Tex Série Normal: A Volta de El Morisco

A Volta de El MoriscoArgumento de Mauro Boselli, desenhos de Guglielmo Lettèri e capas de Claudio Villa. Com o título original Il ritorno del Morisco, a história foi publicada em Itália nos nº 452 e 454 e no Brasil pela Mythos Editora nos nº 367 a 370.
 
El Morisco é uma personagem marcante no universo texiano. Criada em 1967 por G.L. Bonelli, na aventura Formiche rosse, o Bruxo Mouro, nome pelo qual também é conhecido, cedo se tornou numa das personagens mais fascinantes e emblemáticas, alguém a quem Tex recorre quando tem que enfrentar as forças mais ocultas e misteriosas. A sua presença em qualquer história é sinónimo de uma viagem através do desconhecido e onde tudo parece ser possível.
 
El MoriscoDepois de desvendar um pouco do passado de Kit Carson e de Tex (em “Os Invencíveis“), Boselli regressa ao mesmo registo e apresenta um pouco do passado de El Morisco, um passado enigmático e que começa na primeira metade do século XIX, quando, no deserto de Sakkara no Egipto, ele acompanha e auxilia Octave e Davids, dois egiptólogos que pretendem encontrar o túmulo de Akhran, um sacerdote que viveu na época de Amenófis IV, o que desagrada aos Filhos de Hórus, uma associação de nacionalistas fanáticos que pretende manter viva a cultura dos antigos egípcios.

Caçada no DesertoAnos mais tarde, Tex e Carson salvam Jesse Hawks, um velho ranger, de um ataque de índios e decidem ajudá-lo a perseguir Juan Raza, um mestiço que sequestrou duas crianças mexicanas. Mas este sequestro acabará por este intimamente ligado ao passado de El Morisco e a Akhran.

Boselli realiza uma aventura de grande fôlego em ambiente fantástico e histórico, onde faz uso da sua grande capacidade em utilizar o flashback e também em construir personagens de grande densidade psicológica.

El Morisco em acçãoAo falar de um certo passado de El Morisco, o autor levanta mais uma ponta do véu sobre tão enigmática personagem, fazendo igualmente uma certa evolução na mesma, algo que até então não tinha acontecido. Com a composição do mestiço Juan Raza e a relação que este vai estabelecer com as duas crianças sequestradas, Boselli prova a sua habilidade em caracterizar comportamentos. Raza assume-se ao longo de toda a aventura como um guerreiro implacável, duro e espontâneo, mas também alguém capaz de entender sentimentos e  de interpretar relações.

O Canyon da MorteLetteri tinha criado a figura de El Morisco no papel e foi com o seu traço que o leitor sempre se habituou a identificar a personagem. Por isso, nada mais natural que tenha sido ele novamente o escolhido para dar outro fôlego a El Morisco. Mas esta aventura é a prova cabal em como o resultado final de uma história pode ser prejudicado por um desenho sofrível. Já nos seus tempos áureos o desenho de Letteri pecou sempre por falta de dinamismo e uma certa repetição de planos e sequências. Agora, já com outra idade, o desenho de Letteri sofre dos mesmos defeitos e sobretudo começa a falhar nas formas e na ausência de rigor.

O Despertar da MúmiaNuma aventura como esta, onde a expressividade das personagens deveria estar sempre presente, o que não faria um Villa ou um Venturi, artistas que, para além das suas muitas qualidades, investem sempre muito do seu desenho na elaboração das personagens.

Texto de Mário João Marques

Um comentário

  1. Olá meu velho. Parabéns pela página. Sensacional. Sou colecionador – ou era – de Tex há muitos anos, desde a década de 70… tenho os números 2, 3… e por aí vai. Infelizmente, não os conservei como deveria. Vários números se perderam pelo caminho e os mais antigos estão deteriorados. Mesmo assim, não consigo me desfazer deles. Sempre os releio como se fosse a primeira vez. É bom saber que não estou sozinho. Um grande abraço. Marcos Hailton (marcoshailton@uol.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.