Exposição de homenagem a título póstumo a Sergio BONELLI, no MAB Invicta do Porto

Por José Carlos Francisco (texto e fotos)

Para além da exposição com pranchas inéditas do Tex Gigante da autoria de Fabio Civitelli, abrilhantada pela presença do próprio desenhador italiano, esteve também patente na cidade do Porto, integrada igualmente na 1ª Edição do MAB Invicta – Festival Internacional de Multimédia, Arte e Banda Desenhada que se realizou na Faculdade de Belas Artes dessa bela cidade nortenha, nos fins de semana de 10/11 e 17/18 deste mês de Março, uma exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli (Milão, 2 de Dezembro de 1932 — Monza, 26 de Setembro de 2011), autor italiano de personagens de banda desenhada, entre eles Zagor e Mister No e editor de Tex, falecido no dia 26 de Setembro de 2011, com 78 anos.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012

A exposição contou com cerca de cinco dezenas de fotografias do consagrado autor/editor tiradas nas viagens que fez pelo mundo e que mais tarde serviram de inspiração para o seu Mister No. As fotografias expostas na mostra do Mab Invicta 2012, vieram directamente do álbum fotográfico de Sergio Bonelli, álbum esse que Guido Nolitta (pseudónimo de Sergio Bonelli – criado para não ser confundido com o pai nas suas vestes de autor) sempre mostrou com modéstia e parcimónia mesmo aos amigos mais íntimos e que mostram uma outra faceta desconhecida de muitos dos seus admiradores.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012

De facto e ao contrário do seu pai, Sergio Bonelli não vivia somente para a banda desenhada. Um mês por ano o editor dava-se ao único luxo que verdadeiramente não dispensava: viagens maravilhosas e aventureiras aos locais mais recônditos do planeta com especial predilecção pelo Sahara em África e pela Amazónia na América do Sul.

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli, realizada no MAB Invicta 2012

África que Sergio Bonelli definia como uma linda mulher, uma mulher que se podia amar até à loucura, uma mulher que podia dar sensações extraordinárias, mas que também podia fazer sofrer. E prova disso foi o facto de ter sido em África que Sergio Bonelli experimentou algumas das piores injustiças da sua vida, como por exemplo quando, na companhia dos poucos amigos que o acompanhavam nos seus loucos itinerários, andava em busca de um forte da Legião Estrangeira ou de um cemitério de guerra abandonado e tinha que passar um posto de fronteira e a burocracia era sempre desgastante e maçadora: controles, perseguições, pequenos furtos de alimentos e bebidas, e o medo de ter que retroceder, tendo que fazer mais alguns milhares de quilómetros sem reabastecer. Um dos muitos estratagemas implementados por aqueles que queriam vingar-se de séculos de dominação do homem branco…

Fabio Civitelli e José Carlos Francisco na exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Todas estas aventuras reais vividas por Sergio Bonelli e que puderam ser vistas no MAB Invicta deram azo ao nascimento, em 1975, da sua mais amada personagem: Mister No, um piloto aventureiro que viveu, no decurso de pouco mais de 30 anos, a maioria das suas aventuras na grande floresta Amazónica e em que os cenários da geografia brasileira tal como os cenários africanos foram o pano de fundo para muitas das suas histórias. Piloto norte-americano Jerome (Jerry) Drake era um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial que abandonou a sua pátria desiludido com a violência e as imposições da sociedade ocidental. Em sua fuga, escolhe o paraíso da plácida Manaus dos anos 50, cidade brasileira situada no coração da Amazónia e que Sergio Bonelli definia como uma espécie de Paris brasileira. Em Manaus compra um velho Piper e passa a ganhar a vida como guia turístico. Honesto, sincero, amante do álcool e de mulheres bonitas, preguiçoso mas pronto a se atirar em aventuras, é um rebelde por natureza, como demonstra o seu apelido…

Fabio Civitelli visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Editor Dorival Vitor Lopes visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Fabio Civitelli visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Pards portugueses prestigiaram a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Carlos Moreira e Orlando Santos Silva na exposição de homenagem a Sergio Bonelli

Exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Público visitando a exposição de homenagem póstuma a Sergio Bonelli

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

Fotografias expostas na mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

José Carlos Francisco visitando a mostra dedicada a Sergio Bonelli pelo MAB Invicta

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Que pessoa fantástica é este Sergio Bonelli, um Homem e uma Aventura. Espero que a exposição chegue ao BRasil também!
    Espero que em 2015 tenhamos uma homenagem da SBE para o grande Mister NOllita, em seu aniversário de criação, poderiam colocar o Bonelli como um dos turistas pela Amazônia ou África, quiçá pela região da América Central onde o mesmo se baseia (nos anos 1970, ao encontrar o Martin Mystere)!

  2. Sergio Bonelli, viveu sempre cercado de grandes amigos, ainda hoje sinto enorme tristeza pela morte dele. Deixou textos maravilhosos, comentários geniais, uma obra extensa. Espero que sejam publicadas aventuras inéditas dele no Brasil, principalmente do Mister No.
    Essa exposição é de primeiro mundo, emocionante essa homenagem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.