Entrevista com o fã e coleccionador: Everton Junior Pelisson

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Everton Junior Pelisson, o Tex português e o álbum O Ídolo de Cristal da VecchiPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Everton Pelisson: Meu nome é Everton Junior Pelisson, nascido no dia 02/10/1981, tenho, portanto, 27 anos de idade. Nasci na cidade de Santo António do Sudoeste, localizada na região sudoeste do estado do Paraná. Sou formado em Administração de Empresas e actualmente moro na cidade de Cascavel – Paraná, e no momento estou me preparando para prestar concurso público. Gosto muito de leitura, cinema e futebol (paixão equiparada a que sinto pela banda desenhada), sou adepto fervoroso do Grémio Foot-Ball Porto Alegrense.

Colecção de Everton Junior PelissonQuando é que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Everton Pelisson: Desde muito jovem sinto encanto pelo “velho oeste” e suas personagens. Lembro com saudosismo do tempo em que tínhamos uma enxurrada de filmes do género na televisão. Quando descobri na casa de um primo, uma montanha de revistas de Tex, Zagor e Akim entre tantos outros, foi como se tivesse encontrado um tesouro. Conheci Tex, antes mesmo de saber ler, e fiquei apaixonado pelas belas capas, mas um pouco decepcionado com a falta de cores no “miolo” das revistas e tentava imaginar o que estava acontecendo no meio daquele tiroteio todo.
Tex Best SellersTentei ler revistas de heróis Marvel (atraído pelas cores e pela maior divulgação das personagens, principalmente pela TV), mas não deu certo, e logo desisti. Li também (e ainda leio) personagens Disney, os quais gosto muito. Mas a verdadeira paixão sempre foi, principalmente, pelas histórias de Tex. Com certeza Tex é o “carro chefe” dentre todos as revistas de banda desenhada que aprecio, mas sou coleccionador de todas as personagens Bonelli que já foram ou são publicadas no Brasil. Gostava muito de Zagor, do tempo em que Guido Nolitta era o argumentista, hoje em dia apenas compro e colecciono a personagem (às vezes tento ler, mas acho as histórias fraquíssimas, algumas beiram o ridículo) e Mister No. Com o tempo aprendi a gostar de Ken Parker, o qual estou tentando, com calma, completar a colecção brasileira.

Everton Junior Pelisson e a melhor capa de TexPorquê o Tex e não outra personagem?

Everton Pelisson: Com seis ou sete anos de idade eu ainda não havia escolhido uma personagem, apenas sabia que eu gostava de quadradinhos. O primeiro que eu comprei, após muito incomodar meu pai, foi uma edição de DC2000, mas nunca nem cheguei a ler a edição toda. Li muito as personagens Disney. Tudo isso só por causa das cores das revistas, porque minha verdadeira paixão estava nas páginas de Tex. Acho que escolhi Tex pelo género western, pelos índios, pelas pradarias, enfim, não sei ao certo, afinal de contas uma paixão não se pode escolher, ela simplesmente acontece.

A curiosa forma de empilhar os Tex'sO que Tex representa para si?
Everton Pelisson: Tex representa um passatempo prazeroso. Um amigo que eu acompanho há mais de 20 anos.  Representa, muitas vezes o que, com os problemas do dia a dia, eu gostaria de ser. Para ele tudo é fácil, tudo é possível, ele é imortal, ele sempre tem dinheiro, sua vida é uma aventura, às vezes perigosa, mas em que sempre tudo dará certo no final. Mas aí eu lembro que Tex é uma personagem de banda desenhada, é imaginário e tudo volta a ser apenas leitura saborosa, um lazer. Sem falar que foi através da minha paixão por Tex (e também por outras personagens), que eu conheci, mesmo que, por ora, apenas virtualmente ou por contacto telefónico, alguns dos maiores e mais respeitados coleccionadores. Pessoas que convivo diariamente trocando mensagens e opiniões sobre quadradinhos e que já fazem parte do meu círculo de amizades.

Edições especiaisQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Everton Pelisson: Hoje, tenho exactas 1074 revistas de Tex, incluindo dez edições italianas e uma portuguesa. Faltam-me trinta e nove revistas para completar a primeira edição, cinco para completar a segunda edição, o álbum de figurinhas de Tex publicado pela Vecchi e os Tex Júnior (dos quais possuo apenas um). Das demais colecções que foram ou estão sendo publicadas no Brasil, tenho todas as edições. Tenho carinho especial por todas as minhas revistas (um certo ciúme até), mas posso dizer que dentre todas a mais marcante é a edição número 10 de Tex Coleção (Jogo Duplo), pois foi o meu primeiro Tex, foi com essa edição que tudo começou.

Tex Junior e o porta-chaves de TexColecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem?
Everton Pelisson: Gosto mesmo é das histórias, até porque no Brasil não temos outras opções de itens para coleccionadores, mas não descarto nada ligado ao nosso Ranger. Tenho poucos itens que não sejam revistas (alguns pósteres, uma camisa e o chaveiro feito pela Mythos entre outras coisas). Tenho também várias imagens do Ranger para um dia transformar em camisas, quadros, etc.

Everton Junior Pelisson e seus Tex'sQual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Everton Pelisson: Posso dizer que gosto muito de 90% das histórias de Tex (as 10% restantes, apenas gosto, he, he, he). Poderia citar aqui uma centena de histórias, mas vou mencionar apenas as que me vieram à cabeça automaticamente, sem nem mesmo parar para pensar em uma resposta. Gosto muito do Caçador de Fósseis (Tex Anual nº1 da Mythos), El Muerto (fenomenal), O Passado de Kit Carson, Oklahoma e Rio Selvagem (Tex Almanaque nº 3).
As edições dos 60 anos de TexQuanto ao argumentista, na minha opinião, Gian Luigi Bonelli (mesmo que nenhuma das histórias citadas acima, como minhas favoritas, tenha sido escrita por ele), o criador, não se discute, mas deixo aqui uma menção honrosa para o Bonelli filho (Guido Nolitta). Já quanto ao desenhador a escolha é mais complicada. Indiscutível, para mim, é o Galep. Dos actuais Villa e Civitelli são extraordinários, muito acima dos demais. Cito também entre os melhores, Ortiz, Fusco, Ticci, Letteri, Nicolò e Monti.

Os Tex's GigantesO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?

Everton Pelisson: O que mais me agrada é que Tex apresenta bom carácter, honestidade, lealdade, suas decisões são sempre sábias e a facilidade com que ele faz justiça, se “a coisa” não está dando certo ele vai lá da uns sopapos e resolve tudo. E quanto à segunda pergunta, nada me desagrada, posso dizer, para que não pareça que quero dar a entender que a personagem é perfeita, que o Tex nas histórias iniciais não me agradava muito, e hoje em dia penso que ele poderia sofrer um pouco mais nas aventuras, ser ferido mais vezes, falhar mais vezes…

A colecção de Everton Junior PelissonEm sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Everton Pelisson: Creio que acima de tudo, este sucesso é devido à competência de seus criadores que souberam atribuir características determinantes para solidificar a personagem. Deram vida a um herói de papel e desenvolveram histórias fantásticas. A manutenção das características de Tex pelos herdeiros profissionais de Bonelli pai e Galep são fundamentais para o sucesso da mítica personagem italiana. Não sou a favor de grandes mudanças (como fizeram com Zagor e acabaram com suas histórias, na minha opinião), não sou a favor do envolvimento de Tex com mulheres, que isso fique em nosso imaginário, que ele siga fiel à sua Lilyth, e continue apenas cumprindo com louvor seu papel de justiceiro, pois essa é sua função. Tex ganhou vida em uma época onde as opções de entretenimento eram menores, época em que havia mais paixão e menos negócio (dinheiro). Mesmo entendendo que o “produto Tex” tenha enorme potencial, não acho que o Ranger resistiria tanto tempo se surgisse nos dias actuais.

Everton Junior Pelisson e os Almanaques TexPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Everton Pelisson: Tex completou 60 anos. Está consolidado no mercado, mesmo sendo cada vez menor o número de jovens a demonstrarem interesse pelo género western e pela leitura de banda desenhada, acredito que Tex vencerá mais esta batalha, pois possui um público fiel, e permanecerá dando alegrias aos seus fãs e coleccionadores. Gostaria apenas que a SBE acabasse com a restrição quanto ao número máximo de páginas por história, aí sim, acho que voltaríamos a sermos brindados com roteiros cada vez melhores. Parabéns e mais 200 anos de vida para Tex e seus pards!

Prezado pard Everton Junior Pelisson, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

13 Comentários

  1. Oiiiii, gato!!
    Também sou do Paraná, pertinho de Cascavel, me diz uma coisa, você é comprometido? Fui muito com a sua cara e sou amarrada no Tex, vamos juntar nossas coleções?

    Lírio Branco

  2. Cuidado, pard Everton!
    Desse tipo de armadilha que a Lírio Branco está armando nem o nosso Tex escapou 🙂

    Saludos!

    Magno

  3. PARABÉNS, A SUA LINDA ENTREVISTA AMIGO, EVERTON PELISSON JUNIOR.
    As suas palavras completam os nossos corações bonellianos.
    E está linda sua coleção.
    Mesmo com todas as dificuldades.
    Parabéns, amigo.
    Até mais.

  4. Grande Everton! Você é um sujeito especial. Admiro pessoas intensas e que se dediquem com estusiasmo àquilo que gostam. Lhe felicito.

    Elizandro Pellin

    P.S. Não deixe de desfolhar a Lirio Branco, ela tá pedindo chumbo…

  5. Parceiro! Meus parabens pela brilhante escolha da revista, realmente é fabulosa (não porque sou também colecionador) mas porque é a melhor, isto é verdade.
    Lucílio Valério
    Obs. Não esqueça de pegar seu cavalo e fazer uma visita a Lírio Branco hehehehehe!

  6. Bela entrevista… Agora vou me gabar um poquinho… esse cara é meu irmão heheheh… valeu!

  7. Agradeço aos comentários e a todos que leram minha entrevista. Agradeço ao meu irmão Alexandre, que foi quem tirou as fotos, e agradeço principalmente ao Zeca pela honra concedida e ao Gervásio pela divulgação no TEXBR. Imensurável a alegria que estou sentindo por estar em destaque nesses dois sites que são referências mundial em se tratando de TEX WILLER e Bonellis em geral.

    PS: E fico no aguardo de um contato da Lirio Branco hehehe

  8. Estava procurando umas imagens de Santo António do Sudoeste e olha quem eu encontro. O popular CADORNA. Lembra que você emprestava suas revista para eu e o Herasmo ler? Também gosto muito de ler TEX, vejo que continua com sua coleção e adepto fiel da revista. Parabéns.
    Simei

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.