6 Comentários

  1. Um belo desenho: as canecas parecem ser de madeira, recebendo cerveja espumante; no prato, os restos de bifes (ou bistecas) com batatas fritas. O traço de Alessandro Piccinelli lembra aquele de Claudio Villa.

  2. Vim aqui pra comentar justamente a semelhança com o estilo do Villa, e você já havia chegado na frente, Afrânio! Não conhecia e gostei bastante!

  3. N. Dieger,
    eu saquei um pouco mais rápido do que você. 😉 A mão direita de Carson parece um pouco desproporcional.
    Amora,
    é necessário comparar os estilos de Alessandro Piccinelli e Claudio Villa em um contexto maior. De fato, Piccinelli é excelente. 😀

  4. Achei que o joelho direito de Tex não poderia aparecer deste lado da mesa. Parece que a mesa é redonda, e deve ter pelo menos um metro de diâmetro!

  5. Meu Deus!
    Como tem criticos de arte por aqui.
    He, he, he,
    Minha opinião, foi de um observador, não de um professor de arte para com seus alunos.
    Dois grandes mestres, só que não vejo semelhança nos estilos, e essa composição me faz muito bem ao olhos, independentemente dos detalhes técnicos, o artista pode, dependendo do que ele pretende, enfatizar um detalhe mais do que o outro, caso da mão do Carson, e a perna de Tex esta exatamente onde deveria estar.
    Se é para observar detalhes, olhem o antebraço do Carson e sua perna direita.
    Gente! os rostos do Tex e do Carson estão muito bons, eu diria excelentes!
    E são eles que dão vida a composição.
    A composição mostra dinamismo, vida e realismo.
    O que eu não vejo muito nas composições do Villa, independentemente de sua magistral técnica, e excepcional domínio das proporções humanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.