Tex Férias: A Testemunha

Tex Férias nº 7 - A TestemunhaArgumento de Claudio Nizzi, desenhos de Vincenzo Monti e capa de Aurelio Galleppini.
Com o título original Il testimone, a história foi publicada em Itália nos nº 395 a 397 e no Brasil pela Mythos Editora no Tex Especial Férias nº 7.

Dois índios apanham um comboio para uma cidade onde Tex e Carson os aguardam. No entanto, durante a viagem, são vítimas de assassinato. Tex e Carson vão tentar descobrir o que está por detrás destas mortes, acabando por concluir estarem em presença de um grupo de notáveis, cujo passado está ligado aos índios.

O tema da civilização do velho oeste e o avanço da modernidade em detrimento dos povos autóctones, nomeadamente os índios, é recorrente em Claudio Nizzi. Uma vez mais, o autor italiano assina um argumento que apela a uma distinção entre brancos e índios sob um fundo de certa maneira maniqueísta, o que também não é novidade em Nizzi.

Tex em acção por MontiEm “A Testemunha”, os índios surgem-nos como estando presentes no fio condutor da trama, mas ausentes em quase toda a acção da mesma. Nizzi opta por um enredo em jeito de investigação policial,  deixando de lado algumas considerações psicológicas.

Se há desenhador texiano que mais se inspirou em Ticci ele foi Monti. O desenhador genovês não serviu apenas na adopção de um modelo para o ranger, todo o traço de Monti vai desembocar em Ticci. Não raras vezes, pensamos estar em presença de uma aventura desenhada por Ticci,  quando por exemplo o Tex de Monti é representado em planos médios.

O Tex de MontiNo entanto, Monti não é Ticci, não só porque falta ao seu Tex a imponência ticciana, mas também porque Monti não domina a ergonomia e a fisionomia como Ticci. Em tudo o mais, Monti demonstra estar à vontade em desenhar o velho oeste, conferindo aquela velha aura tão característica destes ambientes.

Texto de Mário João Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.