ESTATÍSTICAS BONELLIANAS – 2014: O ano dos records

O final de cada ano é desde sempre o momento para fazer balanços. E, claro, Saverio Ceri não poderia deixar de nos dar os números totais relativos à produção Bonelliana ocorrida em 2014. Convidamos-vos a encontrar as edições anteriores da sua rubrica se acabou por as perder, pois estamos seguros que após estas novas estatísticas, ficarão tal como nós, à espera da próxima.

ESTATÍSTICAS BONELLIANAS – 2014: ano dos records

Por Saverio Ceri

Como todos os finais de ano eis o momento de fazer o habitual relatório anual contendo os números bonellianos. Reiteramos de seguida a premissa para os recém-chegados.

Aquelas que se seguem são classificações de quantidade, não de qualidade; são elaboradas considerando as páginas inéditas produzidas pela Sergio Bonelli Editore e publicadas exclusivamente pela própria editora Bonelli no decurso do ano. Não encontrarão assim todos os autores bonellianos, que dia após dia trabalham para a editora, mas apenas aqueles que nos últimos doze meses foram publicados; aparecerão assim autores que talvez já não trabalhem mais, mas cujas histórias ainda não tinham sido publicadas; não encontrarão também alguns autores que actualmente produzem material para a Sergio Bonelli Editore, mas cujas histórias não foram ainda programadas nas várias séries da editora italiana. Não encontrarão igualmente as páginas produzidas pela Bonelli, mas publicadas por outras entidades (tipo as histórias breves publicadas em revistas ou jornais), tal como não serão contabilizadas as páginas não inéditas, quer tenham sido publicadas em álbuns bonellianos ou não. Ou seja, de modo a uma melhor compreensão, não encontrarão os dados das histórias breves de Dylan Dog reeditadas como suplemento aos Superbook.

E agora vamos então mergulhar nos números bonellianos de 2014. Nos últimos anos apesar de um incremento de páginas publicadas, afirmávamos como quase inatingível, o lendário ano de 2001 onde as páginas publicadas pela Bonelli rondaram as vinte e uma mil unidades. Pois bem, nos últimos doze meses, com um aumento de quase duas mil páginas comparativamente a 2013, o que representa um aumento de 11,34%, a editora da Via Buonarroti levou às bancas italianas precisas 21.493 páginas inéditas, record absoluto da sua história editorial com mais de 70 anos.  O boom explica-se pelo primeiro ano completo de algumas séries nascidas em 2013 (Orfani e Dragonero), o lançamento de novas séries (Lukas, Adam Wild) e a ausência do encerrar de alguma série (Brendon apesar de ter deixado de ser publicado regularmente, viveu completamente o seu ano editorial). Os álbuns inéditos publicados foram 182, vinte e quatro a mais do que no ano anterior, o que representa um aumento de 15,19%: trata-se do melhor resultado da última década, quarto melhor resultado em absoluto, mas ainda longe dos 193 álbuns de 2001. A média de páginas por exemplar continua a decrescer atingindo este ano a quota 118,09 (-4,35% comparativamente a 2013); trata-se da terceira queda consecutiva após alguns anos de “balenoterizzazione” (nome dado aos Maxi) que tinha levado a que se atingisse a barreira das 130 páginas por álbum em 2011.

Seguem-se as 20 personagens ou séries que neste ano record de 2014 tiveram pelo menos um álbum publicado:

  SÉRIE PÁG ÁLBUNS
Dylan Dog 2500 19
Tex 2276 17
Zagor 1954 16
Nathan Never 1876 16
Julia 1606 13
Dampyr 1570 14
Le Storie 1446 13
Dragonero 1251 13
Martin Mystère 1184 08
10° Saguaro 1128 12
10° Orfani/Ringo 1128 12
12° Agenzia Alfa 846 03
12° Lukas 846 09
14° Brendon 724 07
15° Universo Alfa 338 02
16° Adam Wild 282 03
17° Lilith 250 02
18° Asteroide Argo 154 01
19° Storie da Altrove 122 01
20° John Ghost 012 01

.
Um esclarecimento: John Ghost aparece como titular de 12 páginas porque o álbum especial que as contém traz o seu logótipo e não o de Dylan Dog, e, apesar de não ter chegado ás bancas e nem sequer ter estado à venda, é para todos os efeitos uma edição publicada directamente pela Bonelli. As 12 páginas em questão são um suplemento de um número de Dylan Dog que verá as luzes do dia em 2015, mas que foram publicadas pela primeira vez em 2014; portanto no próximo ano, quando forem “reeditadas”, não serão contabilizadas ao investigar dos pesadelos. A mítica personagem de Sclavi pode consolar-se com as 12 páginas “roubadas” ao seu novo arqui-inimigo, para atingir o novo record de páginas dedicadas num só ano a uma única personagem: exactas 2500; das quais 350 a cores. Para o detective do pesadelo, trata-se do nono sucesso, oitavo consecutivo; também Tex, segundo pelo quarto ano consecutivo, regista o maior número de páginas  publicadas num só ano, nos seus mais de 66 anos de vida editorial. Desaparece da classificação Martin Mystère Presenta porque não é mais um álbum em si mesmo, mas antes um suplemento do especial dedicado a Martin Mystère.

Número record de argumentistas empenhados no contar as aventuras vividas pelos heróis bonellianos em 2014. Exactos 54, apenas um a mais do que no ano transacto, mas suficiente para destronar o record estabelecido há apenas doze meses. Segue-se a classificação pela ordem de páginas publicadas:

  ARGUMENTISTA
PÁG. SÉRIE
Boselli 1730 Tex, Dampyr, Zagor
Recchioni 1172 Orfani, Dylan Dog, Ringo, John Ghost, Tex
Enoch 1062 Dragonero, Lilith
Burattini 1042 Zagor, Tex
Mignacco 972 Dylan Dog, Zagor,Le Storie, Saguaro, Dampyr
Enna 940 Saguaro
Di Gregorio 928 Dylan Dog, Le Storie, Dampyr
Rigamonti 926 Nathan Never, Agenzia Alfa, Dylan Dog, Universo Alfa
Ruju 888 Tex, le Storie
10° Medda 878 Lukas, Tex
11° Berardi 782 Julia
12° Chiaverotti 756 Brendon, Dylan Dog
13° Vietti 747 Dragonero, Universo Alfa, Le Storie
14° Gualdoni 649 U.Alfa, Le Storie, Dylan Dog, Nathan Never, Agenzia Alfa
15° Morales 462 Martin Mystère
16° Castelli 448 Dylan Dog, Martin Mystère
17° Calza 425 Julia
18° Rauch 412 Zagor
19° Perniola 407 Nathan Never, Universo Alfa
20° Barbato 362 Le Storie, Dylan Dog
21° Mantero 357 Julia
22° Vigna 341 Asteroide Argo, Nathan Never
23° Faraci 330 Tex
24° De Nardo 314 Dylan Dog, Le Storie
25° Eccher 299 Universo Alfa, Nathan Never
26° Bilotta 298 Le Storie, Dylan Dog, Dampyr
26° Marzano 298 Dylan Dog, Le Storie
28° Ostini 282 Nathan Never
28° Manfredi 282 Adam Wild
30° Recagno 258 Martin Mystère, Storie da Altrove
31° Cavaletto 248 Martin Mystère, Dylan Dog
32° Simeoni 204 Le Storie, Dylan Dog
33° Cajelli 188 Dampyr
33° Falco 188 Dampyr
35° Zamberletti 160 Dampyr
36° Russo A. 143 Agenzia Alfa
37° Vitaliano 110 Le Storie
38° Uzzeo 94 Ringo
38° Celoni 94 Dylan Dog
38° Marolla 94 Dampyr
38° Masperi 94 Nathan Never
38° Testi 94 Dampyr
38° Venanzetti 94 Dampyr
44° Piani 93 Agenzia Alfa
45° Artusi 86 Nathan Never
46° Sammartino 83 Agenzia Alfa
47° Colombo 78 Zagor
48° Giusfredi 78 Zagor
49° Ambrosini 64 Dylan Dog
50° Belli 42 Julia
51° Cordone 34 Agenzia Alfa
52° Accatino 32 Dylan Dog
52° Masiero 32 Dylan Dog
54° Serra 19 Agenzia Alfa, Universo Alfa

.
Apesar de mais de mil páginas a menos do que em 2013, trata-se do décimo primeiro sucesso anual para Mauro Boselli (o quarto consecutivo); dupla surpresa atrás de si, onde pela primeira vez entram no top ten, e directamente para os degraus do pódio, Roberto Recchioni e Luca Enoch, ambos obviamente com os seus melhores registos bonellianos. Entre os primeiros dez assinalamos também os records pessoais anuais para Giovanni Di Gregorio e Davide Rigamonti, e o regresso ao top ten após cinco anos de ausência de Michele Medda e logo com o melhor resultado dos últimos vinte anos. Alfredo Castelli, veterano do grupo dos escritores, tendo-se estreado nas páginas de Zagor em 1971, festeja o 38º ano consecutivo de publicação, seguido por Mignacco no seu 28º ano de presença constante,  Vigna (27 anos), Chiaverotti (26), Boselli (25), Burattini (24), Manfredi e Berardi (21), Ruju (20).


Mais que batido, diríamos pulverizado também o primado, estabelecido em 2003, dos desenhadores empenhados em ilustrar os álbuns Bonelli em um único ano civil; onze anos atrás foram 150, neste ano que agora chega ao fim foram mais 34 do que em 2013, atingindo assim o número record de 178 desenhadores. Segue-se a classificação:

  DESENHADOR PÁG. SÉRIE
Roi 632 Nathan Never, Tex, Brendon, Dylan Dog
Sedioli 506 Zagor
Diso 334 Tex
Verni 314 Zagor
Mari 298 Dylan Dog, Le Storie
Cossu 282 Dylan Dog
Della Monica 282 Zagor
Montanari & Grassani 282 Dylan Dog
Prisco 282 Zagor
10° Boccanfuso 280 Agenzia Alfa, Universo Alfa, Nathan Never
11° Font 265 Tex
12° Buscaglia 262 Dragonero, Le Storie
13° Esposito Bros. 254 Zagor
13° Freghieri 254 Dylan Dog
15° Marinetti 252 Julia
15° Michelazzo 252 Julia
17° Enoch 250 Lilith
18° Alessandrini 248 Martin Mystère
19° Dotti 236 Tex, Dampyr
20° Benevento 220 Lukas, Tex
20° Bruzzo 220 Tex
20° Casertano 220 Le Storie, Dylan Dog
20° Ortiz 220 Tex
20° Piccinelli 220 Tex
20° Seijas 220 Tex
26° Bertolini 217 Agenzia Alfa, Nathan Never
27° Vercelli 213 Nathan Never, Universo Alfa
28° Toffanetti 208 Nathan Never, Universo Alfa
29° Gerasi 204 Dylan Dog, Le Storie
30° Bormida 201 Asteroide Argo, Dragonero
31° Civitelli 192 Dylan Dog, Tex
32° Borgioli 188 Lukas
32° Cucina 188 Dragonero
32° Del Campo 188 Dampyr
32° Dell’Edera 188 Orfani
32° Di Clemente 188 Nathan Never
32° Gallo P. 188 Saguaro
32° Liotti 188 Brendon
32° Mammucari 188 Orfani, Ringo
32° Maresca 188 Orfani, Ringo
32° Stellato 188 Nathan Never
42° Gregorini 177 Dragonero
43° Romanini 174 Martin Mystère, Storie da Altrove
44° Orlandi 167 Martin Mystère
45° Barison 160 Zagor
46° Olivares 158 Dragonero
47° Ferri 156 Zagor
48° Camagni 154 Martin Mystère
48° Grimaldi 154 Martin Mystère
50° Devescovi 144 Martin Mystère
51° Cavenago 143 Orfani
52° Pagliarani 141 Dragonero
53° Siniscalchi 132 Saguaro
54° Torti Rod. 128 Martin Mystère
55° Maroto 127 Dampyr
56° Ambrosini 126 Dylan Dog, Ringo
56° Antinori 126 Julia
56° Boraley 126 Julia
56° Candita 126 Julia
56° Copello 126 Julia
56° Piccoli 126 Julia
56° Soldi 126 Julia
56° Zaghi 126 Julia
64° Dall’Oglio 115 Orfani, Agenzia Alfa
65° Sforza 112 Storie da Altrove
66° Avogadro 110 Le Storie
66° Bianchini 110 Le Storie
66° Brindisi 110 Dylan Dog
66° Caluri 110 Le Storie
66° Lorusso 110 Le Storie
66° Mosca 110 Le Storie
66° Mottura 110 Le Storie
66° Raffaelli 110 Le Storie
66° Simeoni 110 Le Storie
66° Suarez 110 Tex
76° Lazzarini 101 Agenzia Alfa
77° Casini 95 Nathan Never
78° Ambu 94 Dampyr
78° Baggi 94 Dampyr
78° Barletta 94 Saguaro
78° Bergamo 94 Lukas
78° Bigliardo 94 Dylan Dog
78° Bocci 94 Dampyr
78° Busticchi-Paesani 94 Saguaro
78° Califano 94 Dampyr
78° Casalanguida 94 Lukas
78° Celoni 94 Dylan Dog
78° Cestaro Bros. 94 Dylan Dog
78° Cremona 94 Orfani
78° Dell’Uomo 94 Dylan Dog
78° Detullio 94 Lukas
78° Foderà 94 Saguaro
78° Gallo F. 94 Dampyr
78° Genzianella 94 Dampyr
78° Gianfelice 94 Orfani
78° Gugliotta 94 Saguaro
78° Jannì 94 Nathan Never
78° Laci (Krstic) 94 Adam Wild
78° Laurenti 94 Dampyr
78° Lozzi 94 Dampyr
78° Maresta 94 Lukas
78° Martinello 94 Dylan Dog
78° Mattone 94 Saguaro
78° Nespolino 94 Adam Wild
78° Nizzoli 94 Dylan Dog
78° Ornigotti 94 Dylan Dog
78° Pastrovicchio 94 Saguaro
78° Perovic 94 Adam Wild
78° Pianta 94 Nathan Never
78° Platano 94 Dragonero
78° Pugliese 94 Brendon
78° Rizzato 94 Dragonero
78° Rossi M. 94 Nathan Never
78° Russo F. 94 Dampyr
78° Spadavecchia 94 Brendon
78° Stassi 94 Dampyr
78° Statella-Fara 94 Dampyr
78° Torti Ric. 94 Dylan Dog
78° Valdambrini 94 Saguaro
78° Viglioglia 94 Brendon
78° Vitolo 94 Saguaro
78° Volante 94 Lukas
123° Jacomelli 93 Agenzia Alfa
124° Regazzoni 88 Universo Alfa, Agenzia Alfa
125° Piccatto 87,3 Dylan Dog, Brendon
125° Riccio R. 87,3 Dylan Dog, Brendon
127° Martino 81 Agenzia Alfa
128° Piazzalunga 80 Dampyr
128° Santucci M. 80 Dampyr
128° Resinanti 80 Nathan Never
128° Vicari 80 Nathan Never
132° Morrone 79 Dragonero
133° Santaniello 71,3 Brendon, Dylan Dog
134° Pueroni 65,5 Dragonero, Universo Alfa
135° Bonessi 63 Julia
135° Piccioni 63 Julia
137° Vitti 56 Saguaro
138° Di Vincenzo 55 Le Storie
138° Fattore 55 Le Storie
140° Giardo 51 Agenzia Alfa, Universo Alfa
141° Bignamini 47 Orfani
141° Da Sacco M. 47 Nathan Never
141° Denna 47 Nathan Never
141° Giurlanda 47 Julia
141° Palomba 47 Nathan Never
141° Santoro 47 Nathan Never
141° Santucci G. 47 Orfani
141° Spadoni 47 Julia
149° Artusi 43 Nathan Never
149° Velardi 43 Nathan Never
151° Oskar (Scalco) 42,5 Agenzia Alfa
151° Perconti 42,5 Agenzia Alfa
153° Broccardo 40 Brendon
154° Malisan 39 Dragonero
155° Raho 35 Agenzia Alfa
156° Trono 35 Dragonero
157° De Biase 34 Agenzia Alfa
158° Accardi 32 Tex
158° Armitano-Furnò 32 Dylan Dog
158° Bacilieri 32 Dylan Dog
158° Burchielli 32 Dylan Dog
158° Calcaterra 32 Dylan Dog
158° Camuncoli 32 Tex
158° Rossi L. 32 Tex
158° Sicomoro-Robustelli 32 Dylan Dog
166° Forlini 30 Universo Alfa
166° Gradin 30 Universo Alfa
168° Mortarino 18,5 Universo Alfa
169° Filippucci 17 Martin Mystère
170° Stano 12 John Ghost
171° Nisi 8 Martin Mystère

.
Segunda vitória após aquela de 2011 para Corrado Roi, que este ano emprestou os seus lápis góticos a nada mais do que quatro personagens, provavelmente também este facto é um record. O prolífico Corrado consegue entrar no top ten pelo segundo ano consecutivo tal como Gianni Sedioli que, apesar da safra extraordinária, que igualou o seu record pessoal de 2008, teve a infelicidade de enfrentar um superlativo Roi e de ver divididas em dois anos as 805 páginas publicadas em 365 dias entre 2 de Agosto de 2013 e 1  de Agosto de 2014; se fossem todas num único ano civil teria sido record absoluto. Primeira aparição no top ten para Emanuele Boccanfuso, na companhia de tantos veteranos calejados como Diso, com a sua 19ª presença, o mesmo Roi (10ª vez entre os primeiros dez) ou Della Monica (9ª vez). Freghieri atinge a barreira do trigésimo ano de presenças consecutivas nesta classificação, seguido por Montanari&Grassani publicados regularmente sem interrupções nos últimos 29 anos, Piccatto por 28 anos consecutivos, Brindisi com 25, Rodolfo Torti e Siniscalchi com 22 e Michelazzo e Giardo com 20. Curiosidade: mostramos deliberadamente o nome de baptismo de Torti para diferenciá-lo de Riccardo, seu filho, que este ano estreou nas páginas do Maxi Dylan Dog. De memória, entre os autores, o outro único caso de pai e filho que trabalharam para a editora Bonelli à parte os próprios, foram Gian Luigi e Sergio Bonelli. Os veteranos entre os desenhadores publicados em 2014 foram Gallieno Ferri que trabalha com personagens bonellianas desde 1961; Roberto Diso que publica para a editora desde 1975; Giancarlo Alessandrini que colabora com a SBE desde 1977;  Montanari & Grassani que este ano festejaram os 35 anos de carreira na editora Bonelli.


Outro record batido é o dos capistas: 30 foram de facto os ilustradores chamados para assinarem as capas bonellianas deste ano,  contra os 25 de 2013 e 26 do anterior record, que remonta a 2012. Amplificam o resultado, que só por si já seria excelente, os três capistas chamados a ilustrar os álbuns variantes apresentados no Festival de Lucca.


Na classificação que apresentamos de seguida, estão contabilizadas todas as 196 capas inéditas publicadas este ano pela Bonelli, incluindo as 14 realizadas para as séries reeditadas, para as especiais de Lucca ou para o flipbook do especial mysterioso. Este número porém não é um record, pois em 2001 foram 199 as capas inéditas. Também este ano a capa do Almanacco del Mistero é assinada por uma dupla, facto que explica os dois autores que comparecem na classificação com meia capa por cabeça.

CAPISTA CAPA SÉRIE
Villa 18 Tex, Dylan Dog Superbook
Stano 17 Dylan Dog, John Ghost
Ferri 16 Zagor
Riboldi 14 Dampyr
Di Gennaro 13 Le Storie
Furnò 12 Saguaro
Spadoni 12 Julia
Matteoni 12 Dragonero
Giardo 12 Nathan Never
10° Carnevale 9 Orfani
10° Benevento 9 Lukas
12° Alessandrini 8,5 Martin Mystère
13° Roi 8 Dylan Dog Granderistampa, Nathan Never, Tex
14° De Angelis 6 Agenzia Alfa, Nathan Never
14° Rotundo 6 Brendon
16° Bertolini 3 Asteroide Argo, Universo Alfa
16° Perovic 3 Adam Wild
16° Mammucari 3 Ringo
19° Filippucci 2,5 Martin Mystère
20° Enoch 2 Lilith
21° Alberti 1 Dragonero
21° Breccia E. 1 Adam Wild
21° De Vita 1 Tex
21° Cavenago 1 Dylan Dog
21° Dell’Otto 1 Ringo
21° Gipi 1 Dylan Dog
21° LRNZ (Ceccotti) 1 Dylan Dog
21° Piccatto 1 Brendon
21° Pichelli 1 Dylan Dog
21° Soldi 1 Julia

.

Décima sétima vitória, décima consecutiva, para Claudio Villa; atrás de si e batido apenas por uma capa, Angelo Stano; ambos este ano superaram o mágico número das 400 capas bonellianas, mas continuam longe de um certo Gallieno Ferri, terceiro este ano, que, sempre no decurso de 2014, dobrou-os, ou seja superou as 800 capas no formato Bonelli (edições em tiras excluídas, portanto). E para fechar esta lista de capistas pluricentenários no ano que acaba de chegar ao fim, assinalamos também que o quarto na classificação, Enea Riboldi, atingiu e superou inclusive nos últimos doze meses as 200 capas!

A Sergio Bonelli Editore é muitas vezes indicada como uma editora conservadora e pouco propícia ao novo e sobretudo aos novos autores; nada de mais errado, sobretudo se virmos os números dos estreantes em 2014 nas páginas das edições Bonelli: 41 novos autores, a maior parte ilustradores: exactos 37; demasiados para citar todos. Entre os desenhadores estreantes assinalamos os 5 novos capistas, todos de nível internacional: Breccia, Gipi, LRNZ, Pichielli e De Vita. Quatro os argumentistas a viverem a sua primeira experiência bonelliana: Vitaliano em Le Storie, Giusfredi em Zagor, e, nas páginas de Dampyr Venanzetti e o jovem Testi, primeiro autor bonelliano nascido nos anos ’90 e um dos mais jovens em absoluto a assinar uma banda desenhada bonelliana: apenas encontramos três estreantes mais jovens do que Testi (entre os quais Mignacco).

O que acaba de chegar ao fim além de ser o ano dos records e o ano de Dylan Dog pode também ser recordado como o ano das cores tantas são as páginas coloridas, produzidas pela editora, publicadas nos últimos doze meses: exactas 2146 páginas, praticamente uma em cada dez; obviamente trata-se também neste caso de um record, destinado porém a ser batido muito em breve, visto que para 2015 duas séries terão um número centenário a cores e há ainda a possibilidade de Brendon ter também o seu primeiro especial a cores. Os coloristas começam a tornar-se uma categoria importante dentro da editora, tanto é verdade que a partir deste ano publicaremos também a sua classificação de páginas publicadas. Em 2014 foram 19 os profissionais e estúdios chamados a colorir as páginas dos desenhadores com as suas nuances. Eis a classificação:

  COLORISTA PÁG SÉRIE
Niro 318 Orfani
GFB Comics 288 Tex, Zagor
Leoni 282 Orfani
Pastorello 282 Orfani
De Felici 188 Orfani, Dylan Dog
Florean 126 Le Storie
Francescutto 126 Dragonero
Bertelé 111 Orfani
Simeone 94 Orfani
10° Celestini 64 Tex
11° Bendazzoli 48 Dylan Dog
12° Del Vecchio B. 32 Tex
12° Denti 32 Tex
12° D’Auria 32 Dylan Dog
12° Overdrive studio 32 Dylan Dog
12° Andolfo 32 Dylan Dog
12° Tanzillo 32 Dylan Dog
18° Ambrosini 16 Dylan Dog
19° Cavenago 11 Orfani

.
Na classificação são indicados um par de  estúdios que colaboram com a Bonelli; seria bom que, se possível, fosse dado a César o que é de César e que no futuro, embora citando o estúdio que se ocupa de colorir os álbuns, viesse também indicado o nome de quem pessoalmente realiza o trabalho. Em todo o caso, neste primeiro ano significativo para as cores bonellianas, vence Giovanna Niro e completam o pódio outras duas profissionais do sexo feminino, Annalisa Leoni e Alessia Pastorello.

Classificações por séries
.

Como todos os anos, damos agora uma olhada a quem venceu os rankings anuais das séries. Em rigorosa ordem alfabética começamos com o novíssimo ADAM WILD, onde obviamente se regista o primeiro sucesso para Gianfranco Manfredi entre os argumentistas, e um ex-áqueo para os três desenhadores – Nespolino, Perovic e Laci – que realizaram os números de estreia desta série.


De uma personagem que acaba de nascer, passemos a uma personagem que nos deixa, pelo menos na forma em que conhecemos até hoje: BRENDON. Chiaverotti, único escritor da série, conheceu o seu 17° sucesso de série, enquanto o estreante Giovanni Liotti, com 188 páginas, vence o seu primeiro, e provavelmente último “título” nas páginas de Brendon. Décimo quinto ano de vida para DAMPYR e décima quinta afirmação para o seu co-criador Mauro Boselli, mas com o resultado mais baixo de sempre: 376 páginas, apenas quatro álbuns escritos pelo editor da série nos últimos doze meses, que porém distribuiu as outras quase 1200 páginas anuais a outros nove escritores, entre os quais quatro estreantes de Draka, obtendo o singular record para a série de dez diferentes argumentistas publicados num único ano civil. Entre os desenhadores, primeira vitória anual para a recente aquisição Andrea Dal Campo com 188 páginas. Também entre os ilustradores dampyrianos record de autores publicados num só ano: exactos 17, entre os quais seis estreantes.

Para DRAGONERO, Luca Enoch que com 812 páginas escritas, quase o dobro do co-criador Vietti – empenhadíssimo este ano com o primeiro romance dedicado ao Uccisore di Draghi (Matador de dragões) – vence pela primeira vez a classificação anual dos escritores da série. Entre os desenhadores primeiro “scudetto” para Cristiano Cucina responsável por 188 páginas, das quais metade a cores para o primeiro especial da série. No ano de relançamento para DYLAN DOG, a “palma” do escritor mais publicado vai para Giovanni Di Gregorio que com 630 páginas, seu record pessoal nas páginas do Detective do Pesadelo, repete o sucesso de 2010. Primado ex-áqueo, não acontecia desde 1998, entre os desenhadores, onde Montanari e Grassani com 282 páginas, dividem o seu décimo primeiro “título” com Ugolino Cossu, que por sua vez tem a sua primeira vitória. Giancarlo Berardi, que assina a quatro mãos todos os argumentos de JULIA, inevitavelmente  vence pelo décimo sétimo ano consecutivo, ou seja é desde o início da série o escritor mais publicado. Entre os desenhadores, por sua vez, com 252 páginas, vencem empatados Ernesto Michelazzo, pela quinta vez e Antonio Marinetti, este com o seu primeiro sucesso na série da criminóloga. Obviamente para LILITH, sendo a série produzida completamente por Luca Enoch, não há dificuldades em imaginar quem, com as clássicas 250 páginas anuais, tenha ganho a primazia entre os escritores e os desenhadores…

No primeiro ano de LUKAS, Medda obviamente vence com 846 páginas, enquanto entre os desenhadores vencem o co-criador Benevento e Borgioli, com 188 páginas. Ano revolucionário para MARTIN MYSTÈRE que, para fazer face às despesas das suas séries, renunciou à edição especial que acompanhava o especial, a trinta páginas de Storie da Altrove tendo ressuscitado o maxi para republicações; tudo isto se traduz no ano mais pobre no que diz respeito a páginas inéditas dos últimos 28 anos para o Detective do Impossível e séries relacionadas. Não obstante isto, 2014 fica na história por ter superado as 50.000 páginas para as séries dedicadas a Martin Mystère (spin-off incluídos). Entre os escritores, o mais publicado este ano foi o falecido Paolo Morales, com 462 páginas, enquanto as 248 páginas desenhadas por Giancarlo Alessandrini o tornaram o mais prolífico do ano – pela sexta vez na carreira e segunda consecutiva.

Davide Rigamonti com as suas 894 páginas do mundo de NATHAN NEVER, vence pela segunda vez a classificação anual dos escritores do Agente Alfa; primeiro sucesso por sua vez para Emanuele Boccanfuso com 280 páginas entre os ilustradores. Entre os desenhadores no decurso de 2014 houve a transição na classificação de todos os tempos, com a ultrapassagem de Paolo Di Clemente por Germano Bonazzi. 1034 páginas são aquelas com que Roberto Recchioni vence pelo segundo ano a classificação de ORFANI entre os argumentistas, enquanto entre os desenhadores regista-se um empate entre Mammucari, Dell’Edera e Maresca todos com 188 páginas.

Passemos a SAGUARO que conclui o seu terceiro ano de vida com a terceira vitória do seu criador Bruno Enna (com 940 páginas) e com a primeira afirmação para Gallo (188 páginas) estreante na série. Giovanni Gualdoni, pela primeira vez, e Paola Barbato, pela segunda, são os escritores mais publicados este ano em LE STORIE com 220 páginas cada um. Entre os desenhadores vence pela segunda vez Giampiero Casertano com as 126 páginas do especial a cores. Com 1072 páginas publicadas, melhor resultado anual de páginas escritas para uma única série, Mauro Boselli, é novamente o mais prolífico escritor de TEX. Para ele o oitavo “scudetto” texiano, io segundo consecutivo. Entre os desenhadores volta ao topo, pela terceira vez na sua carreira, da classificação anual Roberto Diso, com 334 páginas, o mesmo score de 2003 ano da sua estreia em Maxi Tex e do primeiro sucesso nesta classificação.

Terminamos com ZAGOR que festeja o 22° sucesso, o 17° consecutivo,  de Moreno Burattini, este ano com 1010 páginas publicadas;  e, entre os desenhadores, a terceira vitória, segunda consecutiva, para Gianni Sedioli que, com 506 páginas em um ano, iguala o seu record pessoal em Zagor, resultado com o qual em 2008 vence o seu primeiro “scudetto” zagoriano. A vitória em dois anos consecutivos, entre os ilustradores do Espírito com a machadinha não acontecia desde o biénio 1992-93, quando foi Ferri a conquistar o bicampeonato.

Classificações dos especiais
.

No que diz respeito aos números fora de série, neste ano de mudanças, entre o cancelamento dos gigantes, estreias de novas séries dedicadas a Dragonero e a Le Storie, novo volume encorpado para Nathan e terceiro maxi para Dylan, no final do ano regista-se um aumento de edições comparativamente com 2013, atingindo os 36 álbuns, como no ano recordista de 2011, enquanto as páginas se ficaram pelas 6554 unidades, mais do que no ano passado, mas longe das 6933 do record absoluto de há três anos atrás. Entre os autores Davide Rigamonti foi, pela segunda vez, depois de 2012, com o próprio record pessoal de 738 páginas publicadas em álbuns especiais, o argumentista mais “especial” do ano. Entre os desenhadores com 538 páginas vence pela primeira vez o mesmo vencedor da classificação geral, Corrado Roi, nunca como este ano tantas páginas de um único desenhador foram publicadas em edições especiais; De Angelis com 6 capas é pela nona vez o capista mais publicado em edições não regulares, enquanto um outro record calhou a Dylan Dog, pela 16ª vez é a personagem do ano com mais páginas extras, precisas 1356 – novo record de páginas especiais publicadas num único ano.

Classificações históricas
.

Durante 2014 Boselli superou Nolitta na classificação dos escritores de todos os tempos – alcançando o terceiro posto em absoluto; posições quase todas imutáveis no Top 20, excepto a entrada na vigésima posição de Faraci que destrona Toninelli. Entre os primeiros vinte desenhadores de todos os tempos, entra no Top ten, no décimo posto Freghieri para o lugar de Polese, Roi alcança o décimo segundo posto subindo dois lugares e ultrapassando Fusco e Alessandrini enquanto Piccatto conquista a décima sétima posição superando Chiarolla. Terminamos com a classificação parcial dos argumentistas e desenhadores da actual década, onde descobrimos que Boselli começa a reconfirmar pela segunda década consecutiva o mais prolífico argumentista bonelliano, tendo uma ampla margem sobre o seu mais directo perseguidor. A classificação dos escritores é bastante estável comparativamente a 2013, com os mesmos autores no top ten, mas com algumas trocas de posições a partir do sétimo lugar; a classificação dos desenhadores estabilizou no pódio, mas foi movimentada do quarto lugar para baixo, com três novas entradas, uma vinda directamente do 38° lugar do ano passado. Seguem-se os dois Top Ten da década em curso:

Bonelli anos 10 (2010-2014)
Argumentista páginas
preced. Desenhador páginas preced.
Boselli 9759 1(-) Roi 2084 1(-)
Ruju 5144 2(-)   Freghieri 1562 2(-)
Vietti 4907 3(-)   Piccatto 1372,3 3(-)
Burattini 4690 4(-)   Diso 1264 7()
Mignacco 4475 5(-)   Enoch 1250 5(-)
Berardi 3994 6(-)   Di Clemente 1187 6(-)
Chiaverotti 3652 8()   Sedioli 1091 38()
Manfredi 3276 7()   Mangiantini 1088 4()
Perniola 2996 10()   Alessandrini 1087 14()
10° Faraci 2993 9()   10° Casertano 1036 17()

.
Recapitulando: o ano 2014 bonelliano trouxe-nos o maior número de sempre de páginas inéditas publicadas, o record talvez mundial (alguém conhece alguma personagem de que tenham sido produzidas mais páginas novas num único ano?) de Dylan Dog, o maior número de argumentistas, desenhadores, capistas e coloristas empenhados num só ano, o maior número de páginas a cores já publicadas. Parece-me uma louvável resposta ao período de crise em que vivemos; outros provavelmente fechado ou provocado despedimentos, a Bonelli pelo contrário tenta novos caminhos até agora inexplorados, expandindo os seus horizontes até fora do campo da banda desenhada. Parabéns.

Também por este ano é tudo. Votos de um bom 2015 a todos os nossos leitores.

Saverio Ceri

Material apresentado no blogue Dime Web em 21/12/2014; Tradução e adaptação (com a devida autorização): José Carlos Francisco.
Copyright: © 2014, Saverio Ceri

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.