Páginas (de Tex) inéditas da autoria de Nadir Quinto

Por José Carlos Francisco

Nadir QuintoNadir Quinto, um dos mais conceituados desenhadores italianos, nasceu em Milão, Itália, em 26 de Novembro de 1918.
Frequentou a Academia de Belas Artes de Brera, interrompendo os estudos em 1938 para se estrear como desenhador realizando “L’Arciere Nero” para o editor Mario Conte.

Mas logo após esse passo, foi chamado às armas para combater na Segunda Guerra Mundial e foi somente depois da Guerra que começou a sua carreira como ilustrador profissional, trabalhando para inúmeras publicações, com destaque para personagens e séries como por exemplo: Robin Hood, Tom Bay, Swea, O Mago de Oz, As Aventuras de Tom Sawyer, Peter Pan, Wendy, As Mil e Uma Noites, Larry Yuma

Depois de várias tentativas para tê-lo entre os seus colaboradores, finalmente em 1992, o editor Sergio Bonelli, conseguiu por fim que Nadir Quinto aceitasse desenhar uma aventura para o mítico Ranger Tex Willer, aventura essa que estaria prevista, fosse editada na prestigiada série “Tex Gigante“, mas infelizmente as suas páginas nunca viram a luz do dia porque entretanto Nadir Quinto faleceu, mais precisamente em 15 Março 1994.

O blogue do Tex tendo acesso a parte deste seu trabalho com Tex, dá a conhecer a todos os Texianos, duas das páginas desenhadas pelo falecido desenhador italiano.
Páginas de uma história escrita por Claudio Nizzi, intitulada “I lupi del Colorado”, deixada incompleta devido à sua morte (para aproveitar a extensão completa das páginas abaixo, clique nas mesmas).

Página A de Nadir QuintoPágina B de Nadir Quinto
.

Continuando com o tema, esta história de Claudio Nizzi, foi depois passada para outro desenhador do staff do Ranger, em concreto a Ferdinando Fusco, que a redesenhou desde o seu início e foi editada nos meses de Junho e Julho de 1996 nos Tex’s italianos # 428 e 429.

História essa que saiu no Brasil pela Editora Globo em 1998 e pode ser vista nas edições de Tex # 340 a 342, tendo tido como título “Os Lobos do Colorado“.

Finalizamos este artigo, comparando as páginas desenhadas por Nadir Quinto e Ferdinando Fusco, páginas essas da mesma página do roteiro, para se poder visualizar que uma mesma situação pode ter interpretações diferentes por desenhadores diferentes… (para aproveitar a extensão completa das páginas abaixo, clique nas mesmas)

Página A de Nadir QuintoPágina A de Ferdinando Fusco
.

Página B de Nadir QuintoPágina B de Ferdinando Fusco
.

Fonte:
Spazi e colori della fantasia: Mario Uggeri e Nadir Quinto, Edizioni IF

4 Comentários

  1. Desconhecia completamente este facto. Muito interessante poder comparar a interpretação da mesma história, por artistas diferentes. Teria sido óptimo, na altura da publicação da história no Brasil, terem informado os leitores e publicado algumas pranchas. Não é referido quantas pranchas desenhou Nadir, por acaso sabes? Recordo que para situações semelhantes, Nolitta optou por continuar a história por outro desenhador.
    Porque optou por uma solução diferente?
    Sérgio Sousa

  2. Caro pard Sérgio Sousa quando abordei este assunto com o editor Sergio Bonelli (Maio de 2004) fiquei a saber que Nadir Quinto tinha desenhado um pouco mais de 100 páginas. O motivo da não publicação delas pelo que me recordo deviam-se a dois factores… ser um desenhador estreante em Tex e por norma essas histórias não são continuadas por outros autores (havendo obviamente algumas excepções no passado) mas sobretudo porque a maioria das pranchas foi desenhada quando Nadir Quinto já padecia do mal que veio a falecer e Sergio Bonelli não as achou à altura da sua fama e preferiu restituí-las à família sem as publicar e já nessa altura Sergio Bonelli crê que fez a melhor opção, pensando sobretudo no grande nome (e passado) do autor. Aliás é por esse mesmo motivo que por exemplo as últimas pranchas desenhadas pelo mítico Galleppini nunca foram publicadas até hoje…

    Mas voltando ao artigo, o motivo porque só agora eu o trouxe a público, foi devido a um Amigo italiano perguntar-me precisamente ontem se eu sabia que Nadir Quinto tinha desenhado o nosso Tex antes de falecer… e daí a este interessante artigo, foi um pequeno passo, que espero tenha agradado a maioria dos Texianos…

  3. Não podemos deixar de notar, e comentar a diferença entre ele e o Fusco.
    A pagina desenhada por Fusco é infinitamente superior.
    AMoreira

  4. O Nadir Quinto dos últimos anos era uma sombra do que era.
    Além de que, comparado com Fusco, tinha um estilo de figuração narrativa muito “clássico” e menos dinâmico.
    Mas sempre foi um grande autor a nível de ilustração e de cor.
    Procurem na net por trabalhos dele (no site do “Look and learn” há bastantes ) e verão porque é que Bonelli decidiu não publicar o trabalho dele: é que não se compara mesmo. Mas enfim, todos envelhecemos e as capacidades vão diminuindo com a idade e a doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.