TEX e BONELLIANOS no ´ALMANAQUE DOS QUADRINHOS´

Por Ezequiel Guimarães.

O mercado editorial brasileiro é carente em obras teóricas que abordem a indelével  9ª. Arte, tanto no quesito sobre as personagens (abordagens gerais, históricas, culturais, sociopolíticas e outras), como também no quesito metodológico da criação e desenvolvimento de trabalhos na arte quadrinhística.

Lógico que há obras, algumas brasileiras e outras traduções de obras internacionais, mas em quantidade bem menor do que outros mercados que são mais prolíferos nessa área.

E nada mais natural que seja assim, pois essas obras sempre são maiores em mercados altamente produtores e exportadores de BD´s, como por exemplo, o mercado francófono, o italiano, e o norte-americano (para ficar somente em alguns); isso sem falar no mercado japonês, com muitos títulos de altíssima tiragem, inclusive semanal.

Nesses mercados, as muitas obras teóricas abordam vários aspectos técnicos e analíticos, sobre as personagens, autores e editoras, com riquíssimas informações para todos os géneros de leitores possíveis.

No Brasil houve já traduções de algumas dessas obras, como as importantíssimas Quadrinhos e Arte Sequencial,   e Narrativas Gráficas,   ambas do mestre Will Eisner, entre outras; e também há alguma produção brasileira sobre esses temas.

Uma dessas obras – e de grande importância, é o Almanaque dos Quadrinhos – 100 anos de uma mídia popular, dos autores Carlos Patati e Flávio Braga.

Carlos Eugênio Baptista, o Patati já escreveu quadradinhos, crítica sobre BD´s e foi da curadoria de alguns eventos como Bienais e também Festivais de Quadradinhos (de Belo Horizonte). Além de autor de romances e ficção científica. Flávio Braga foi Director d’O Pasquim, editor de revista. Também faz filmes e é autor de romances.

O livro não trata da parte técnica de como criar e desenvolver uma banda desenhada, mas sim aborda o panorama geral das histórias em quadradinhos desde os primórdios até aos nossos dias, analisando questões sociopolíticas, culturais e mercadológicas dos períodos envolvidos; além da citação e análise de centenas de personagens, chegando até aos que chegaram na mídia electrónica, como a TV e o cinema. A obra também é fartamente ilustrada, sendo a maioria em preto e branco, mas há diversas ilustrações a cores.

No geral, apesar de ser um conteúdo resumido dos períodos abordados, é magnífica e extremamente rica em detalhes e análises, sobre o mercado internacional e brasileiro. E não poderia deixar de ser uma visão resumida de cada época, porque senão o livro teria que ser extremamente volumoso, o que talvez o faria tornar-se economicamente inviável, mesmo que fosse em um volume ou dividido em vários volumes.

Apesar de datar de 2006, ainda é encontrado à venda. É uma publicação da Ediouro Publicações S.A., e suas 232 páginas estão divididas pelos seguintes capítulos (além da Introdução e de um Índice Iconográfico):
1- A breve história de um século
2- O reino do humor e da travessura
3- Super-Heróis
4- Jornal e gibi, adulto e criança
5- Underground
6- Os estilos da Europa
7- A criatividade ianque reencontra o público
8- HQ do Brasil e no Brasil
9- Erotismo seqüencial
10 – HQ e audiovisual

Há uma extrema variedade de personagens, autores e editoras: The Yellow Kid, Mutt e Jeff, Tarzan, Alex Raymond, Caniff, Superman, Namor, Jack Kirby, Will Eisner, Spirit, Gaines, Recruta Zero, Disney, EC Comics, e Robert Crumb estão todos lá.Assim como também a Zap comics, Tintin, René Goscinny, Jean Michel Charlier, Hugo Pratt, Oesterheld, Jean Giraud, Jodorowsky, Skorpio, Blake & Mortimer, Stan Lee, Conan, X-Men, Frank Miller, Milo Manara, Alan Moore, Guido Crepax, Homem-Aranha, Calvin e Haroldo, e Jonah Hex, entre os internacionais.

Também estão os brasileiros: O Tico-Tico, Ziraldo, Maurício de Sousa, Julio Shimamoto, EBAL, Rio Gráfica, Abril, O Pasquim, Laerte, Luiz Gê, Fernando Gonsales, Carlos Zéfiro, Carlos Chagas, Vilmar Rodrigues, Angeli e Henfil, dentre outros.
E muito, muito mais, tanto nos estrangeiros, quanto nos brasileiros.

E como não podia deixar de ser numa obra de tal envergadura, as personagens bonellianas também se fazem presentes.

Para os fãs bonellianos isso é muito importante, pois a obra contém importantes análises e comentários sobre o tipo de arte e mídia na qual as personagens da Casa Bonelli estão inseridas, ou seja a amada 9ª. Arte/arte sequencial, e além disso há citação de grandes heróis bonellianos no andar da obra; como Mágico Vento de Gianfranco Manfredi, Ken Parker da dupla Giancarlo Berardi e Ivo Milazzo, e principalmente a maior criação bonelliana, o ranger Tex Willer, que confirmando a sua condição de principal personagem dos fumetti tem a maior quantidade de citações no livro (entre as personagens italianas), com exactas cinco citações (nas páginas 19, 62, 122 e duas citações na página 130). Sendo que na página 64, há também a imagem da personagem através da arte do grande criador gráfico do mesmo: Aurelio Galleppini.

Para muitos bonellianos e texmaníacos em especial, essa obra é interessante e informativa, mas para muitos outros ela é mais do que isso, é também um item coleccionável.

Na secção “Coleccionáveis Tex” deste nosso blogue, temos vários posts que abordam vários itens coleccionáveis, como revistas e fanzines temáticos, materiais diversos de eventos, e como tudo que se relaciona de uma forma ou de outra à personagem favorita (nesse caso, o ranger) de um fã é coleccionável, temos então também esse “Almanaque dos Quadrinhos” como um item de colecção, pois faz várias referências à mais longeva personagem do oeste: o mítico ranger justiceiro TEX WILLER !!!!!!!!!!!!!

Então é mais um importante item que não pode faltar na BiboTexli dos texmaníacos !!!!!!
Corra a pegar o seu !!!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

16 Comentários

  1. O que me irrita nas publicações brasileiras é o descaso com o personagem Tex e Zagor, os autores de livros e revistas referentes a quadrinhos estão sempre elogiando o Tex mas, na hora de pôr o personagem em destaque, nada feito, não estampam o Tex nas capas das publicações especializadas, como se fosse errado o personagem fazer enorme sucesso.
    Essa publicação segue o mesmo exemplo da revista Mundo dos Super-Heróis,que divulgaram a matéria como se fosse o Tex principal foco da revista, porém nada de pôr o Tex na capa. Gostaria de ver um desses especialistas expondo na capa o Tex ou Zagor junto com Fantasma, Tarzan, Mickey, Superman, Homem-Aranha, Batman, etc… o que não acontece. Porque? Porque o Tex não aparece nas capas dessas importantes revistas? Desses grandes especialistas?

  2. Legal saber que esse livro tem tanta coisa boa, vou comprar ele. Concordo com o Antonio, podia ter Tex na capa. Na revista Mundo dos Super-Heróis aquela matéria Bonelli foi muito boa, e também concordo que devia ter Tex na capa, mas Tex não foi o principal foco da revista, foi o Jack Kirby.

  3. Tex poderia estar na capa sim, mas já fico contente por falarem dele. Em vários lugares não falam.

  4. Pard Ezequiel, otima matéria mais uma vez. Eu tive este livro, inclusive está emprestado a um rapaz lá do interior que adora Tex. Eu passei pra ele, que deve ter repassado para outro amigo.
    Um livro muito bom para os amantes de quadrinhos. Gostei muito.
    Sobre o comentário do Antonio Matias, acredito que seja assim devido a ascendência de quem edita as revistas. Se fosse um leitor contumaz de Bonelli, daria um jeito de colocar sempre um Bonelli, em maior ou menor destaque. Por outro lado, tem a questão vendas, que norteia esse pessoal. Homem-Aranha, Homem de Ferro, Superman, e alguns escritores famosos estão sempre na mídia e tem milhares de seguidores, enquanto os demais, mesmo famosos, aparecem pouco.
    É mais ou menos como no Portal TexBr, onde alguns reclamam da hegemonia do Tex.
    Abraços

  5. Eu tenho este livro Pard Ezequiel, realmente é muito rico de informações sobre quadrinhos, achei bastante interessante esta matéria, pois eu mesmo sou daqueles colecionadores que colecionam tudo de Tex, desde as revistas, pôsters, livros, estatuetas, etc…
    Em relação a esta linda matéria sobre Tex na revista Mundo dos Super Heróis somente posso dar os Parabéns ao Pard Ezequiel que batalhou e se esforçou ao máximo para que esta matéria fosse publicada, precisamos todos nós que gostamos de Tex mandar emails para a editora que publica esta revista Mundo dos Super Heróis elogiando esta reportagem sobre Tex e pedindo mais matérias sobre nosso herói, é somente desta forma que conseguimos mais espaço na mídia, através de participação ativa.

    Adriano Rodrigues Rainho

  6. Pard G.G. Carsan muito obrigado pelo elogio. Fico contente que gostastes. Muito feliz sua colocação na resposta ao Antonio, eu também acho que é isso mesmo.

    E muito obrigado ao Antonio, Nelson e Pedro pelos comentários.

    Grande abraço.

  7. Pard Adriano fico muito contente que vc gostou da matéria. E muitíssimo obrigado pelas palavras referentes à matéria da MUNDO (onde eu fui ajudado por diversos bonellianos aos quais sempre agradeço a participação). E muito obrigado por lembrar à todos de mandar e-mails para a MUNDO, isso é muito importante. O e-mail do Editor da MUNDO é: manoel.souza@europanet.com.br
    Na edição que está “saindo do forno” (a edição 29) há uma pequena nota sobre o belíssimo evento de Santo André (mais uma vez PARABÉNS pela empreitada, pard Adriano), e caso queiramos mais Tex e bonellianos na MUNDO, é necessário a ‘manifestação’ para o e-mail acima (que coloquei) pois se não há “repercussão”, o editor entenderá que não há pessoas interessadas naquele tipo de personagem. Então todos que se interessam, mandem e-mails para a MUNDO, comentem, critiquem até que TEX não esteve na capa, mas se ‘manifestem’. Com isso conseguiremos chegar a colocar Tex na capa, como muita gente quer. E isso não é impossível, pois a tempos ninguém imaginaria Maurício de Souza na capa da MUNDO, e recentemente ele ganhou capa e um dossiê exclusivo. Tudo porque quem gosta da Turma da Mônica se manifestou, e não ficaram esperando outros se manifestarem. Então está na mão de todos vcs que gostam de Tex e Bonelli.

    Abração pard Adriano.

  8. Quando li a matéria aqui não me interessei em comprar o livro, mas depois de alguns dias acabei me interessando e fui tentar achar. Caramba, 90 paus! Muito caro, depois reclamam que não se vende livro no Brasil. Mas com esse absurdo de preço para esse tipo de livro não vai vender mesmo.

  9. Muito bom ter colocado o índice do livro. Eu já tinha visto o livro a tempo atrás na Internet, mas nenhum lugar com uma descrição e avaliação tão detalhada como aqui. Agora após ler aqui e ver o índice, achei muito interessante e decidi comprar ele. Muito obrigado.

  10. Prezado Pedro, há algumas livrarias que abusam do preço se a obra já não estiver muito disponível (tipo a Livraria Cultura), mas nada como fazer a velha “pesquisa de preços” principalmente quando temos um mundo chamado “web” para pesquisarmos.
    Veja no Mercado Livre, e nas centenas de sebos da Estante Virtual.
    Veja nas outras livrarias famosas que estão todas on-line.
    Eu adquiri o meu num sebo, por 27,00 e ele está novo.
    Procure, tenho certeza que vai achar mais barato. E o livro vale a pena.

  11. Eu consegui comprar por 33,00. Deixei o nome anotado em dois sebos de minha cidade e a semana passada um deles me ligou dizendo que chegou.

  12. Obrigado pelas dicas, consegui achar a 25 e muito conservado.
    E o livro é incrível, muito legal.

  13. Eu não vou mais comprar pois descobri que um amigo tem e ele vai me emprestar. Estou com a grana curta mas o livro é muito bom mesmo, vi lá na casa dele e ele está terminando de ler, depois vai me emprestar.

  14. O fato de Tex não aparecer nas capas pode ter a ver com direitos autorais. Seus criadores são muito rigorosos com isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.