Tex Série Normal: O Totem do Sacrifício

Tex nº 59 - O Totem do SacrifícioArgumento de Gianluigi Bonelli, desenhos de Fernando Fusco e capas de Aurelio Galleppini.
Com o título original L’idolo di smeraldo, a história foi publicada em Itália nos nº 168 e 169 e no Brasil pela Editora Vecchi no nº 59.

Encontrando-se a investigar sobre estranhos desaparecimentos de mulheres índias nos montes Keibab, Tex e Jack Tigre conseguem salvar a jovem Hanaba, quando esta se encontrava indefesa e abandonada numa canoa que se dirigia perigosamente para os rápidos rumo a uma morte certa. Hanaba conta que foi raptada pelos Hualpais e condenada à morte através de um sacrifício humano, ritual que aquela tribo vem praticando. Tex, com a ajuda dos Navajos, consegue iludir os Hualpais e introduzir-se sozinho na aldeia índia, onde vai libertar as squaws raptadas.

Tex prestes a entrar em acçãoEsta aventura marca a estreia de Fernando Fusco como desenhador na série e, por si só, trata-se de um acontecimento marcante no universo texiano. Depois de Galep, Letteri, Ticci e Nicoló, Fusco veio juntar-se a este grupo de desenhadores que marcaram a idade de ouro de Tex. O traço do desenhador ainda surge naturalmente incaracterístico, o que não significa que a aventura não seja ela toda bem desenhada.

Isto equivale dizer que, apesar de um excelente trabalho, o desenho de Fusco tende aqui ainda a seguir uma certa influência ticciana, patente no traço imprimido, mas também na própria composição texiana. Um Tex que adquire traços mais jovens e onde ainda não se nota o cinismo com que Fusco vai caracterizar posteriormente o herói.

Tex atingido

Toda a aventura é muito dinâmica, iniciando-se logo na cena do salvamento de Hanaba, onde Fusco consegue compor páginas memoráveis da história texiana. Na verdade, o autor logra interpretar a contento todo o espaço exterior envolvente da cena, mas sobretudo a luta ansiosa que a squaw e Tex vão tendo para fugirem de uma morte certa. Este papel de Hanaba reduz-se a pouco mais, remetendo-se apenas à explicação do sucedido e uma curta participação no plano de Tex com os Navajos.

Tex em acçãoMas Bonelli acaba por dar outro protagonismo às squaws, uma vez que se Hanaba desaparece de cena a certa altura, do mesmo modo emergem as jovens raptadas no protagonismo dos acontecimentos, auxiliando Tex na sua tarefa de as salvar das mãos dos Hualpais e na derrota destes. Uma derrota que assume contornos algo dramáticos, patente na morte de uma das squaws, a mais corajosa do grupo, mas também na destruição da aldeia dos Hualpais e na sua condenação a um exílio forçado, por ordem de Tex, assumindo assim um dos vectores bonellianos tão característicos do herói: lutar contra os malfeitores estejam estes de que lado estiverem.

Texto de Mário João Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.