Livro “Tex no Brasil, o grande herói do faroeste” e revista “TexBR” em destaque no editorial de Tex Nuova Ristampa 266

As relativamente recentes edições brasileiras publicadas por G. G. Carsan (Tex no Brasil – O Grande Herói do FaroesteEditora Sal da Terra-) e por Gervásio Santana de Freitas (Revista TexBR #1) motivaram  Sergio Bonelli, o carismático editor italiano, a dedicar um novo editorial de uma edição italiana de Tex ao Brasil, mais precisamente na edição #266 de Tex Nuova Ristampa, datada de 30 de Outubro de 2010.

Devido à tradução de Júlio Schneider, tradutor e consultor Bonelliano da Mythos Editora, podemos ver o texto escrito pelo responsável-mor de Tex na Itália, na nossa língua:

Caros amigos,

Eu suspeito que o relativo desaparecimento do nosso Tex dos principais mercados europeus (o francês e o espanhol, por exemplo) tenha direccionado o interesse de muitos leitores para um País que eu sempre defino como o seu penúltimo baluarte (o último, como se sabe, é a Itália), no qual o nosso velho e querido goza de excelente saúde. Eu me refiro, como já se percebeu, ao Brasil, terra à qual me ligam tanto as minhas memórias de viajante quanto os interesses e desafios da minha profissão. Então, como eu dizia sobre a saúde do nosso herói, a actual editora de Águia da Noite, a Mythos, não faz economia de papel e, nos últimos anos, multiplicou as publicações inéditas e as reedições e, de consequência, até a reduzidíssima crítica de BD do País encontrou estímulo para apresentar ensaios e pesquisas que resumem a história texiana desde a sua primeira aparição, nos distantes anos Cinquenta.

Depois da longa divagação brasileira que apresentei há pouco tempo aqui nesta página (a partir do n° 256 da série), quero apontar também – se bem que com um atraso do qual, desordenado como sou, assumo todas as culpas – a obra de um amigo de além-mar que compartilha a nossa paixão pelo faroeste de papel. Destaco que G. G. Carsan – este é o seu nome – não se limitou apenas a fazer Tex no Brasil, o ensaio cuja capa se vê ao lado, como habitualmente se desdobra para organizar encontros de leitores na sua cidade de João Pessoa, no Nordeste. O que eu posso dizer? O livro de trezentas páginas, publicado de forma artesanal e sem objectivo de lucro por este incansável arqueólogo dos quadradinhos, representa uma mina de curiosidades e até – detalhe muito útil para um desmemoriado como eu – um simpático pró-memória das aventuras do passado.

Para difundir o seu livro, o autor – que eu só conheci (vestido de Tex, evidentemente) nas imagens em DVD que ele me enviou – encarou por conta própria não sei quantas viagens numa terra como a dele, que pequena não é. Mas fez isso de bom grado porque, na sua visão e como se pode ver escrito no rodapé do marcador de páginas (visto abaixo) distribuído com o volume, as HQs, as Histórias em Quadrinhos no Brasil, fazem parte da Cultura, aquela com C maiúsculo.

Não menos aguerridos são os editores de uma prazerosa revista que, aqui, poderíamos definir como fanzine, cujo primeiro número saiu no segundo semestre de 2009. A publicação chamada de Texbr não fala só de nós, mas é indiscutível que as personagens da Casa Bonelli levam a parte do leão.

Não por acaso na capa mostrada ao lado destaca-se um estatuário Tex Willer pintado por Fabio Civitelli, enquanto que no conteúdo podem-se ver artigos sobre Zagor e Júlia, que levam a assinatura de nossos colaboradores como Moreno Burattini e Stefano Priarone, além, é claro, do advogado-tradutor Júlio Schneider. Sim, o mesmo Júlio Schneider que um dia desses, talvez a descansar preguiçosamente na praia próxima à sua bela cidade de Curitiba, contou-me por telefone a longa história da mais grosseira e indigna falsificação sofrida, justamente no Brasil, por Tex Willer. Na próxima eu conto isso em detalhes.

Um abraço.

Sergio Bonelli

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

13 Comentários

  1. Obrigado pela pronta tradução, Júlio. Obrigado por postar este editorial tão rapidamente, Zeca. É para mim, manager à frente do Portal TexBR e da Revista TexBR, motivo de muito orgulho e de muita alegria ter o reconhecimento de Sergio Bonelli, tendo em vista o grande desafio e o enorme trabalho que foi para publicar a Revista TexBR 01. Como também o é para G.G.Carsan, lutador incansável pela causa texiana, como nós aqui no Rio Grande do Sul. Obrigado a todos que abraçam diariamente o Portal TexBR, visitando os conteúdos publicados desde o distante agosto do ano 2000. É em função de vocês todos que este trabalho de divulgação de TEX e dos demais personagens da Casa Bonelli é feito. E muito mais vem por aí. Palavra de texiano!

  2. Parabéns a vocês Gervásio e GG Carsan, pois é mais do que merecido esse reconhecimento por parte do Sergio Bonelli, pois vocês são lutadores incansáveis na divulgação do mundo Bonelli, sem pedir nada em troca. Uma homenagem mais do que justa.

    Abraços

  3. Um fato desses é para ser degustado como um bom vinho, aos poucos. Primeiro surgiu a notícia que esse editorial sairia; segundo, saiu o editorial com o Mocinho do Brasil, livro do Gonçalo Jr. (e senti que sairia com o Tex no Brasil); terceiro, o Pard Zeca disse que eu teria uma surpresa das boas e grandes, um dia desses – e fiquei desconfiado; quarto, saiu a matéria, quase concomitante com o lançamento do Tex NR 266, e isso é mais uma dessa dupla explosiva Zeca e Júlio Schneider; e por quinto, a alegria de saborear a matéria e as palavras do Sergio Bonelli, repetidas vezes, ver o trabalho reconhecido pela mais alta corte texiana.
    Muito me apraz que até para o Sergio Bonelli o livro sirva de referência, pois foi um dos motivos que me fez debruçar sobre a coleção e juntar as informações contidas nas revistas, sejam dados reais, curiosidades, temáticas, etc., até ser taxado de arqueólogo dos quadrinhos na matéria.
    Por ser uma coleção longa, a completar 40 anos em 2011, eu sentia a falta de material que pudesse resumi-la, justamente para juntar as peças soltas e ajudar a todos os colecionadores, e por sorte, isso aconteceu.
    Agora só falta ter a revista em mãos e ver a matéria original. Revista que será guardada junto com outra, onde sou citado por conta das Expo-Tex que realizei.
    Aproveito para enfatizar que tudo isso é produto de uma, ou várias, ações. Não se colhe o que não se plantou. Hoje podemos dizer que existe um histórico texiano no Brasil com um índice que vai despertando a curiosidade: são várias coleções, várias exposições, vários encontros, livros lançados e uma turma unida que faz muito barulho.
    Qual outro personagem, isolado, faz tanta zoada como o Tex, hoje, no Brasil?
    Outra coisa que me alegra é ver o Brasil e minha João Pessoa em destaque, pois o exterior ainda vê o Brasil como um país atrasado, e eu mesmo sabendo das nossas deficiências, sei que é bom que vejam a nossa luta e evolução, com ênfase para a Cultura, como frisa o Sergio Bonelli.
    Forte abraço a todos os envolvidos e até a próxima,
    G.G.Carsan

  4. Levi Trindade, editor da Mythos, via Twitter (@LeviTrindade), escreveu:

    @PortalTexBR @ggcarsan Parabéns a vocês pelo reconhecimento do lendário Guido Nolitta. Vocês merecem, meus amigos.

    Obrigado, Levi, por suas palavras.

    Tenham todos a certeza de que, tanto eu quanto o G.G.Carsan (que conheço bem de que fibra é feito) continuaremos na divulgação de TEX e de nossos heróis de papel.

  5. Bacana mesmo, esse reconhecimento do Sergio Bonelli… Demostra humildade e respeito para com os consumidores dos produtos criados por sua empresa.
    Sergio ainda é daqueles empresários nostálgicos, da época em que os criadores de HQs tinham amor naquilo que faziam, e não visavam somente o lucro financeiro, como é a regra no mercado de hoje.

  6. O blogue do Tex, na minha pessoa, dá os mais efusivos parabéns ao G. G. Carsan e ao Gervásio Santana de Freitas pelo histórico facto de terem visto as suas publicações elogiadas por ninguém menos do que o próprio editor de Tex: Sergio Bonelli, algo que mostra o quanto estes dois grandes pards (que me servem de inspiração na difícil, mas muito prazerosa, missão de divulgar o nosso Ranger) têm feito em prol de Tex Willer e de todos os texianos.

    E quem deve agradecer, sou eu, ou melhor, somos todos nós pelo fantástico trabalho que fazem aliado á enormíssima paixão que nutrem pelo nosso Tex!

  7. Tão prazeroso quanto ler as histórias da Bonelli é ler seus bastidores; os editoriais, as cartas, as matérias e reportagens, tudo isso me agrada muito e mostra como os responsáveis por nossos gibis, aqui e na Bota, adoram o que fazem. É muito emocionante, e eu imagino como o Gervásio, o GG e todos os texianos citados nesse e em outros artigos se sentem ao ver seu nome na página da revista de seu herói favorito. Eu já pude sair em várias publicações aqui da Mythos, e sei que é uma alegria (e uma responsabilidade, de certo modo) tremenda. Em nome de todos os leitores de quadrinhos/quadradinhos Bonelli, mando os parabéns a esses incansáveis divulgadores de nossos heróis de papel!

  8. Esses dois senhores (GG e Gervásio) merecem tudo isso e muito mais… Pois são dois baluartes texianos, dois pilares de sustentação do ranger em terras brasileiras.

  9. Livraria do Trem, em São Leopoldo/RS, onde tenho grandes amigos, via Twitter (@livrariadotrem), escreveu:

    @PortalTexBR @ggcarsan Parabéns pelo merecido reconhecimento dado por Sergio Bonelli ao trabalho sério que vocês vem realizando

    Obrigado amigos da Livraria do Trem. Seu trabalho em prol da cultura em São Leopoldo, livros, revistas e gibis, também é sério e já é referência em nossa região. Sucesso sempre!

  10. Também agradeço ao Marcílio Ferreira, ao Adriano Bruck, ao Filipe e ao Neimar pelas elogiosas palavras que dispensaram a mim e ao G.G.Carsan. Caramba! Esse editorial de Sergio Bonelli aumenta ainda mais a nossa responsabilidade! Mas não fugiremos ao desafio!

  11. De CORAÇÃO, parabenizo o Gervásio e G.G. Carsan pela incansável luta na divulgação dos quadrinhos Bonelli no Brasil e o reconhecimento merecido.
    PARABÉNS… amigos texianos Gervásio Santana de Freitas e G.G Carsan, aqui na Fronteira Oeste ficamos felizes com a notícia e compartilhamos da alegria de vocês!

  12. Olá pards, retorno para agradecer a todos pelas palavras de incentivo e de reconhecimento externadas acima.
    Dizer que é muito gratificante para mim.
    Marcilio, Bruck, Filipe, Neimar, Zeca, Levi, Marcelo Tajes e Marcos Matias, o meu mais forte abraço e obrigado.
    G.G.Carsan

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.