Papa Francisco agradece, inclusive a CLAUDIO VILLA, felicitações por 1º ano de pontificado

Por José Carlos Francisco

O Papa Francisco agradeceu pelo Twitter no passado dia 17 deste mês todas mensagens de afecto que recebeu por ocasião de seu primeiro ano como pontífice da Igreja Católica, desde que foi eleito em conclave sucessor de Bento XVI em 13 de Março de 2013.

Obrigado por todas as manifestações de carinho no aniversário de pontificado. Por favor, continuai a rezar por mim“, escreveu o Papa quatro dias depois do evento.

O Papa Francisco agradecendo pelo Twitter

No dia em que completou o primeiro aniversário de sua eleição, Bergoglio estava na cidade romana de Ariccia realizando exercícios espirituais em virtude da Semana Santa e dedicou o dia a rezar.

No dia 17, o pontífice publicou no Twitter um breve “Rezai por mim“, o mesmo pedido que fez há um ano ao aparecer na varanda da Basílica de São Pedro para se apresentar ao mundo.

Papa Francisco na arte de Claudio Villa

Entre os destinatários deste agradecimento, está também o prestigiado desenhador de Tex Claudio Villa, uma vez que o autor das capas de Tex, por ocasião deste primeiro aniversário do pontificado do Papa Francisco desenhou para o periódico L’Osservatore Romano um retrato do Papa Francisco, desenho esse que damos hoje a conhecer aos nossos leitores do blogue do Tex, na ilustração publicada aqui ao lado.

Claudio Villa é tão católico a ponto, diz a lenda, de ter rejeitado a realização, nos anos 90 do século passado, das capas de Dylan Dog, outra mítica personagem da editora localizada na Via Buonarroti. Não é uma lenda urbana, confirma Villa a Roberto Genovesi «não me sentia à vontade em participar num modo convicto devido ao rumo que estava a seguir Dylan Dog. Não me arrependo de nada, mesmo tendo essa escolha me custado imenso. Com o passar do tempo tudo se recompôs e hoje desenho as capas de Dylan Dog para uma série de histórias especiais».

Claudio Villa desenhando

«De aprendiz cristão, que ainda me considero, sinto-me uma criança que tem um grande desejo de compartilhar a beleza que alguém colocou no meu caminho. O caminho está longe de ser fácil: mais escavo, mais dura se torna a rocha e mais me canso. E descobres as tuas misérias, junto com a misericórdia que as acolhe. Estás tão feliz que não podes deixar de dizer a todos… não posso fingir aquilo que não sou. Se a fé é uma parte de ti, põe-na em tudo o que fazes. Torna tudo natural: as escolhas que fazes, o modo como desenhas algo. É na vida que fazes que se vê aquilo em que crês. Estou convicto. E transmite-lo mesmo quando não te dás conta. Eu penso que nada acontece por acaso e que esta, e não outra, era a minha estrada. É claro que eu sempre considerei um grande dom aquela espécie de magia que faz sair, de um simples lápis, uma personagem que vive. E se se torna agradável ler Tex talvez seja também porque quem o lê admire os valores importantes da vida e mesmo que se encontre em casa,  é transportado para as pradarias do  Arizona».

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Não sabia que o Villa tinha deixado de desenhar as capas do Dylan Dog por motivos cristãos. É isso mesmo ou entendi errado?!!!

    • Você compreendeu bem, pois foi isso mesmo, pard Jário. Assim o confirmou o próprio Claudio Villa 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *