TEX GOLD, a NOVA colecção (italiana) de Tex

Por José Carlos Francisco

Capa inédita de TEX GOLD nº 1, da autoria de Giovanni Ticci

A “Collezione Storica a Colori” (Colecção Histórica a Cores) agregada ao quotidiano “La Repubblica” e ao semanário “L’espresso” na Itália, terminou a longa maratona com o ducentésimo trigésimo nono volume publicado a 25 de Agosto de 2011. Tratava-se de uma proposta semanal iniciada no longínquo mês de Fevereiro de 2007 e foi uma iniciativa que obteve um sucesso entusiasmante e que permitiu aos leitores italianos desfrutar, no espaço de apenas quatro anos e meio, de toda a carreira do Ranger mais famoso e mais duradouro do mundo da banda desenhada, pela primeira vez a cores.

Era suposto ser apenas um “experiência” limitada a 50 números e que, em vez disso, motivada por um sucesso tão extraordinário quanto imprevisível, tornou-se um “encontro semanal” mais ou menos obrigatório para dezenas de milhares de leitores…

A colecção que reeditou todas as histórias da série principal de Tex marcou a introdução triunfal da cor no universo do nosso Ranger, uma “entrada” que, em doses assim maciças, nunca se tinha visto antes. Não foi fácil, para muitos leitores conseguirem completar com sucesso a série inteira, fosse pelo compromisso financeiro que a empreitada requereu, fosse para a obrigação de encontrar na própria habitação, um espaço suficiente para acolher uma espécie de “montanha de papel”. Mas, a oportunidade era realmente imperdível – mesmo única – e, profissionalmente, a Sergio Bonelli Editore não podia deixá-la fugir tal como os números finais (e oficiais) o provaram.

A “Collezione Storica a Colori” ao longo dos seus 239 volumes vendeu um total astronómico de 27 MILHÕES de exemplares, o que deu uma média incrível de pouco menos de 113 MIL cópias vendidas a cada semana (a um custo unitário de 6,90€) e um facturamento incrível de 186 MILHÕES e 300 MIL EUROS.

Perante estes números elevados compreende-se hoje porque logo após o fim da “Collezione Storica a Colori” a Sergio Bonelli Editore e o grupo editorial Espresso-Repubblica lançaram a reedição, em “technicolor”, dos Tex Gigantes, colecção que trouxe, durante 25 semanas, prestigiosas assinaturas da banda desenhada italiana e até mesmo mundial…

A aventura de Tex a cores recomeça na Itália com TEX GOLD

Depois de Tex, seguiram-se edições nos mesmos moldes para Zagor (que actualmente vai no número 104) e Dylan Dog (recentemente terminado após o número 50) e muito em breve a aventura em “technicolor” do nosso Ranger vai prosseguir, mais precisamente a partir do dia 6 de Março, com TEX GOLD, nova colecção, com 30 volumes semanais, sempre com o selo editorial Espresso-Repubblica, que republicará (a cores) as aventuras publicadas nas séries Maxi Tex (Tex Anual no Brasil) e Almanacco del West (Almanaque Tex no Brasil), com a particularidade de ter capas inéditas da autoria de Giovanni Ticci e cuja capa do primeiro número, que trará as histórias “Oklahoma” realizada em 1991 por Berardi e Lettèri e “La ballata di Zeke Colter” datada de 1994 e da autoria de Claudio Nizzi, Stefano Biglia e Luigi Copello,  damos a conhecer neste texto.

Mas mesmo sendo ainda cedo, o blogue português do Tex pode já dar conhecimento aos seus leitores, embora sem nenhuma confirmação oficial, que após os 30 volumes de TEX GOLD, a “Collezione Storica a Colori” (Colecção Histórica a Cores) será retomada precisamente a partir do ponto em que foi interrompida (por falta de histórias já que todas tinham sido publicadas), ou seja, daqui a cerca de 9 meses teremos o lançamento da edição nº 240 (com a habitual capa inédita de Claudio Villa), desta colecção que nasceu fadada ao sucesso…

Campanha promocional de TEX GOLD em curso na Itália

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

5 Comentários

  1. Serão volumes mais espessos do que aqueles da Primeira Série de “Tex collezione storica a colori“.
    Certamente, mais um sucesso editorial do Ranger mais temido do Oeste.

  2. Pô é de tirar o fôlego!… mais uma coleção a cores na Itália! Será que um dia chegará ao Brasil?… Seria fantástico se acontecesse, seria uma maravilha para todos nós que curtimos os Fumetti!!!!

  3. Excelente! Essas reedições colorizadas são a melhor ideia no campo das HQ que vi nos meus mais de 60 anos de leitura, em segundo lugar, a reedição das obras completas de Carl Barks.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.