Entrevista exclusiva: Laura ZUCCHERI

* Entrevista conduzida por Pedro Cleto

Convidada da 7.ª Mostra do Clube Tex Portugal, que teve lugar no Museu do Vinho Bairrada, nos passados dias 30 de Abril e 1 de Maio, Laura Zuccheri, a primeira mulher a desenhar Tex – A Vingança de Doc Holliday – concedeu uma entrevista ao Jornal de Notícias, publicada na edição online de 29 de Abril.

Fica agora a versão integral dessa conversa, feita à distância, e que não teria sido possível sem as valiosas colaborações de José Carlos Francisco e Júlio Schneider, a quem agradeço.

Pedro Cleto – Como é ser mulher num mundo de homens (o dos desenhadores de BD)?
Laura Zuccheri Não é fácil, principalmente porque era um sonho meu fazer parte da equipa do Tex, um mundo exclusivo de colegas do sexo masculino. Para além disso, este trabalho exige muita dedicação e deixa pouco espaço para a vida privada.

Pedro Cleto – E como foi passar de Júlia, uma personagem tão realista e feminina, dos nossos dias, para Tex, quase um super-homem, que vive em um passado feito de cenários tão específicos?
Laura ZuccheriPara mim foi fácil porque desde criança sempre vivenciei o género western em todos os seus aspectos heróicos.

Pedro Cleto – Entre as duas séries qual a que levantou maiores dificuldades?
Laura ZuccheriFoi mais difícil Júlia, porque não gosto de policiais demasiado realistas.

Pedro Cleto– O facto de ser mulher fez com que trouxesse algo de diferente para o universo de Tex?
Laura ZuccheriNão sei se ser mulher pode trazer algo diferente… talvez mais atenção aos detalhes e uma melhor interpretação das personagens femininas. De resto, é preciso paixão e disciplina para representar um género tão difícil.

Pedro Cleto – Acha que Mauro Boselli entregou algum protagonismo a duas figuras femininas no Tex Gigante A Vingança de Doc Holliday por ser uma mulher a desenhá-lo?
Laura ZuccheriCreio que o Mauro Boselli aproveitou as minhas capacidades para descrever e dar espaço às heroínas daquela época, que foram muitas. As personagens femininas são mais complexas e cheias de nuances.

Pedro Cleto – A participação de uma figura histórica como Doc Holliday ajudou ou atrapalhou?
Laura ZuccheriDesenhar o Doc foi muito interessante e emocionante, devido à complexidade da personagem. Mas não foi simples dar-lhe um rosto convincente.

Pedro Cleto – Entre Júlia e Tex, ao lado de quem fica o coração de Laura Zuccheri?
Laura ZuccheriAo lado de Tex, sem dúvida.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.