Tex Série Normal (Itália): Soldi sporchi

Soldi sporchiTex 561 – “Soldi sporchi” de Julho de 2007 e Tex 562 – “Sandy Well” de Agosto de 2007.
Argumento de Claudio Nizzi, desenhos de Pasquale Del Vecchio e capas de Claudio Villa. História inédita no Brasil e Portugal.
 
Clássico, elegante, claro, polido, preciso ou nítido, são adjectivos que podem caracterizar eficazmente o desenho de Del Vecchi, mais um dos novos desenhadores numa época que é de renovação no staff texiano. Depois de Mario Milano, de Garcia Seijas ou ainda de Corrado Mastantuono, surge agora a vez de Pasquale Del Vecchio desenhar a sua primeira aventura para Tex.
 
Del Vecchio é um nome conhecido não só no panorama dos fumetti, tendo sobretudo desenhado para Nick Raider e Napoleone, mas também do exigente mercado franco-belga, onde trabalha para a editora Humanóides Associés desenhando a série Russel Chase. Ao longo das páginas, apesar da estreia, o autor consegue assumir o espírito texiano e denota forte personalidade, manifestada na construção do seu Tex que, se por um lado foge um pouco dos modelos conhecidos, por outro apresenta um olhar semelhante ao Tex de Nicoló.
 
Arte de Del VecchioApesar do bom trabalho do autor, a verdade é que Nizzi não escolheu bem a aventura para a estreia de Del Vecchio em Tex e vejamos porquê.
Primeiro a história, que começa em pleno deserto, no Arizona e a sul do rio Gila, quando uma patrulha do exército que deveria levar o pagamento aos militares de forte Gila é brutalmente atacada, tudo levando a crer, por um grupo de índios. Tex e Carson suspeitam dos indícios e encontram a pista de dois cavalos ferrados, acreditando que no meio de tudo possam estar brancos. Os dois rangers lançam-se então nessa pista e em breve descobrem os autores do assalto, também eles vítimas do ataque de um grupo de índios yaquis, estes sim na posse do dinheiro.
 
Kit Carson por Del VecchioA sua missão é recuperar esse dinheiro e descobrir quem poderá ter planeado o roubo.
Tudo gira então num espaço preciso que se encontra delimitado pelo deserto com o forte Gila a servir de principal cenário. Este espaço bem delineado e pouco expansivo poderia e deveria dar azo a Nizzi para centrar o argumento eventualmente mais na caracterização das personagens, primando e exaltando as características e as atitudes de cada uma.
 
Pelo contrário, Nizzi manifesta sempre alguma superficialidade nesse domínio. Os índios surgem sempre como figurantes da trama principal, muito maniqueístas no seu comportamento e sem qualquer espessura psicológica. O mesmo sucede com as personagens de Leffert, Ryan e Becker, que surgem de modo esporádico na aventura, apenas para sabermos que tomaram parte no plano de assalto. O próprio sargento Tamblin tem um papel pouco preponderante e as despesas acabam por estar com o tenente Hogins ou com o capitão Patton.
 
Sandy WellFalta emoção, porque esta trama está já demasiado vista e revista e mesmo a identidade de quem está por trás do plano do roubo do dinheiro acaba por não surpreender. Muitas vezes temos uma aventura que parte de uma boa ideia, mas que falha no seu desenvolvimento. Desta vez, Nizzi está também falho de ideias, as ingenuidades são importantes (porque razão o capitão em fuga com o dinheiro pensa em juntar-se logo com a primeira mulher que lhe surge pela frente?) e a criatividade ausente (qual a razão de toda a cena final?). O grande Nizzi, o mesmo autor que soube substituir mestre Bonelli com competência dá não só mostras de fadiga, mas principalmente de desmotivação.
 
Prova que a renovação em Tex não será feita com ele e comprova à galeria dos apaixonados que o seu tempo já foi, o seu papel na série está feito e terá que ser não só preservado, mas sobretudo respeitado, o que parece ser esquecido por muitos.
 
TexImporta então sublinhar que se a aventura falha, não é com toda a certeza pelo trabalho gráfico de Del Vecchio, porque o desenhador denota quase sempre firmeza e segurança no traço, não receando enfrentar o grande desafio, interpretar graficamente o ranger e toda a aura de uma série mítica.
 
Texto de Mário João Marques
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.