Tex Série Normal: Os Cavaleiros do Wyoming

Os Cavaleiros do WyomingArgumento de Claudio Nizzi, desenhos de F. Fusco e capas de Aurelio Galleppini (nº 403) e Claudio Villa (nº 404 e 405).
Com o título original I Cavalieri del Wyoming , a história foi publicada em Itália nos nº 485 a 487 e no Brasil, pela Mythos Editora nos nº 403 a 405.

No Wyoming, Tessy Malone adquiriu recentemente um rancho no vale do rio Muddy. Bela mas perigosa, Tessy começa gradualmente a afastar os outros rancheiros da zona, com o objectivo de se tornar dona de todos os pastos e assim poder enfrentar os barões do gado. Os seus métodos não são os mais lícitos, e para isso conta com a colaboração de Jubal Ford o seu capataz.

Tex e Carson por FuscoDe passagem pelo Wyoming, Tex e Carson assistem ao ataque a um comboio que levava o gado de Jim Starrett, outro dos criadores da zona, e decidem ajudar os rancheiros a defenderem-se de Tessy Malone.

Na esteira de mulheres calculistas, como Lola Dixieland que vimos em “O Homem de Atlanta” (Tex Gigante 1, Mythos) ou Barbara Grayson em “Golden Pass” (Tex brasileiro 382 a 385), apenas para focar dois exemplos, Nizzi traz-nos uma aventura com uma trama clássica, a guerra entre criadores de gado, mas com a particularidade de conceder protagonismo a uma mulher dura e fria que anseia expandir o seu rancho em prejuízo da vizinhança, afastando todos os que se lhe opõem sem qualquer escrúpulo.

Arame FarpadoAo longo da aventura Nizzi introduz um certo elemento histórico, patente na utilização do arame farpado, não utilizado até então naquelas paragens, porque, segundo as próprias palavras de Tex “O pasto livre não vai durar eternamente“. Todos utilizavam o regime de pasto livre, as manadas pastavam nas terras do Estado, sem constrangimentos, sem divisões.

Nizzi consegue preparar bem a base da aventura, apresentar bem o cenário e desenvolver a contento as personagens. Primeiro centra a trama no rancho de Tessy Malone, apresentando-a como uma mulher determinada e cruel, que mercê da sua beleza consegue manietar de modo a que todos obedeçam aos seus desígnios, nomeadamente o seu capataz Jubal Ford, atraído por esta e que anseia a sua intimidade.
Depois, o rancho de Jim Starrett, criador à moda antiga, que não detém manadas pelo simples lucro, mas um criador de verdade.

Tex e Carson por FuscoNizzi lança então estes dados, contrapondo os anseios de Tessy com o conservadorismo de Jim, um homem pacífico que recusa pegar numa arma para fazer valer os seus direitos e que relutantemente acabará por aceitar a divisão dos pastos com arame farpado, sabendo que isso significa enfrentar Tessy. Ou seja, estão aqui todos os ingredientes que fazem as delícias do leitor texiano, contendas, grandes espaços, um Tex interveniente e tudo por causa de uma senhora com um carácter e uma construção muito interessante e dramática.

O Anjo da VingançaNo entanto, depois desta fase, a aventura evolui sempre sem grandes novidades, acentuada aqui e ali por episódios mais marcantes, como por exemplo a do incêndio no rancho de Tessy. Ou seja, mais do mesmo e que agradará certamente ao habitual leitor texiano, mas que, certamente, não saberá cativar os outros.

Fusco já provou saber desenhar os grandes espaços, as imensas pradarias, cenas de acção e sobretudo o elemento feminino, o que aliás ficou logo patente quando desenhou a sua primeira aventura para a série.
Um trabalho honesto, cuidado, sem grandes oscilações, mas que merece um reparo: o facto da figura de Tex ser sempre mais bem desenhada de frente em comparação com outros planos.

Texto de Mário João Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.