Fanzine “A Conquista do Oeste” – Maio/Novembro 2001 – Páginas 31 e 32 – Autores de Banda Desenhada: Primaggio Mantovi e Edmundo Rodrigues

AUTORES DE BANDA DESENHADA

PRIMAGGIO MANTOVI
PRIMAGGIO MANTOVIMantovi nasceu em Itália, em Janeiro de 1945 e veio para o Rio de Janeiro, aos 9 anos de idade. Para imitar o irmão, resolveria começar a desenhar. Em 1964 começa a trabalhar na Rio Gráfica e Editora, onde dá os primeiros passos na arte de Ilustração. A partir de Dezembro de 1965 desenha 8 histórias de uma personagem ligada aos “cow-boys” de que gostava, cujo nome era “Rocky Lane“, uma figura do Cinema da década de 40. Terminaria essa tarefa em Janeiro de 1968. A sua actividade passa então a estar ligada à execução de capas de revistas, publicadas pela editora. Chegaria às 200 capas. Também se ocuparia de ilustrações.

Rocky LaneA sua grande oportunidade dá-se, quando a revista “Recruta Zero” deixou de ter material norte-americano para publicar. A oferta veio e o desafio foi vencido pelo autor. Não só para a Rio Gráfica como para a Saber, escreveu e desenhou histórias daquela personagem de Novembro de 1968 a Janeiro de 1971. Em Janeiro de 1972 cria o palhaço “Sacarrolha“, que atingiria tiragens na ordem dos 130.000/160.000 exemplares por revista.

Nos inícios de 1973 veio trabalhar para a Abril. Entretanto, da sua personagem “Sacarrolha” sairão 36 números, de Janeiro de 1972 a Novembro de 1974. Mas não acabaria aqui a vida da sua figura, já que viria a ser publicada ainda na revista “Diversões Juvenis” e nos jornais.

Fanzine “A Conquista do Oeste” - Página 31Primaggio ainda escreveu e desenhou várias histórias para as seguintes personagens: “Pererê“, “Pantera-Cor-de-Rosa“, “Os Herculoides” e “O Homem Pássaro“. Em 1976 estava à frente das revistas de Maurício de Sousa.

Em 1978 colaborou na revista “Pancada“.

Em 1980 funda a Pejota Produções Artísticas, para lançar “Sacarrolha” no campo do Merchandising. Em Outubro de 1983, juntamente com Rodolfo Zalla, com quem já tinha trabalhado em histórias do “Zorro” e numa história da vida do “Papa João Paulo II“, resolve lançar a nova revista “Diversões do Sacarrolha“. Depois liga-se às personagens do Walt Disney, de “Luluzinha“, “Moranguinho” e “He-Man“.

FantasmaUma das suas iniciativas e um exemplo de como no Brasil, também as histórias de Banda Desenhada nunca foram respeitadas, vamos hoje encontrar nas edições da Rio Gráfica, várias monstruosidades criada pelos artistas brasileiros de então. Um exemplo, encontra-se patente nº. 185 da revista “Fantasma” daquela editora. Numa adaptação de uma história de “Rip Kirby“, foram intercaladas vinhetas com a figura de “Fantasma“, transformando-a numa aventuras deste vingador.

Mas este é um pequeno exemplo, pois há muitos mais. O engraçado é que houve coleccionadores a guardarem ciosamente o número dessa revista, convencidos que se tratava de um trabalho raro de John Prentice (autor de “Rip Kirby” e que nunca desenhou outra personagem senão esta, até à sua morte, recentemente).
Flash Gordon” também se transformou em “Mandrake“, no nº. 181 da sua colecção. “O Cavaleiro Negro” também continuaria a ser publicado no Brasil, depois do material norte-americano ter desaparecido e aconteceria isso a muitas mais personagens.

O “Gringo” de Carlos Gimenéz transformou-se em “Dr. Robledo“, que por sua vez se transformava em “O Cavaleiro Negro“, através do hábil pincel de Walmir Amaral de Oliveira. E assim, pelas ruas da amargura, se posteriormente este autor tem continuado a criar material para as suas personagens “Sacarrolha” e “Veterinário“, outra figura que entretanto tinha lançado no mercado, igualmente com algum êxito.

EDMUNDO RODRIGUES
EDMUNDO RODRIGUESIniciou-se na vida artística com trabalhos para o “Tico-Tico” (João Charuto) e para a “Vida Juvenil” (Aventuras de Armando).

Na RGE desenhou na contracapa de algumas revistas, trabalhos sobre a História do Brasil e Curiosidades.

Também desenhou inúmeras capas para esta editora. Desenhou 3 números de “Antar“. Em 1968 desenhou “O Cavaleiro Negro” e, no ano seguinte, “Fantar“.

Fanzine “A Conquista do Oeste” - Página 32Também criou “Irina, a Bruxa” para a Taika Editora. Depois é um nunca mais acabar de trabalhos. “Mundo do Terror“, “Terror Ilustrado“, “Histórias Horripilantes“, “Histórias de Pavor“, “Superfícção“, “Far-West em Quadrinhos“, “O Novo Drácula“, “Múmia“, “Capitão Blake“, “Falcão Negro“, “O Carrasco“, “Maja” e “22.200 Cidade Aberta“, são algumas das revistas criadas pelo seu estúdio, onde seriam igualmente publicadas algumas histórias suas e de outros desenhadores.

Os romances “O Guarani“, “Rumo à Lua“, “Memórias de Um Sargento de Milícias“, “20.000 Léguas Submarinas” e “Viagem ao Centro da Terra“, são também adaptações suas para a Banda Desenhada.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, e/ou imprimí-las, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.