Tex Gigante: A Última Fronteira

Tex Gigante A Última FronteiraArgumento de Claudio Nizzi, desenhos e capa de Goran Parlov. Com o título original L’Ultima Frontiera, a história foi publicada em Itália no Tex Albo Speciale nº 11 em 1997 e no Brasil pela Mythos Editora em 2000.

A Última Fronteira é uma história de amor e vingança, uma aventura filosófica, recheada de impenetráveis florestas e inúmeros cursos de água, no fundo uma sentida e justa homenagem a Hugo Pratt, o inesquecível criador de variadas obras primas, mas que permanece entre nós mais conhecido pela criação do mítico Corto Maltese.

O croata Goran Parlov, senhor de um traço muito semelhante ao de Pratt e bem na linha do estilo Ken Parker, assina aqui um trabalho despretensioso e que, para nós, acabou por constituir uma agradável surpresa. O seu desenho, também aqui e ali inspirado no seu grande ídolo, o espanhol Alfonso Font, igualmente autor de Tex, mantém sempre uma certa cadência, conseguindo transmitir ao leitor toda uma atmosfera calma e segura, característica dos ambientes retratados na própria história.

Kit Carson e Tex por Goran ParlovO argumento de Nizzi surge-nos algo “desenquadrado” daquilo que estamos habituados a ver nas aventuras do ranger, com a acção a decorrer no Canadá, longe das pradarias e das extensas planícies do velho oeste americano.
Nizzi não contrapõe a Tex um fora da lei puro, uma personagem odiável, antes pelo contrário, em lugar de um certo maniqueísmo, quase sempre presente nas aventuras do ranger, a figura de Jesus Zane é alguém que, exasperado pela sua infância infeliz, procura justiça e que quer ligar o seu ideal de vida a uma razão íntima. Por isso, em nosso entender, toda a questão que perpassa pela aventura é sabermos ou tentarmos distinguir a fronteira entre razão e injustiça, porque Zane, ao procurar a sua razão está, por assim dizer, a cair no campo da injustiça.

Arte de Goran ParlovNizzi desenvolve o seu argumento com base num triângulo de personagens, uma vez que, para além de Jesus Zane, Nat representa a índole suave e idealista do argumento, enquanto que, por fim, Sheewa é o maior (e mesmo único) amor da vida de Jesus, representando tudo o que ele sempre desejou, mas que sempre viu negado.
Jesus Zane nasceu de uma união maldita, toda a sua vida foi um inferno, sempre movida pelo ódio e  pela vingança. Por isso, no final, o leitor acaba por não se surpreender quando Zane assume a sua morte como uma libertação.

Texto de Mário João Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.