanço das páginas publicadas é bem positivo: 18.554 páginas inéditas dadas à estampa pela Sergio Bonelli Editore, 4,30% a mais comparativamente com o ano precedente. Trata-se do nono melhor resultado de sempre nos mais de setenta anos de história da editora italiana. As edições com material inédito publicado foram 145, oito a mais comparativamente ao confronto com 2011. Em contraste a média de páginas por volume: 127,96 páginas inéditas por cada edição (-1,5% em comparação com 2011).

ARGUMENTISTAS

“Apenas” 41 os escritores publicados no curso do ano que acabou de findar, oito a menos do que em 2011.  Eis a classificação por páginas publicadas:

Argumentista Série Páginas
Boselli Tex, Dampyr, Dylan Dog 1542
Manfredi Shanghai Devil 1128
Faraci Tex, Brad Barron 1106
Burattini Zagor 1068
Ruju Dylan Dog, Tex, Demian 948
Perniola Zagor, Nathan Never 906
Mignacco Martin Mystère, Dylan Dog, Zagor 888
Rigamonti Nathan Never, Agenzia Alfa 882
Berardi Julia 803
10° Gualdoni Dylan Dog 742
11° Chiaverotti Brendon 724
12° Vietti Nathan Never, Agenzia Alfa, Universo Alfa 674
13° Enna Saguaro 658
14° Recagno Martin Mystère 614
15° Barbato Darwin, Dylan Dog, le Storie 577
16° Cajelli Dampyr 442
17° Mantero Julia 441
18° Serra Nathan Never, Romanzi a Fumetti 414
19° Marzano Dylan Dog 376
20° Calza Julia 362
21° Vigna Asteroide Argo, Nathan Never 341
22° Castelli Martin Mystère 276
22° Rauch Zagor 276
24° Ostini Universo Alfa 264
25° Eccher Dampyr, Nathan Never 254
26° Recchioni Dylan Dog, Le Storie 251
27° Enoch Lilith 250
28° De Nardo Dylan Dog, Le Storie 204
29° Di Gregorio Dylan Dog 188
30° Sammartino Agenzia Alfa 182
31° Morales Martin Mystère 154
32° Cavaletto Dylan Dog 126
33° Accatino Dylan Dog 94
33° Falco Dampyr 94
33° Marolla Dampyr 94
33° Stano Dylan Dog 94
37° Uzzeo Dylan Dog 47
38° Baraldi Dylan Dog 32
38° Belli Dylan Dog 32
40° Nolitta Mister Bo 5
41° Celoni Mister Bo 1

.
Nono sucesso anual para Mauro Boselli, embora com números um pouco mais normais depois da façanha de 2011, Manfredi retorna ao pódio após 4 anos de ausência, e Faraci conquista-o pela primeira vez, graças ao seu recorde anual de páginas publicadas pela editora Bonelli. Melhor resultado pessoal no arco destes últimos doze meses também para Perniola, Rigamonti e Gualdoni, as três caras novas do Top Ten de 2012, que alcançam os patamares mais altos desta classificação, após dez anos de ininterrupta presença de Chiaverotti e Vietti, que no entanto colocam-se imediatamente atrás dos dez mais publicados, e Vigna, relegado para a vigésima primeira posição. Deste modo os mais constantes frequentadores do Top Ten permanecem assim sendo Boselli (19 anos consecutivos) e Manfredi (presente nos últimos 17 anos): nenhum outro argumentista tem dois dígitos.

Mauro Boselli fotografado na redacção por Moreno Burattini

Trinta e seis anos de ininterrupta publicação para Alfredo Castelli, seguido por Mignacco no seu 26° ano de constante presença nas páginas bonellianas, seguindo-se Vigna (25 anos), Chiaverotti (24), Boselli (23) e Burattini (22). Assinala-se, pela primeira vez depois de 31 anos, a ausência de Claudio Nizzi, ma também a de Piani que tinha uma série positiva de 17 anos.

Apenas três os estreantes deste ano e todos eles em Dylan Dog: Stano, Uzzeo e Baraldi. É um prazer rever pela última vez nesta classificação, o nome de Guido Nolitta, argumentista das aventuras humorísticas do seu alter ego editor/viajante Mister Bo…nelli.

DESENHADORES

Em 2012 foram 138 os desenhadores que realizaram as vinhetas dos 145 álbuns bonellianos (quase um por cada álbum), dezanove a mais comparativamente com 2011, e se na classificação aparecem “somente” 130 posições é porque 8 são ocupadas por autores que habitualmente trabalham em dupla. Como número de ilustradores empenhados, o ano de 2012 é o segundo de sempre perdendo somente para a colheita de 2003 que teve 150 desenhadores.  Eis de seguida a classificação por ordem de páginas publicadas:

  Desenhador
Série Páginas
Di Vitto Bros. Zagor 562
Freghieri Dylan Dog 502
Piccatto Darwin 439
Di Clemente Nathan Never, Universo Alfa 357
Seijas Tex 330
Martino Agenzia Alfa, Nathan Never 326
Repetto Tex 318
Boraley Julia 307
Prisco Zagor 296
10° Arduini Agenzia Alfa 287
11° Chiarolla Zagor 286
12° Montanari & Grassani Dylan Dog 282
12° Torti Martin Mystère 282
14° Giardo Nathan Never, Storie da Altrove 276
15° Bacilieri Romanzi a fumetti 271
16° Cossu Dylan Dog, Tex 254
17° Font Dylan Dog, Tex 252
17° Marinetti Julia 252
17° Ortiz Dylan Dog, Tex 252
20° Enoch Lilith 250
20° Laurenti Zagor 250
22° Avogadro Brad Barron 238
23° Verni Zagor 236
24° Civitelli Tex 224
25° Cestaro Bros. Tex 220
25° Del Vecchio Tex 220
27° Brindisi Dylan Dog, Martin Mystère, Le Storie 212
28° Casertano Le Storie, Dylan Dog 204
29° Venturi W. Demian 197
30° Baggi Dampyr, Dylan Dog 188
30° Cascioli Nathan Never 188
30° Della Monica Shanghai Devil 188
30° Dotti Dampyr 188
30° Fattori Brendon 188
30° Majo Dampyr 188
30° Nespolino Shanghai Devil 188
30° Siniscalchi Saguaro 188
38° Busticchi-Paesani Nathan Never, Universo Alfa 183
39° Ferri Zagor 168
40° Morales-De Cubellis Martin Mystère 167
41° Esposito Bros. Martin Mystère 166
42° Cassaro Gae. & Gas. Zagor 160
42° Jannì Nathan Never 160
42° Raimondo Dampyr 160
42° Spadavecchia Brendon 160
46° Alessandrini Martin Mystère 155
47° Bagnoli-Gradin Martin Mystère 154
47° Pianta Asteroide Argo 154
49° Barbati Nathan Never, Shanghai Devil 153,5
50° Romeo Nathan Never 151
51° Leomacs Tex, Dylan Dog 142
52° Ramella Shanghai Devil 141
53° Mangiantini Zagor 138
54° Tuis Martin Mystère 134
55° Copello Julia 126
55° Michelazzo Julia 126
55° Piccioni Julia 126
55° Piccoli Julia 126
55° Pittaluga Julia 126
55° Spadoni Julia 126
55° Zaghi Julia 126
55° Zuccheri Julia 126
63° De Biase Agenzia Alfa 112,5
64° Accardi Le Storie 110
64° Danubio Tex 110
66° Celoni Dampyr, Mister Bo 100
67° Orlandi Martin Mystère 98
68° Caluri Martin Mystère, Dylan Dog 95
68° Rizzato Agenzia Alfa 95
70° Acciarino Brendon 94
70° Ambu Dampyr 94
70° Barletta Saguaro 94
70° Bartolini Dampyr 94
70° Benevento Dampyr 94
70° Biglia Shanghai Devil 94
70° Bigliardo Dylan Dog 94
70° Bocci Dampyr 94
70° Bonazzi Nathan Never 94
70° Calcaterra Nathan Never 94
70° Cropera Dampyr 94
70° Dell’Uomo Dylan Dog 94
70° Diso Shanghai Devil 94
70° Foderà Saguaro 94
70° Fortunato Dampyr 94
70° Gerasi Dylan Dog 94
70° Lozzi Dampyr 94
70° Mandanici Nathan Never 94
70° Mari Dylan Dog 94
70° Maroto Brendon 94
70° Mattone Saguaro 94
70° Nizzoli Dylan Dog 94
70° Pastrovicchio Saguaro 94
70° Perovic Shanghai Devil 94
70° Piccininno Dampyr 94
70° Raffaelli Shanghai Devil 94
70° Rinaldi R. Dylan Dog 94
70° Roi Brendon 94
70° Rossi M. Nathan Never 94
70° Rotundo Shanghai Devil 94
70° Santucci Dampyr 94
70° Saudelli Dylan Dog 94
70° Stano Dylan Dog 94
70° Valdambrini Saguaro 94
70° Vitti Brendon 94
105° Toffanetti Nathan Never 93
106° Atzori Agenzia Alfa 92
107° Platano Universo alfa 85
108° Masala Nathan Never 77
109° De Angelis Nathan Never 69
110° Palomba Nathan Never 64
111° Pueroni Nathan Never 47
112° Corbetta Nathan Never 44,5
113° Denna Nathan Never 41
114° Oskar Universo alfa 39
115° Vicari Agenzia Alfa 35
116° Breccia Dylan Dog 32
116° Fernandez Dylan Dog 32
116° Mottura Dylan Dog 32
116° Rossi L. Dylan Dog 32
120° Corda Agenzia Alfa 27,5
121° Castiglioni Demian 25
122° Ornigotti Dylan Dog 24
122° Stassi Dylan Dog 24
124° Enio Julia 20
124° Romanini Martin Mystère 20
126° Campi Julia 19
127° Casalanguida Nathan Never 12,5
128° Filippucci Martin Mystère 12
129° Vercelli Nathan Never 3,5
130° Palumbo Martin Mystère 1

.
Tornam à liderança os irmãos Stefano e Domenico Di Vitto, que depois de 1995 e de 2006, conquistam o seu terceiro “scudetto” bonelliano. Curiosamente em nenhuma das três ocasiões os neo-zagorianos, estabeleceram o seu próprio recorde anual, que foi de 598 páginas em 1992, quando alcançaram o segundo posto do pódio a apenas três páginas de Gallieno Ferri.

Os irmãos Di Vitto imortalizados numa foto recente de Moreno Burattini

Freghieri volta após dois anos a ocupar o segundo lugar, Piccatto com o seu melhor resultado anual alcança o pódio pela primeira vez na sua carreira. No Top Ten, completamente novo comparativamente com 2011, batem também o seu recorde anual Seijas, Martino, Boraley, Prisco e Arduini. Os irmãos Di Vittosão também os veteranos das zonas altas, visto que alcançaram as primeiras dez posições pela 16ª vez. Décima presença entre os melhores para Freghieri, sexta para Di Clemente. Primeira aparição entre os dez mais publicados para Seijas, Martino e Boraley. Freghieri detém, com 28 anos o recorde de presenças consecutivas na classificação, seguido por Montanari&Grassani publicados regularmente sem interrupções desde há 27 anos, Piccatto há 26 e Brindisi há 23, Torti e Siniscalchi há 20. Menção especial para Gallieno Ferri, que desde 1961 até hoje falhou apenas a publicação somente em 2004 e em 2010, o que significa que 2012 foi o seu 50º ano de presenças nos quiosques italianos com edições bonellianas, um ulterior recorde do mítico ilustrador da Ligúria.

Estrearam por sua vez na editora Bonelli em 2012: Accardi, Gerasi, Pastrovicchio, Breccia, Mottura, Corda e Stassi.

ÀS VEZES RETORNAM

Normalmente um desenhador bonelliano vê publicada uma sua história a cada um ou dois anos, embora no caso de histórias de muitas páginas, e que portanto requerem uma gestação mais longa, pode prolongar-se a três ou quatro anos. Raramente se registam ausências mais prolongadas de um desenhador nas edições bonellianas. Curiosamente este ano, no entanto, surgiram alguns retornos que vão para além do período habitual. Desenhadores de quem se tinha perdido o rasto, como se tivessem seguido outras vias profissionais tornaram surpreendentemente a colaborar com a editora milanesa: há seis anos que não tinhamos notícias de Roberto Rinaldi em Dylan Dog; Luigi Copello reaparece em Júlia depois de nos ter deixado há 8 anos nas páginas de Mágico Vento; também Giacomo Pueroni estava ausente desde 2004; Guido Masala por sua vez estava ausente do mundo neveriano desde 2003; Paolo Raffaelli só tinha aparecido em 1998 numa das primeiras edições de Mágico Vento e encontramo-lo hoje, a catorze anos de distância, ilustrando Shanghai Devil. O recorde no entanto pertence a Luca Dell’Uomo, que reaparece finalmente após 19 anos de ausência: de Mister No encontramo-lo agora em Dylan Dog. Também Giuseppe Palumbo não aparecia há muito tempo, desde 2000 mais precisamente, nas páginas de Martin Mystère, mas o seu regresso, de apenas uma página, foi ditado somente pelos festejos dos trinta anos do investigador do impossível. Um exemplo marcante ocorre também com os argumentistas: o estreante nas páginas do Dylan Dog Color Fest, Marco Belli, na realidade não é um novo autor: na realidade ele já tinha estreado no palco bonelliano em 1995 com uma breve história de 4 páginas na revista Ken Parker Magazine.

AUTORES DAS CAPAS

Vinte e seis foram os ilustradores necessários em 2012 para realizarem todas as capas bonellianas, dois a mais do que em 2011. Trata-se do recorde de autores de capas empenhados num único ano. Tal resultado é fruto da “divisão” dos autores das capas em Nathan Never (Giardo na série regular e De Angelis para as edições especiais) e em Júlia (Spadoni na série mensal e Soldi para o Almanaque). Divide-se também a dupla vencedora (empatada) nos últimos cinco anos, pois desta vez Claudio Villa vence isolado, visto a parcial “desistência” de De Angelis. Para Villa trata-se da oitava vitória consecutiva, a décima quinta da sua carreira de autor de capas. Segue-se então a classificação de 2012:

Capista
Série Capas
Villa Tex 19
Stano Dylan Dog 17
Ferri Zagor 16
Riboldi Dampyr 14
Mastantuono Shaghai Devil 12
Spadoni Julia 12
Giardo Nathan Never 10
Alessandrini Martin Mystère, Storie da Altrove 9
Bertolini Nathan Never Granderistampa, Un. Alfa 9
10° De Angelis Nathan Never, Agenzia Alfa 8
11° Furnò Saguaro 7
12° Roi Dylan Dog Granderistampa 6
12° Rotundo Brendon 6
14° Di Gennaro Le Storie 3
15° Enoch Lilith 2
16° Alberti Dylan Dog 1
16° Bacilieri Romanzi 1
16° Celoni Brad Barron 1
16° Civitelli Tex 1
16° Di Clemente Nathan Never 1
16° Filippucci Martin Mystère presenta 1
16° Gomez Dylan Dog 1
16° Piccatto Romanzi 1
16° Poli Demian 1
16° Soldi Julia 1
16° Spadavecchia Brendon 1

 

Claudio Villa, uma vez mais o capista mais publicado do ano

AS SÉRIES

Chegamos por fim à classificação anual das personagens. Dylan Dog iguala o recorde absoluto de páginas publicadas por uma única personagem no decurso de doze meses, já obtido em 2011. Para o investigador do pesadelo é o sétimo título, o sexto consecutivo. Tex e Zagor, mesmo mantendo os lugares secundários do pódio, perdem páginas relativamente ao ano passado devido à ausência de um segundo Texone para o Ranger e do Almanaque da Aventura para o Espírito da Machadinha. Reaparece na classificação Mister No, embora com zero páginas, devido a ser um dos titulares do Almanaque de Setembro dedicado a Sergio Bonelli. Um outro recorde foi estabelecido pela redacção de Nathan Never, capaz de produzir em apenas um ano 3160 páginas entre a série regular, os especiais e os vários spin-off. Eis a classificação contendo a série, número de páginas e de álbuns:

  Série Páginas
Dylan Dog 2438 19
Tex 2132 16
Zagor 2096 16
Nathan Never 1880 16
Julia 1606 13
Dampyr 1570 14
Martin Mystère 1150 8
Shanghai Devil 1128 12
Agenzia Alfa 880 3
10° Brendon 724 7
11° Saguaro 658 7
12° Romanzi a Fumetti Bonelli 550 2
13° Universo Alfa 340 2
14° Le Storie 330 3
15° Lilith 250 2
16° Brad Barron 238 1
17° Demian 222 1
18° Asteroide Argo 154 1
18° Storie da Altrove 154 1
20° MM Presenta 48 0
21° Mister Bo 6 0
22° Mister No 0 1

.

NÚMEROS HISTÓRICOS

Com as páginas publicadas em 2012 os irmãos Di Vitto destronam Polese do nono lugar na classificação de todos os tempos, enquanto Freghieri ultrapassa Fusco e coloca-se na 11ª posição com 7452 páginas publicadas na editora Bonelli, a somente 400 páginas do Top Ten absoluto. Entre os argumentistas a única variação de relevo entre os vinte primeiros está a ultrapassagem de Ruju a Sclavi alcançando o décimo terceiro lugar. Entre as séries Dylan Dog conquista a terceira posição destronando do “pódio de todos os tempos” Martin Mystère; ultrapassagem inevitável tendo em conta a dupla velocidade de cruzeiro do primeiro em relação ao segundo e agora o inquilino da Craven Road aponta ao segundo posto de Zagor, mas os fãs do Espírito da Machadinha ainda podem dormir descansados: a manter-se o ritmo dos últimos anos a ultrapassagem só ocorrerá somente em 2088! Júlia por sua vez apropriou-se do oitavo lugar absoluto ultrapassando Nick Raider, tornando-se assim o “giallo” (policial) mais publicado pela editora italiana. A sétima posição, actualmente ocupada pelo Piccolo Ranger já está na mira da criminóloga: mantendo-se este ritmo a ultrapassagem acontecerá no início de 2015. A classificação parcial dos anos 10 deste século (2010-2012), vê na liderança dos argumentistas Boselli com 5255 páginas, seguindo-se Ruju com 3996, Vietti com 3360 e Burattini com 2808, aproximando-se deste grupo Manfredi com 2680. Entre os desenhadores destaque para o salto de quatro posições  para Freghieri com 1104 páginas que num ano apenas comete a façanha de ultrapassar Roi com 1072, Diso com 930 e Mangiantini com 928, vindo mais atrás Piccatto com 909.

NÚMEROS DE SÉRIES

Esta edição de Dylan Dog contém um recorde: descubra qual lendo as palavras abaixo

Em Dylan Dog primeira vitória entre os argumentistas para Gualdoni com 742 páginas, melhor resultado para um único argumentista do detective do pesadelo nos últimos 10 anos. Entre os desenhadores destaque para o veterano  Freghieri com o nono sucesso anual pessoal na série, melhor do que ele somente Montanari & Grassani con 10 “títulos” dylandogghianos. Pequeno recorde relacionado com a série: 26 foram os desenhadores publicados em apenas um ano.

Em Dampyr, Boselli é o mais profícuo argumentista pelo décimo terceiro ano consecutivo; com as 846 páginas deste ano supera a quota das 10.000 páginas dedicadas à sua personagem. Entre os desenhadores empate entre Dotti e Majo, ambos com 188 páginas publicadas em 2012.

Em Zagor vigésima afirmação (décima quinta consecutiva) para Burattini. Entre os desenhadores, primeiro “scudettozagoriano para os irmãos Di Vitto.

Em Júlia inevitável décima quinta vitória de Berardi visto que assina todos os argumentos e, a quatro mãos, todos os roteiros. Boraley, por sua vez consegue o seu primeiro sucesso anual entre os desenhadores estabelecendo com 307 páginas também o recorde na série Júlia de páginas publicadas num único ano por apenas um ilustrador.

Novidade em Tex onde pela primeira vez o argumentista mais publicado do ano é Faraci, graças às 868 páginas que constituem o seu recorde pessoal num ano nas páginas do Ranger; melhor ano com Águia da noite também para Ruju com 600 páginas. Com as suas 330 páginas Seijas impõe-se, também ele pela primeira vez, entre os desenhadores. Curiosidade: pela terceira vez, depois de 2000 e 2010, este ano a “legião estrangeira” dos desenhadores texianos foi mais profícua do que os ilustradores “indígenas”. 1088 páginas publicadas para a selecção do resto do mundo (em 2012 representada por Font, Ortiz, Repetto e Seijas), contra as 1044 dos desenhadores italianos.

No mundo de Nathan Never , Rigamonti com as suas 882 páginas é pela primeira vez o mais profícuo escritor anual. Di Clemente vence por sua vez o terceiro “título” nathanneveriano entre os desenhadores com 357 páginas, resultado relativamente baixo para a série (três vezes nos últimos cinco anos o vencedor superou a barreira das 500 páginas), que se explica com o número recorde dos desenhadores empenhados este ano com as edições de Nathan e parceiros: exactos 31 em 2012.

Para Martin Mystère, regressa após três anos ao degrau mais alto do pódio, Racagno que com as suas 614 páginas vence a classificação anual pela quinta vez na sua carreira. Entre os desenhadores sétima afirmação pessoal para Torti com 282 páginas. O seu nome tinha aparecido no álbum de ouro pela última vez em 2007.

Capitulo “fora-de-série”: são 35 os álbuns especiais bonellianos de 2012, um a menos do número recorde registado em 2011, para um total de 6810 páginas. A personagem mais “especial” é também em 2012 Dylan Dog com 7 edições e 1310 páginas fora-de-série no activo. De Angelis é pela sétima vez (a sexta consecutiva) o capista mais empenhado nas edições extra da Bonelli: 6 capas para ele. Entre os escritores o mais publicado foi Rigamonti com 694 páginas enquanto entre os desenhadores impôs-se com 357 páginas, Di Clemente. O ano acabado de concluir, mesmo não resultando num ano recorde relativamente a edições especiais, encerrou porém com um “pequeno”  feito cometido na página 72 do “Dylandoggone” recentemente publicado: observem bem. Para além de conter a vinheta que inspirou a capa do volume, parece uma página comum, mas não é bem assim. O que tem de particular? Nada, mas casualmente aquela página escrita por Cavaletto e desenhada por Baggi, contém a centésima milionésima página “especial” da Sergio Bonelli Editore.

E com estas informações concluímos por 2012.
Marcamos encontro novamente para breve com novos apontamentos sobre os números da editora localizada na Via Buonnarroti em Milão.

Saverio Ceri

Material apresentado no blogue Dime Web em 24/12/2012; Tradução e adaptação (com a devida autorização): José Carlos Francisco.
Copyright: © 2012, Saverio Ceri

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

13 Comentários

  1. Excelente, este levantamento apontado por este blog, grande cowboy de além mar! Como sempre, tudo o que desejamos saber sobre as produções bonellianas e, principalmente, do nosso querido ranger, é aqui que sempre nos surpreendemos!
    Parabéns, mais uma vez, pela qualidade de suas matérias, entrevistas, etc.
    Tenham, todos, um grandioso 2013!

  2. Obrigado por tirar minha dúvida pard Saverio Ceri, e ao pard Zeca pela tradução.

    E feliz ano novo para todos!!!

  3. Per Grilo
    Le copertine inedite in cui appare Tex nel 2012 sono state 17: 16 di Tex + 1 dell’almanacco dell’avventura, che solitamente ospita le avventure di Zagor, ma quest’anno era dedicato alla memoria di Sergio Bonelli e in copertina mostrava tutti i personaggi per cui lui aveva scritto avventure, Tex incluso. Le copertine di Claudio Villa sono 19 perché oltre alle 15 di Tex (tutte tranne il Tex gigante), ha disegnato quest’anno anche quella del già citato almanacco e, come sempre, le 3 copertine del Dylan Dog Superbook, una collana di ristampe di Dylan Dog che ha fin dal primo numero copertine inedite disegnate da Villa.

    • Grazie mille per la risposta carissimo pard Saverio 😉

      Para quem não compreende o idioma italiano, eis a tradução da resposta do Saverio Ceri à questão colocada pelo pard Grilo:

      As capas inéditas em que Tex apareceu em 2012 foram 17: 16 de Tex + 1 do Almanacco dell’avventura, que normalmente traz histórias de Zagor mas que este ano foi dedicado à memória de Sergio Bonelli e cuja capa mostrava todas as personagens para quem Sergio Bonelli tinha escrito histórias, Tex inclusive. As capas de Claudio Villa foram 19 porque além das 15 de Tex (todas excepto o Tex Gigante), desenhou também em 2012 a já citada do Almanaque e como sempre as 3 capas da série Dylan Dog Super Book, uma colecção de Dylan Dog que publica histórias reeditadas e que desde o primeiro número traz capas inéditas desenhadas por Claudio Villa.

  4. Olá Zeca !!! Feliz ano novo com esta classificação muito útil: onde você pegou as noticias ?
    @Filipe: você deve ler as ultimas 2 linhas: “Eis a classificação contendo a série, número de páginas e de álbuns“: Mister Bo 6 é o número de páginas e o Zero é o numero de álbuns. Mister Bo, se lembro bem, são umas “strisce” do desenhador Celoni. Mister Bo é o próprio Sergio Bonelli.
    Um abraço pards deste belíssimo blog. !!! 🙂
    P.S.: Em Milano são agora 12:19… 🙂

    • Olá Gianni,
      Feliz Ano Novo também para si, Luisa e restantes familiares.
      Estas estatísticas que o blogue do Tex já apresenta há alguns anos devido à colaboração do Saverio Ceri foram também publicadas no blogue DIME PRESS como pode conferir indo a http://dimeweb.blogspot.it/2012/12/bonelli-2012.html 😉

      Olá também para si, Filipe, com votos de Bom Ano também para si.
      Tal como o Gianni já disse, trata-se da classificação, série, número de páginas e álbuns, ou seja Mister No ficou em 22º lugar com zero páginas e 1 álbum, precisamente o Almanacco dell’avventura dedicado a Sergio Bonelli e zero páginas porque essa edição especial não trouxe nenhuma página inédita. Já Mister Bo (o cómico alter-ego de Sergio Bonelli, como também disse o Gianni) ficou em 21º lugar com 6 páginas inéditas publicadas em 2012 mas todas elas em outras edições bonellianas porque Mister Bo não tem série própria tal como também acontece com MM Presenta, daí o “Zero” no nº de álbuns 😉

  5. Gostaria de saber o que significam os “zeros” aqui:

    20° MM Presenta 48 0
    21° Mister Bo 6 0
    22° Mister No 0 1

    E… O que é Mister Bo?!

  6. Acho que no geral os números de Zagor são mais impressionantes: Ferri fez 16 capas contra 19 de Villa, mas quantos anos o homem tem? E Burattini fez mais de mil páginas de apenas UM personagem!

    Surpreendente foi Castelli escrever tão pouco. E Stano agora roteiriza?

    Muita coisa para se analisar, vou ler com calma. O Blog do Zeca (ops, do Tex) acerta em cheio nessas matérias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.