13 Comentários

  1. Grande Bira!

    Parabéns Amigo, a carica reflete o sentimento de tristeza da Texianos.

    Abraços,

    Sílvio Introvabili

  2. Grande “carica”, como sempre, Bira. Belíssima homenagem. Será que eu posso usá-la para ilustrar uma matéria que estou fazendo? Responda para meu e-mail ou para o Zeca.
    Um abraço enlutado.

  3. Que bacana esta homenagem e a grande sacada, parabéns Bira!!
    E, legal Dorival estar montando uma matéria, pensava em sugestionar algo do gênero – temos tido várias artes sobre a temática-, e como dizia no fórum TEXBR antes desta notícia trágica, aquelas capas internas em branco do Zagor Especial poderiam conter artes dos leitores/pards, desta forma traríamos a participação de novos autores/leitores que gostariam de ter algo publicado!! A se pensar!

  4. Uma homenagem não poderia ser mais adequada! Mas, caso o de vermelho seja mesmo Zagor (já que o Vander levantou a dúvida), achei perfeito ele ter ficado na frente e Tex atrás, uma vez que Zagor é “filho” de Sergio (digamos que Tex é “enteado”). Valeu mesmo, Bira!

  5. Bira é mestre, o Zeca ficou perfeito! rsrs!! Mas achei interessante a sacada do Vander, faltou só o Bira acrescentar a bola amarela do Zagor!

    E que a cavalgada do Nolitta pelas pradarias celestiais seja suave!

  6. Além de a Itália perder esse extraordinário italiano, o Brasil perde um de seus maiores admiradores. Eu soube que Sergio Bonelli encantava-se com a Amazônia e que a visitou várias vezes, sem a menor preocupação de passar por Rio ou São Paulo.
    Fico com um gostinho amargo de não ter renovado um encontro rapidíssimo que tive com ele em 1987, na editora Rio Gráfica, no Rio, ele como editor que licenciava Tex para nosso deleite, e eu como subeditor e tradutor, mas muito mais como um fã desse ser humano especial.
    Bem, agora há uma trinca de ouro aprontando todas lá em cima: Gianluigi Bonelli, Galep e Sergio Bonelli.

  7. Bela homenagem, com um título muito bem escolhido! Parabéns ao Bira Dantas! E claro que o personagem da direita não podia ser outro senão o Zeca, junto do seu amigo Tex Willer e do seu “pai adoptivo” Sergio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.