Lançamentos Mythos Editora: Mágico Vento volta ao Brasil (pela Mythos Editora) em Graphic Novel Deluxe (a cores)

* Confirmando o anunciado pela Editora Mythos, Mágico Vento, a fantástica criação de Gianfranco Manfredi que chegou aos quiosques brasileiros em 2002, vai mesmo voltar, ainda este ano, ao Brasil e desta vez totalmente a cores e na forma de Graphic Novel Deluxe, contendo inclusive capa dura, papel especial nas suas 204 páginas e no interessante formato 198 x 267 mm. O preço de capa é de 69,90 Reais..


Com argumentos elogiados do italiano Gianfranco Manfredi e arte de nomes como José Ortiz, Ivo Milazzo, Goran Parlov e Pasquale Frisenda, dentre outros, a saga de Ned Ellis, um soldado acolhido por uma tribo indígena e que assume o papel de xamã, conquistou, no Brasil e em Portugal, um bom número de leitores fiéis, que garantiram a publicação do título até seu final – que aconteceu na edição # 131, lançada em Maio de 2013. Quem já conhece a criação de Manfredi pode agora degustá-la a cores e coleccioná-la novamente, sendo ainda uma nova oportunidade para quem sempre quis conhecer Mágico Vento e por um ou outro motivo nunca chegou a lê-lo.

Apresentamos hoje em rigoroso exclusivo, não somente o anúncio oficial da nova publicação que trará as duas primeiras aventuras da saga de Mágico Vento e cujo título é “Forte Ghost“, como se pode comprovar nas ilustrações desta notícia, tendo a esperança que este novo lançamento seja um grandioso sucesso a ponto de permitir à editora brasileira de poder publicar integralmente a cores as cerca de 15 mil pranchas que compõem a longa saga do herói Bonelli Mágico Vento.


Segundo o próprio Gianfranco Manfredi “Em Mágico Vento tudo é historicamente documentado e nem mesmo as lendas são inventadas, elas fazem parte da cultura dos nativos americanos. Mágico Vento jamais encontrou vikings ou soldados da Legião Estrangeira no oeste, e muito menos marcianos, como já aconteceu com Tex. Uma vez eu comecei a escrever uma história em que Mágico Vento lutava contra uma raça de caçadores extraterrestres do tipo Predador. Maurizio Milano desenhou algumas páginas de prova e eu logo percebi que não funcionava (não pelos desenhos, mas pela história) e mudei tudo, as complicações extraterrestres foram excluídas. Essas coisas nada têm a ver com Mágico Vento. Podem ser divertidas com Tex ou com Zagor, mas em Mágico Vento eu falava de visões, pesadelos e obsessões dos homens da fronteira, não podia desandar para o terreno da fantasia, onde tudo é permitido. Eu devia manter um horizonte histórico e cultural muito preciso.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

14 Comentários

  1. Emocionado com a notícia e com o belíssimo tratamento gráfico dado pela Mythos. Acertaram em cheio.

  2. Que bela notícia e assim como aconteceu com Tex tenho certeza que as cores deixarão ainda melhores as histórias desse personagem fantástico, espero que sejam publicadas todas as 131 edições em cores.

  3. Essa é a pergunta que não quer calar, como a Mythos vai publicar tudo em cores se nem na Itália saiu tudo colorizado? A não ser que continuem em PeB com o mesmo acabamento, o que pra mim também seria excelente.

  4. Não gostei dos comentários sobre Tex e Zagor, mas vou comprar, apesar de preferir as fantasias de Tex e Zagor

  5. A Mythos não pode colorizar. Nenhuma das editoras que produzem os Bonellis coloridos fez isso pessoalmente. Quem faz a colorização é a Sergio Bonelli.
    Mas realmente foram produzidos somente 25 edições em cores. Se a Mythos lançar 2 por 1, então tem material até o número 12!
    Na Itália cancelaram por causa das baixas vendas. E foram baixas mesmo, pois de acordo com a Panini os últimos números não venderam nem 3000 cópias.
    Mas, com o lançamento irregular da Mythos, esta coleção chegará ao número 12 em 2025. Até lá dá tempo para colorirem pelo menos material para mais 6 edições.

  6. Eu acho que o ideal seria quadrimestral, a cada 4 meses lançar um volume, assim não ficará caro pro bolso do leitor.

  7. Na Itália dizem que Mágico Vento nunca foi um grande sucesso de vendas. Acho que Ned Ellis teve mais fãs no Brasil e Portugal do que na Itália.

  8. Que ótima notícia! Eu adoro Mágico Vento! Por mim nem precisava capa dura ou a revista ser colorida! Esse material, com certeza, comprarei! Espero que consigam vender bastante para publicá-la em sua integralidade. Obrigado por essa republicação, Mythos. Há anos que espero por essa notícia!

  9. Considerando que, se nem o Tex gigante em cores foi publicado até o fim, porque com Mágico Vento seria diferente? Por falar nisso, até hoje ainda não concluí a leitura do MV, ainda me falta ler do nº 124 ao 131.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.