“Tex Grandes Mestres” #4 dedicado a Fernando Fusco, em Dezembro de 2024, conterá uma história longa de Tex

Como informamos anteriormente, em Janeiro do próximo ano a Mythos Editora estreará uma nova colecção, intitulada “Tex Grandes Mestres”, cujo número de estreia será dedicado ao criador gráfico de Tex, Aurelio Galleppini, popularmente chamado de GALEP. Em Abril de 2024 a Mythos Editora publicará o segundo número desta colecção que será dedicado a  Giovanni Ticci. O número 3 será dedicado ao Mestre Fabio Civitelli e terá publicação em Agosto. O ano encerrará com o volume número 4, que será dedicado ao Mestre Fernando Fusco, uma edição de 360 páginas e que conterá uma longa história de Tex, publicada a cores!

Fernando Fusco

Por Italo Marucci

As páginas de Tex desenhadas por Fernando Fusco são variadas e bem desenvolvidas, contam histórias, temas e personagens da fronteira americana, onde o autor mostra a sua grande capacidade introspetiva e a sua propensão a desenhar Tex e os seus pards, através de imagens de uma originalidade nova. Com efeito, de um lado pode-se dizer que Fernando Fusco sabe dar da fronteira uma visão bonelliana simples e tranquila, que não o leva a um modo diferente de fazer banda desenhada, mas de outro também consegue representar o mundo de Tex Willer de um modo totalmente novo e particular.

Tex na arte de Fernando Fusco

Fusco desfolha aquele mundo do falso mito romântico e o reconduz a uma atmosfera, cuja narrativa torna-se um discurso em que se pode ler a história da evolução do Oeste Selvagem a mostrar inclusive, os desconfortos do quotidiano, as imperfeições, os defeitos, a sua verdadeira realidade. Fernando Fusco é filho do seu tempo e, como tal, sente que a sua banda desenhada não é só desenho ou facto puramente estético, mas o documento de uma civilização, de um período histórico: as suas personagens são homens do oeste longínquo que tornam-se símbolo de uma condição humana que supera a própria narrativa e na qual podem-se ver refletidas as ansiedades e dores daquele mundo.

Fernando Fusco por… Fernando Fusco

As páginas de Fusco têm uma linguagem natural que pode parecer simples e destituída de complicações culturais, mas representam um desenho de carácter introspetivo e psicológico, que leva Fusco a dar mais importância aos gestos e ao comportamento das personagens do que apenas ao rigor estilístico; o seu Tex tem o justo equilíbrio entre ambientação histórico-realista e narrativa fantástica, regulado pela precisa cadência de uma eficácia gráfica e emotiva.

Prancha de Tex desenhada por Fernando Fusco

Pode dizer-se que, no senso construtivo da verdade formal – mas condicionado por exigências de ritmo e plasticidade – e no espaço que o realismo gráfico de Fernando Fusco ocupa, deve-se procurar o significado de um método compositivo fundamental com que ele torna possível a reconstrução da fronteira através da observação do real que ele analisa e recompõe para realizar a banda desenhada.

Fernando Fusco

Com relação à programação deste número dedicado a Fernando Fusco, a publicação com 360 páginas trará a seguinte história de Tex:

Morte no Rio das Almas – 360 pg

Tex – Morte no Rio das Almas

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima clique nas mesmas)

10 Comentários

  1. Aliás era pra ser uma aventura longa em todas as edições independente do desenhista. Mas fico feliz já que Fusco é meu favorito.

  2. Fiquei interessado pelos volumes com Ticci e Fusco. Para referência, notei que a história “Morte no Rio das Almas” saiu em Tex Ouro 24 (2006) com o título de “Emboscada no Red River” e a partir da Tex Coleção 396 (2016) apenas como “Morte no Rio”.

    • Penso que o terceiro deveria ser o Letteri, depois o Nicolò. Para mim, esses são os grandes mestres que alicerçaram o Tex.

    • Eu achei boa a escolha dos desenhistas, inclusive a ordem, que acho que qualquer colecionador tem a sua sugestão, mas é unanimidade que deveria começar com Galep 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *