Sucesso a cores

Por José Carlos Francisco

Tex a coresO seu nome é Willer, Tex Willer. Há mais de sessenta anos que é uma das personagens mais amadas de Itália e há meio século que é o maior sucesso da banda desenhada italiana. Para todos os seus fãs, o dia 1 de Fevereiro de 2007 foi um dia memorável. Uma nova colecção, a “Collezione storica a colori” (este é o seu título) apresentava – pela primeira vez inteiramente a cores – as clássicas aventuras de Tex (e na exacta ordem cronológica) realizadas por Gianluigi Bonelli e Aurelio Galleppini desde o longínquo ano de 1948, em elegantes volumes semanais de trezentas páginas e em grande formato, numa iniciativa conjunta da Sergio Bonelli Editore em colaboração com o Grupo L’Espresso, através do quotidiano “La Repubblica” e do semanário “L’espresso”.

Dado o grande afecto e a fidelidade demonstrada pelos leitores, a “Collezione Storica a Colori” tornou-se um verdadeiro fenómeno de vendas na Itália, a ponto de inicialmente estar prevista para ser composta somente por 50 volumes, passando numa segunda fase para 84, mas devido ao veredicto dos Tex coloridoleitores italianos de Tex, que não poderia ser mais favorável, levou à expansão da “Collezione storica a colori” a níveis jamais alcançados por nenhuma outra iniciativa do género: em suma, um novo, memorável “record” de popularidade, fazendo já parte de uma recente tradição italiana e que não tem ainda fim à vista,  para alegria de todos os pards que, a cada sete dias, em cada nova quinta-feira, querem confrontar o “velho” com o novo Tex.

Cada novo número é abrilhantado por uma capa inédita criada propositadamente para a ocasião por Claudio Villa, acompanhada por artigos e comentários assinados pelo crítico Luca Raffaelli e pelo próprio editor Sergio Bonelli numa ampla parte introdutiva na qual o editor italiano conta os segredos e bastidores ligados à realização e ao sucesso de TEX!

Tex a cores norueguês e finlandêsSucesso (a cores) que pelos vistos não se ficará somente por Itália, porque numa curiosa coincidência e em arrojadas (e dignas de aplausos) iniciativas, as editoras que publicam Tex no Brasil, Croácia, Noruega e Finlândia resolveram apostar nesta colecção inteiramente em “technicolor”, precisamente no mês em que o Ranger completou 61 anos de vida editorial (Setembro de 2009), conforme se pode constatar através das fotografias que ilustram este texto.

No Brasil, a publicação nasceu por iniciativa da Mythos Editora, como forma de comemorar os 10 anos do Ranger na editora da fogueirinha, com um projecto inicial que prevê 6 edições bimestrais, e cuja continuação Tex a cores italiano e brasileirodependerá única e exclusivamente da receptividade dos texianos brasileiros e portugueses, já que esta nova colecção também será vendida em Portugal, onde terá um preço de 12,00€.

A estrutura da colecção brasileira valoriza os desenhos originais, agora com o acréscimo das cores, cujas edições terão sempre 240 páginas de história e mais matérias interessantes da autoria de Júlio Schneider e Sergio Bonelli. Tudo colorido e no formato original italiano, com as medidas 21 x 16 cm, o mesmo tamanho que tiveram os primeiros volumes da série brasileira “Tex e os Aventureiros“, publicada em 2005.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

4 Comentários

  1. Que belíssima coincidência hem Zeca. Acredito que por onde ela sair, vai ser sempre sucesso. A edição brasileira ficou linda. Parabéns a vc também Zeca, por que a cada dia que passa, o seu, o nosso blog, fica melhor.

    Abraços Texianos.

  2. Só nos resta torcer para que esta nova e fantástica coleção a cores faça muito sucesso e dure por muito tempo ainda, além dos primeiros seis números prometidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *