Pelé e Tex. Dois Mitos, uma aproximação: Baurú!

Por Nei S. Teixeira

Coisas inusitadas acontecem com qualquer um em qualquer momento. As vezes até bem agradáveis!
Num sábado chuvoso de Verão durante um planejado encontro de dois texianos na cidade de Baurú, 300 km a Oeste da cidade de São Paulo (Brasil), de repente, fugindo a qualquer expectativa daqueles fãs do “ranger mais temido do Oeste” deparam-se no interior de um clube futebolístico entrevistando importantes testemunhas oculares de factos da infância de ninguém menos que PELÉ. Sim… testemunhos da infância de Edson Arantes do Nascimento, o mundialmente famoso Atleta do Século de nome imortal: Pelé!

Tudo começou quando vindo de Macatuba acompanhado da minha esposa, conhecemos pessoalmente Fábio Augusto Misquiati, velho amigo do conhecido lusitano José Carlos Francisco, representante da Mythos Editora, em Portugal.

Fábio Misquiati e a sua estanTEXDurante prazerosa troca de informações frente à variada e rica colecção de Banda Desenhada de Fábio, incluindo todos os títulos de Tex Normal e diversas outras publicações históricas de fumetti, o visitado lembra que em algum momento conversara com o amigo português, fervoroso adepto do Benfica, sobre o BAC – Baurú Atlético Clube, associação desportiva local onde Pelé jogava na infância e adolescência.

O assunto aqueceu e em meia hora estávamos os três ao lado do simpático estádio! Máquina fotográfica na mão e sessenta minutos dentro do carro esperando a chuva amainar para, por fora do alambrado, registar o relvado que primeiro viu os dribles daquele que seria “o rei maior do futebol mundial“. Eram três horas da tarde quando o intento foi alcançado.

Da esquerda para a direita - Nei, Godoy e FábioMas era pouco. Decidimos solicitar junto à directoria do clube, autorização para entrar e “pisando na relva sagrada” registar lá dentro a nossa presença.

Deste momento em diante ocorreu uma sucessão de eventos e informações agradáveis proporcionados pelos membros da secretaria e administração do clube com os quais travamos contacto. Eis alguns:

“Sr. Nildemar Godoy“, a história viva do clube; que em 21 de Abril de 1964 formou uma equipe juvenil de jogadores onde mal passados dois meses se torna Campeã Municipal. Mantém-se nesta actividade até 1976 revelando neste interím vários talentos. Entre as suas descobertas destacamos Baroninho, Edilson Guimarães Baroni, que actuou no Palmeiras com Telê Santana e no Flamengo quando se tornou Campeão Mundial em Tóquio, Japão, numa disputa contra o clube inglês Liverpool em 1981.
Da esquerda para a direita - Godoy e LucianoTambém é o caso do Emerson Carvalho da Silva que jogou na Portuguesa, no São Paulo, foi para o Japão em 2003 e actualmente defende o Belenenses de Lisboa, Portugal, conforme nos explica o seu amigo de infância “Sr. Luciano do Carmo Sarti“; outro atleta e membro da secretaria do clube junto ao Sr. Godoy.

O simpático “Sr. Gerson Cardoso“, actual Presidente do BAC.

“Sr. Nevaldo Alle“, Conselheiro Vitalício e sócio Benemérito do BAC e parceiro de futebol de Dondinho, João Arantes do Nascimento, pai de Pelé que jogava muito bem, sendo inclusive Campeão Estadual de Futebol Amador pelo BAC nos anos 50. Prova que Pelé teve a quem sair.
É pelo Sr. Nevaldo que ficamos a saber da curiosa origem do apelido “Pelé”, o qual segundo ele se deve a uma “pelada infantil” quando elegeram para a baliza, o jovenzinho Edson Arantes, então com uns três anos de idade. Acontece que o Edson viera de Minas Gerais para Baurú um ano antes e lá havia um destacado guarda-redes chamado “Bilé”. Então o “goleirinho” Edson batia no peito e dizia: “Eu sou Bilé! Eu sou Bilé!” Que para seus companheiros soava “Pelé”, e assim ficou.
Da esquerda para a direita - Fábio, Nevaldo, Godoy e GersonResta-nos confirmar esta versão, talvez um dia na palavra do próprio Pelé! Porém não esquecendo que o Sr. Nevaldo acompanhou a vida deste fenómeno dos dois anos até os quinze, quando ele morava em Baurú e jogava no Baquinho Infanto Juvenil futebol amador do BAC.

Já perto das 19:00 horas e com a noite a chegar, despedimo-nos do Sr. Godoy que cortesmente nos acenava a possibilidade de conhecer, quando quisermos, a sala dos troféus e fotos inéditas do Clube e de Pelé. Por fim ainda recebemos destes novos amigos alguns brindes personalizados! Mas tudo isso será assunto para uma outra hora!

Aos anfitriões asseguramos que nosso amigo José Carlos Francisco, de Portugal, receberia as fotos e as várias histórias de Pelé que deles escutamos. E que talvez, a imensa comunidade Texiana na Internet, também os conheceria e ao seu precioso e vitorioso Clube encravado no Oeste do estado de São Paulo.

Neide e NeiPróximo das 20:00 horas a Neide (minha esposa) e eu registamos a derradeira foto do agradável encontro Texiano na bela Baurú de Fábio Misquiati; do Baurú Atlético Clube; e do Príncipe Pelé, e rumamos para Macatuba City com a alma transbordante, desejando logo contar a todos, este outro acontecimento de uns felizes Texmaníacos.

* Sobre o Baurú Atlético Clube – BAC, algumas curiosidades:

– Foi criado por um grupo de rapazes em 1919 após exitosa partida de futebol disputada numa cidade vizinha;
– Inicialmente chamava-se Luzitana Futebol Clube em homenagem ao primeiro Presidente eleito, Sr. Antonio Garcia, português, Gerente da Casa comercial Luzitana;
– Passou a chamar-se Baurú Atlético Clube (BAC) em homenagem à cidade de Baurú por ocasião do seu cinquentenário de fundação em 1946;
– Pelé é o sócio número 01 do Baurú Atlético Clube documento de 1966 quando o clube passou a Recreativo. Pelo registo da ficha de arquivo de Pelé, na época consta que a sua residência se situava na Rua João Pessoa n° 64, na cidade de Santos-SP;
– Localizado no bairro Alto da Cidade, à rua Macedo de Guimarães – Quadra 1 próximo ao centro, o campo de futebol do BAC conta actualmente com parte de seu tamanho original reduzido, espaço este ocupado por moderno parque aquático.

* Quadros vistos em nossas mãos nas fotos 2 e 3:
Maior – Baquinho Infanto Juvenil 1954, com Pelé (sentado na bola) aos 14 anos.
Menor – Dondinho (pai), Celeste (mãe), Pelé e Nevaldo Alle (ex-Presidente e Conselheiro Vitalício do BAC), foto de 1994.

Por Nei S. Teixeira – Macatuba SP – 06 de Março de 2004
(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Olá Teixeira, parabéns pela matéria. Acabei de ler suas anotações e ficaram muito boas. Precisamos de mais pessoas como você para divulgar esta história tão importante que faz parte do nosso futebol.

    um abraço,
    Nildemar Godoy

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *