Editor Dorival e tradutor Paulo Guanaes por caminhos minhotos

Editor Dorival e tradutor Paulo Guanaes
.
por caminhos minhotos

Por José Carlos Francisco (texto e fotos) e Orlando Santos Silva (fotos)

Orlando Santos Silva, Pedro Bouça, José Varandas Fernandes, Dorival Vitor Lopes, António Guerreiro e Carlos Moreira no aeroporto da Portela, Junho de 2014

O editor de Tex e demais edições Bonelli publicadas pela Mythos Editora, Dorival Vitor Lopes, aproveitando a disputa do Campeonato Mundial de Futebol no seu Brasil, resolveu fugir ao bulício da Copa para se deliciar com umas novas férias passadas em Portugal e como sempre acontece, vários Texianos portugueses esperavam o popular editor de bermudas, no cais de chegada do aeroporto da Portela em Lisboa. A ansiedade por rever o amigo Dorival, além de poderem apreciar os mais recentes lançamentos da Mythos Editora, pois o editor brasileiro, traria várias revistas, era enorme.


A hora do reencontro foi, uma vez mais, emotiva, em crescendo com a distribuição das revistas, para gáudio dos Texianos portugueses que o esperavam e que, mais uma vez, receberam de braços abertos o seu dilecto editor, acabado de chegar das terras brasilis.


Na recepção ao editor Dorival estiveram presentes alguns dos Texianos habituais (o Carlos Moreira, o António Guerreiro, o Pedro Bouça e o Orlando Silva) a que se juntou um “novo” Texiano nestas lides, o José Varandas Fernandes que rapidamente se integrou no grupo. Todos eles saudaram a vinda do editor Dorival e acompanharam em “comitiva” o mítico editor num passeio por Lisboa para a tradicional paragem nos famosos Pastéis de Belém, onde se juntou o “velho” Texiano Paulo Silva e ondeo repasto foi uma montanha de pastéis, cada um com um dedo de altura (macios, quentinhos, deliciosos), havendo portanto um gostoso massacre de deliciosos Pastéis e outros acepipes.

Dorival nos célebres Pastéis de Belém

Ao final da tarde o editor Dorival rumou ao norte de Portugal, mais precisamente a Anadia, capital da Bairrada e local onde o editor passou grande parte destas férias na companhia da família Francisco e onde se juntaram alguns dias mais tarde, Paulo Guanaes, mítico tradutor de Tex no Brasil e a sua simpática esposa Luciana para conhecerem o QG do Tex em Portugal e passarem agradáveis momentos com o editor Dorival e o clã Francisco.

José Carlos Francisco, Paulo Guanaes e Dorival Vitor Lopes no QG Tex em Portugal

Aproveitando a presença de Paulo Guanaes em Anadia, a visita ao Museu Benfiquista da minha mãe, Maria Nazaré Pereira, era ponto de paragem obrigatório. Toda a família é benfiquista, inclusive a pequena Ana Beatriz, mas o fervor e a paixão de Maria Nazaré Pereira pelo Benfica, Clube único de entre os demais, nobre na fundação, percurso e filosofia, aberto a todas as almas, indiferente à pobreza ou à riqueza é tão grande, grande demais para caber apenas no seu coração que ao longo dos anos foi juntando uma panóplia dos mais diversificados adereços benfiquistas a ponto de hoje em dia ter um verdadeiro Museu Benfiquista na Bairrada.

Nazaré Pereira, José Carlos, Paulo Guanaes, Luciana e João Monteiro no Santuário Benfiquista da Bairrada

Mas o grande passeio, nesta sua passagem de Paulo Guanaes e sua esposa por Portugal, foi na companhia de Dorival e do clã Francisco, ao território minhoto, mais precisamente à sua capital: Braga, a mítica Cidade dos Arcebispos, fundada pelos romanos como Bracara Augusta, com mais de 2 000 anos de História em constante desenvolvimento, crescimento e expansão.

Paulo Guanaes, José Carlos e Hernâni ao almoço em Braga

Em Braga, Dorival teve o prazer e a alegria de rever (e Paulo Guanaes de conhecer) o pard Hernâni Portovedo, administrador da SAD do Sporting Clube de Braga que nos concedeu o privilégio de almoçar connosco e nos brindou com uma visita guiada ao carismático Estádio Municipal de Braga, conhecido por Estádio da Pedreira embora o nome oficial seja Estádio Axa, um dos mais originais e belos estádios do mundo, onde para além de uma viagem ao relvado, também visitamos as bancadas, a área Vip e o magnífico Museu do Clube minhoto onde podemos ver os principais troféus conquistados pelo Sporting Clube de Braga.

Paulo Guanaes, José Carlos, Hernâni Portovedo e Ana Beatriz no Museu do Sporting de Braga

Hernâni Portovedo e Paulo Guanaes junto ao primeiro equipamento oficil do Sporting de Braga (ao centro, verde)

Paulo Guanaes, Hernâni Portovedo e a celebração da conquista da Taça da Liga

Hernâni Portovedo, Dorival e a Taça da Liga

O magnífico Estádio da Pedreira, em Braga

Finda a visita ao Estádio do Sporting Clube de Braga, tivemos o prazer de visitar a moradia de Hernâni Portovedo e rever a sua simpática esposa, a Lígia que nos brindou com um paladoso café e onde tivemos o prazer de ficar a conhecer a Biblioteca quadrinhística do carismático coleccionador, um dos maiores do mundo, biblioteca essa onde não somente Tex estava presente, muito pelo contrário já que o Hernâni é um verdadeiro coleccionador de banda desenhada na verdadeira acepção da palavra e entre os seus maiores tesouros estão velhas e raríssimas edições portuguesas e brasileiras dos primórdios do século passado e algumas das mais cobiçadas edições Disney…

Paulo Guanaes e Hernâni com a raríssima edição especial para Portugal do Almanaque Patinhas com crianças na capa

Despedindo-nos do Hernâni e enquanto não nos juntávamos ao pard Álvaro Machado, que jantaria connosco numa afamada pizzaria bracarense, rumamos ao Santuário de Nossa Senhora do Sameiro (ou, simplesmente, Santuário do Sameiro), um santuário que é um dos centros de maior devoção mariana em Portugal, logo depois do Santuário de Fátima e do Santuário da Mãe Soberana. Neste Templo, concluído no século XX (e iniciado em 14 de Julho de 1863), destaca-se no seu interior o altar-mor em granito branco polido, bem como o sacrário de prata.

Luciana e Paulo Guanaes no Santuário do Sameiro

Em frente do Templo ergue-se um imponente e vasto escadório, no topo do qual se levantam dois altos pilares, encimados com a imagem da Virgem Maria e do Sagrado Coração de Jesus, local onde aproveitamos para tirar algumas fotos que registassem eternamente a passagem de Dorival e Paulo Guanaes pelo mítico Santuário que encantou inclusive a esposa de Paulo Guanaes, a Luciana.

Paulo Guanaes, Dorival e José Carlos, com a cidade de Braga ao fundo

Seguiu-se uma visita ao Santuário do Bom Jesus do Monte, também referido como Santuário do Bom Jesus de Braga. Este santuário católico dedicado ao Senhor Bom Jesus constitui-se num conjunto arquitectónico-paisagístico integrado por uma igreja, um escadório onde se desenvolve a Via Sacra do Bom Jesus, uma área de mata (Parque do Bom Jesus), alguns hotéis e um funicular (Elevador do Bom Jesus).

José Carlos e Paulo Guanaes no Bom Jesus

A sua peculiar disposição serviu de inspiração para outras construções, como por exemplo o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios em Lamego, e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos na cidade de Congonhas, em Minas Gerais, no Brasil. Mais uma visita que encantou os nossos viajantes brasileiros.

Fátima e Andreia na escadaria do Bom Jesus

A hora do jantar aproximava-se a passos largos e houve que rumar novamente até à cidade de Braga para nos encontrarmos com o Álvaro que juntamente com a sua esposa Cláudia e a sua filha Hillary nos presentearam com um rodízio de pizzas e onde o nosso Tex foi sempre o centro das atenções até à hora da despedida e promessas de futuras passagens pelo Minho para rever tão queridos amigos…

José Carlos, Paulo Guanaes, Álvaro Machado e Dorival

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Caríssimo Zeca,
    momentos de fato inesquecíveis ao lado do maior divulgador mundial de Tex, dos seus simpáticos e hospitaleiros familiares, dos nobres amigos texianos e do responsável pela melhor fase da edição brasileira de Tex, Dorival Vitor Lopes.

    Saudações texianas a todos!
    Paulo Guanaes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *