A homenagem de Bira Dantas a José Ortiz

Por Bira Dantas

Só posso dizer que acompanho o seu trabalho desde que vi a sua arte na saudosa Ebal nos anos 70.
A sua arte fez-me acompanhá-lo na revista Kripta.
Os álbuns europeus com os seus traços surpreenderam-me.
Segui amealhando os seus quadradinhos aqui e acolá.
Jayme Cortez havia me ensinado isso: seguir os Mestres verdadeiros.
Quando o vi desenhando o TEX, fiquei feliz.
Durante 45 anos os desenhos maravilhosos, luz e sombra cinematográficos e a arte-final perfeita de José Ortiz encheram-me os olhos.
Agora enchem-se de lágrimas, pois o que viria pela frente só poderá ser realizado em outro plano.
Vida longa ao Mestre José Ortiz!

A homenagem de Bira Dantas a José Ortiz

(Para aproveitar a extensão completa da ilustração, clique na mesma)

5 Comentários

  1. Belas palavras, irmão Bira. Traduzem o que sinto. Aprendi a gostar de Ortiz vendo Cimoc, Hombre, essas coisas que ele fazia tão bem. Me fascinava seu estilo sujo, cheio de rabiscos que davam a suas personagens algo de fascinante, sempre no meio termo entre heróis e vilões. Quando desenhou aquele Texone do assalto ao trem fiquei embasbacado. Lamentavelmente o formatinho da revista regular de Tex aniquilava sua arte espantosa, por não dizer fabulosa.

  2. Un bellissimo omaggio ad uno dei disegnatori che hanno reso con la loro opera, un west sporco, polveroso e dannatamente reale. Ortiz un disegnatore che solo la malattia ha potuto fermare, un professionista a tutto tondo che ha rispettato i suoi impegni ben oltre ciò che doveva fare. E’ stato anche molto criticato per questo e per la qualità che andava a diminuire nel tempo, ma rimane una delle migliori matite su Tex…
    Vaja con Dios amigo… 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *