Tex Série Normal (Itália): La banda dei tre

La banda dei treTex 554 – “La banda dei tre” de Dezembro de 2006 e Tex 555 – “Il killer misterioso” de Janeiro de 2007.
Argumento de Claudio Nizzi, desenhos de Fabio Civitelli e capas de Claudio Villa. História inédita no Brasil e Portugal.

Elmer Daves foi xerife toda uma vida. Agora, chegado à idade da reforma, Daves pretende dedicar os anos que lhe restam a descobrir quem foram os responsáveis pela morte da sua mulher, ocorrida 15 anos antes durante um assalto ao banco de Silver Bell. Por isso, pede a Tex que o ajude nesta tarefa, a que, apesar de renitente, o ranger vai aceder, porque compreende perfeitamente o sentimento de Daves. Afinal de contas, Tex passou pelo mesmo e nessa altura apenas foi guiado pelo sentimento de vingança.

Tex de Civitelli em acçãoUma boa sustentação para uma história frágil e pouco credível. A ideia de colocar lado a lado dois homens que sofreram a mesma experiência dramática é boa. Só mesmo Tex poderia compreender os sentimentos que movem Daves, porque ele próprio perdeu Lilyth em semelhantes condições. Mas se este é o ponto forte da aventura, também aqui reside a sua fragilidade, porque o argumento de Nizzi torna-se de difícil aceitação pelo simples facto de que, decorrido tanto tempo após os acontecimentos, as pistas dos assassinos ainda permaneçam vivas e ao dispor dos dois homens, pelo menos de modo tão explícito.

Il killer misteriosoPor outro lado, como explicar que Tex e Daves sigam uma pista fornecida por alguém que vive numa cidade fantasma, onde se manteve calado durante 15 anos? Como explicar também que os assassinos, após o roubo e o assassinato, tenham-se exilado nas redondezas e nunca tenham mudado, por exemplo, o seu nome? São pontos pouco credíveis, a juntar ainda ao facto que um homem da lei se resigne a esperar 15 anos para ir no encalço dos assassinos da sua mulher.

O desenho de Civitelli já foi amplamente elogiado e esta aventura não vem contrariar o que tem sido dito do autor. Traço limpo, seguro, firme, elegante que ajuda a criar uma atmosfera muito própria, caracterizada por um western perfeito no modo como é realizado. A sua aptidão é tanta que por vezes tudo parece demasiado certinho, podendo incorrer-se no erro de, em determinadas passagens, estarmos em presença de mais um ilustrador que um desenhador. O que seria algo injusto para com Civitelli, que reúne perfeitas condições para ser, como já o é, um dos grandes desenhadores de Tex.

Texto de Mário João Marques

Um comentário

  1. Sendo esta uma história inédita em Portugal, poderemos ver algumas pranchas, com excelente qualidade no desenho de Civitelli, durante o próximo salão Moura BD (com início a 26 de Maio e conclusão a 3 de Junho), onde o próprio Civitelli estará presente, nos dias 1 e 2 de Junho.
    Aqui fica o convite a todos os que gostam do traço deste genial desenhador italiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.