As primeiras fotografias de ‘Tex – A Chicotada’, a mais recente edição de Tex em Portugal

Editor Mário Marques e a felicidade estampada no rosto pela realização de um sonho

A Seita é uma jovem editora de Banda Desenhada em Portugal, nascida da intenção e devoção de oito amantes da BD aos quais se juntou depois um nono, cuja missão é trazer o que de melhor a Nona Arte tem para oferecer, como é o caso de TEX, que tem como editores Bruno Caetano, João Miguel Lameiras, Luís Taklin e Mário Marques, mas para falar melhor da editora e da nova colecção de Tex, nada melhor do que dar a palavra a José Hartvig de Freitas, coordenador do projecto e figura reconhecida na BD nacional e responsável — directa ou indirectamente — por boa parte da banda desenhada editada em Portugal nos últimos 20 anos, primeiro na Devir, agora n’A Seita, passando pela G. Floy Studio e associado a projectos da Levoir, Panini e Salvat no nosso país: Como muitos fãs portugueses de BD sabem, A Seita nasceu da junção de vários projectos diferentes de edição de BD numa só empresa (uma cooperativa) que pudesse optimizar a utilização da experiência, dos contactos e da disponibilidade dos seus parceiros. E, de entre os vários projectos que fundaram A Seita, a colecção Aleph era um dos mais importantes, prova da importância do catálogo da Bonelli para A Seita, e da vontade dos seus parceiros divulgarem os fumetti italianos, até hoje tão pouco conhecidos em Portugal.

José de Freitas e Mário João Marques exibem a edição portuguesa de ‘A Chicotada‘, da autoria de Pasquale Ruju e Mario Milano

A colecção Aleph rapidamente se expandiu para incluir mais séries da Bonelli e era inevitável que se procurassem outras personagens e outras colecções para explorar. E Tex é sem dúvida a principal personagem da BD italiana (e uma das mais importantes e mais duradouras da BD mundial), e tem muitas linhas editoriais e colecções na Itália que podem ser “minadas” para bom material para editar.

Uma dessas colecções é quase perfeita para um mercado como o nosso, a colecção Tex Romanzi a Fumetti, constituída por álbuns em formato franco-belga, essencialmente histórias auto-contidas, que todos os leitores podem ler sem problema, sejam ou não fãs, conhecedores ou não de Tex. É essa colecção que A Seita começa, esta semana, a trazer aos leitores portugueses, com um ritmo de lançamento que planeámos inicialmente para três álbuns por ano, num formato semelhante ao italiano: capa dura, formato franco-belga, a um preço muito razoável.

Mário João Marques apresenta ‘A Chicotada’ com o selo d’A Seita

As histórias desta colecção seguem, como sempre, o ideário essencial de Tex como personagem, mas estão actualizadas em episódios extremamente dinâmicos, e fundamentalmente legíveis como um western clássico por qualquer leitor. Mais que isso, a colecção é de uma qualidade gráfica excepcional, um mostruário fenomenal dos melhores desenhadores do mercado italiano actual, com um trabalho de planificação bem diferente do dos Tex normais (devido ao formato mais amplo dos livros), e um trabalho de cor notável na maioria dos álbuns, como é caso do nosso primeiro título A chicotada, da autoria de  Pasquale Ruju (um dos autores fixos da equipa de Tex) e desenhada por Mario Milano.

A ilustrar este texto, temos as primeiras fotografias da edição portuguesa de ‘A Chicotada’ e nelas pode-se ver o júbilo de José de Freitas, mas sobretudo de Mário João Marques, um dos maiores fãs e coleccionadores de Tex a nível mundial e que depois de ter sido um dos fundadores do Clube Tex Portugal e de ser o director da Revista do Clube Tex, realiza um velho e almejado sonho: o de ser EDITOR de Tex!

José de Freitas e Mário João Marques e a efusiva alegria pelo nascimento de uma colecção de Tex com o selo d’A Seita

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.