60 anos de Tex Willer no FIBDA 2008, na revista ANIM’ARTE nº 71, do trimestre Abril, Maio, Junho de 2009

Texto da revista “ANIM’ARTE” nº 71 (a revista ANIM’ARTE é um projecto editorial do GICAV – Grupo de Intervenção e Criatividade Artística de Viseu), do trimestre Abril-Junho de 2009.
* José Carlos Pereira Francisco

60 anos de Tex Willer no FIBDA 2008

Tex Willer, a carismática personagem da banda desenhada italiana, criada em 1948 pela dupla Giovanni Luigi Bonelli & Aurelio Galleppini e que teve a sua primeira exposição em Portugal, em 2005, por ocasião do 14º Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, completou portanto em 2008, 60 anos de vida editorial e a efeméride foi condignamente comemorada no nosso país, integrada na 19ª edição do Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora (FIBDA), o mais consagrado do género em Portugal e um dos mais conceituados a nível internacional, que decorreu de 24 de Outubro a 9 de Novembro e cujo tema central apesar de ter sido a “Tecnologia e Ficção Científica”, organizou uma exposição dedicada ao sexagésimo aniversário desta personagem de aventuras da Editora Bonelli, mais precisamente uma mostra que incluiu páginas ORIGINAIS expostas pela primeira vez num país fora da Itália, o que mostra bem a consideração dada pela Sergio Bonelli Editore ao evento português, pois apesar de inúmeras exposições, realizadas em variados países, dedicadas ao inoxidável Ranger do Texas, tal nunca foi autorizado pelos responsáveis da editora italiana.

Estiveram expostas páginas originais que diziam respeito a toda a produção de 2008, com destaque para a história comemorativa dos 60 anos, escrita por Claudio Nizzi e desenhada por Fabio Civitelli, incluindo a exposição também originais da autoria de alguns dos mais consagrados desenhadores de Tex, como por exemplo o italiano Giovanni Ticci, o espanhol Alfonso Font ou o argentino Ernesto Garcia Seijas, mas igualmente pranchas desenhadas por alguns dos mais recentes elementos da equipa de desenhadores, como foram os casos de Marco Santucci, Marco Bianchini, Franco De Vescovi, Rossano Rossi ou Ugolino Cossu. Também estiveram patentes ao público algumas capas originais e respectivas provas de cor, todas da autoria de Claudio Villa, o herdeiro de Galleppini que se despediu dessa função desenhando um pouco antes da sua morte, a capa da edição nº 400.

A exposição teve ainda como hóspedes de honra, o ilustre e incansável Fabio Civitelli, precioso embaixador italiano de Tex, que regressou a Portugal, depois de ter sido o autor estrangeiro homenageado no Salão MouraBD2007, e o seu concidadão e colega, estreante no nosso país, Marco Bianchini, um dos mais antigos e mais conceituados desenhadores da Sergio Bonelli Editore, para onde entrou em 1985, tendo desenhado histórias de Mister No durante 20 anos até que foi promovido para o staff de Tex, tendo-se estreado na série italiana no passado mês de Outubro.

Ambos foram acolhidos com grande afecto por um público afável e bem informado, retribuindo com a sua simpatia e disponibilidade, presenteando os amantes da 9ª Arte com uma galeria de fantásticos desenhos feitos na ocasião, que a todos encantaram, não negando igualmente alguns minutos para falar, para ouvir e para trocar ideias sobre os mais variados assuntos, com as dezenas de ávidos texianos que os rodeavam durante as sessões de autógrafos, recompensando-os também deste modo, pela longa espera a que estiveram sujeitos devido ás longas filas, nunca negando inclusive um sorriso ou uma foto. Uma verdadeira lição de profissionalismo, humildade e amor pelos seus fãs e pelo seu trabalho que perdurarão, certamente, por muito tempo na memória daqueles que tiveram o privilégio de os viver, alguns dos quais vieram de longe, inclusive do estrangeiro, tudo por uma paixão comum: TEX.

A assinalar esta homenagem portuguesa aos 60 anos de Tex Willer, ocorrida no FIBDA foi produzido um gracioso pin oficial, feito propositadamente para o evento, com autorização da SBE e nele consta o logótipo tradicional de Tex, assim como a menção ao sexagésimo aniversário do Ranger e um desenho de Tex a cavalo da autoria de um dos mais consagrados desenhadores do mundo, o americano Joe Kubert!

E assim num curto espaço de tempo (2005-2008) TEX WILLER teve a sua terceira grande exposição no nosso país, facto de grande realce, inclusive porque Portugal é um país onde Tex não é publicado, embora recebendo desde 1971, as edições brasileiras, o que mostra bem o interesse, empenho e carinho dos texianos portugueses pelo lendário Ranger e mostra sobretudo a importância que a Sergio Bonelli Editore concede a Portugal, ao colaborar em exposições de tão alta importância, como bem atesta a mais recente, denominada “60 Anos de TEX“, depois da “Nova vaga de desenhadores” ocorrida na cidade alentejana de Moura em 2007 ou a relativa aos “Autores de Tex Gigante”, em 2005 na nossa cidade, todas elas contribuindo para que a longa cavalgada de Tex continue ainda por muito tempo, nesta sua incansável luta ao serviço de uma causa justa, entre índios e mexicanos, rancheiros e pistoleiros: ontem nos desertos do Arizona, hoje nos pântanos da Florida, amanhã nas infinitas pradarias do Texas, porque depois deste histórico passado de seis décadas, continuará sem a menor dúvida, crescendo no futuro, cada vez mais, a lenda de Tex Willer, o Águia da Noite…

Copyright: © 2009 Revista “ANIM’ARTE“; José Carlos Pereira Francisco
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.