Fanzine “A Conquista do Oeste” – Maio/Novembro 2001 – Capa e página 2

Fanzine A Conquista do Oeste - Maio e Novembro 2001 - CapaO blogue português do Tex, através de mais uma grande e importante iniciativa, vai divulgar na íntegra (algumas páginas com uma periodicidade sensivelmente semanal e com uma digitalização das páginas com elevada qualidade para serem impressas por quem desejar tê-lo) um Fanzine sobre o Oeste, da autoria de Carlos Gonçalves (um dos maiores coleccionadores e estudiosos da Banda Desenhada em Portugal), intitulado “A Conquista do Oeste“, com 100 páginas e que foi editado em 2001, integrado no Fanzine “O Aventureiro“, um Fanzine de Estudos e Informações sobre a 9ª Arte, que teve 8 números e que teve uma tiragem média de 30 exemplares, sendo o dedicado ao Western, precisamente o nº 8.

INTRODUÇÃO

Carlos GonçalvesEsta introdução nasce no desejo de José Francisco, um dos autores e utente deste blogue, de aqui serem incluídas neste espaço, umas largas dezenas de páginas de um Fanzine que, em tempos, me atrevi a publicar, no sentido de dar a conhecer uma grande parte das personagens que fizeram parte do meu quotidiano juvenil, quando eu lia tudo o que eram Histórias aos Quadradinhos.
Independentemente das personagens “super – heróis” e “super – heroínas” que povoavam as revistas que na época se liam (“O Guri”, “O Gibi”, “Superman”, “Batman”, “O Lobinho”, e outras, todas brasileiras), a minha predilecção ia para as histórias de “cow-boys”.
Na altura eu não conhecia ninguém que lesse revistas portuguesas, excepto “O Mosquito” que pertencia a um amigo meu que coleccionava os seus números. Mas eu continuava a gostar dos “Lone Ranger”, “Roy Rogers”, “Tom Mix”, “Buck Jones”, “Búfalo Bill” e muitos mais.
Em paralelo ia ao “Salão Lisboa” (antigo Piolho), “Eden Cinema” (antigo Galo), ao “Arco Bandeira”, “Cine Oriente”, “Lys” e outros, pois corria-os a todos, quando havia filmes de “cow-boys”.
Assim foi passada a minha juventude, a trabalhar por um lado a partir dos meus 12 anos, a correr os alfarrabistas à procura de novas revistas de Banda Desenhada e a ir ao cinema. Chegava a ver três sessões de filmes ao sábado ou ao domingo, quando estas eram contínuas.
A partir de 5 de Janeiro de 1952 comprei o meu primeiro número da colecção “O Cavaleiro Andante” e a partir dessa data, nunca mais parei de comprar Banda Desenhada e de a ler. O resultado está presente aos olhos de quem visitar este local e quiser saber qualquer coisa sobre “Western”, quer no Cinema quer na Banda Desenhada.
Evidentemente que este não é um estudo exaustivo sobre o assunto, pois há muito mais para dizer, mas servirá como um pequeno acepipe, para quem nada ou pouco sabe, para poder ampliar os seus conhecimentos e se, depois, quiser aprofundá-los, poder fazê-lo em consciência e já com algum conhecimento de causa.

Carlos Gonçalves

******************************************************

O AVENTUREIRO Nº 8 – A CONQUISTA DO OESTE (Maio/Novembro 2001)

EDIÇÃO DE CARLOS GONÇALVES
RUA TOMÁS DA ANUNCIAÇÃO, 171-3°-DRT0.
1350-326 LISBOA-TEL.

C – Copyrights para todos os autores dos desenhos, bem como para as Agências nacionais ou internacionais, que possuam a representação dessas personagens ou “heróis” de Banda Desenhada, no nosso país e no estrangeiro.

Capa da autoria do desenhador J. Chacopino para a caderneta de cromos da “Conquista do Oeste” —
1°. Volume. Essa capa seria adaptada por nós.

COMPOSIÇÃO DESTE FANZINE
Fanzine A Conquista do Oeste - Maio e Novembro 2001 - Página 2Este Fanzine é composto por artigos sobre Banda Desenhada de “western“, assim divididos:
1.  Em Portugal.
2.  Em outros países.
3.  Sobre editoras.
4.  Biografias de autores de Banda Desenhada de “western“.
5. Personagens de Banda Desenhada de “western“.
6. A história dos “western” no Cinema.
7. Os “cow-boys” do Cinema, (algumas biografias por ordem alfabética).
8. Outros artistas que participaram em filmes de “western“.
9. As “heroínas” dos filmes de “western“.
10. As séries de “western” da TV.
11. Enciclopédia dos “heróis” da Banda Desenhada, ligados ao tema de “western“.
12. Relação dos artigos sobre “western” que foram publicados em jornais.
13. Revistas de Banda Desenhada portuguesa de “cow-boys“.
14. Os cromos de “cow-boys“.

EDITORIAL
Ao decidirmos criar este Fanzine, sabíamos já as grandes dificuldades que iríamos encontrar, não só para a recolha de todo o material, trabalho esse já iniciado há muitos anos, como apresentá-lo de uma forma digna e merecedora deste tema. Evidentemente que todos nós conhecemos de cor e salteado, as várias personagens que seriam criadas para viverem as suas aventuras no Oeste, bem como o nome dos vários autores e, inclusive, o vasto sortido de revistas que se publicariam no nosso país, ao longo dos anos. A literatura sobre o Oeste não tem fim e a sua adaptação à Banda Desenhada não lhe ficaria atrás. Ainda hoje se criam mensalmente uma vasta lista de aventuras de “cow-boys“, principalmente em Itália, país que continuaria a tradição, esquecida pelos norte-americanos. Não nos vamos esquecer do Cinema, outra das artes que muito deve o seu desenvolvimento, às várias adaptações que faria desse tema, desenvolvendo o trabalho de grandes artistas, levando-os a criarem carreiras próprias, muitas vezes sendo conhecidos nos ecrãs ou fora deles, pelo nome da personagem cujo papel interpretavam na tela, em vez do seu.
Tudo isto iremos abordar neste espaço e já sabemos que este será, sem dúvida, um Fanzine com demasiadas páginas para a sua modesta edição. Só o dividiremos em dois, se na verdade o número de páginas ultrapassar muito o desejável. Pelo menos até às 100 páginas, pensamos mante-lo indivisível.
Haverá uma história curta do Oeste, mas que tentaremos que inclua o mínimo e indispensável, para que os leitores possam dar um pouco mais de valor a um tema que, ultimamente, quase não se houve falar. A recolha dos artigos que aqui serão apresentados, irão obedecer aos seguintes critérios: Alguns serão de ordem geral, embora o Oeste se mantenha como tema de fundo, outros serão sobre os “heróis” ou sobre os desenhadores ligados ao “Western“, não faltando os artistas de cinema e as revistas sobre personagens do Oeste. A maior parte dos artigos nunca foi publicada. Muito poucos, serão recolha de jornais, onde os mesmos apareceram inicialmente, mas também já há muitos anos, pelo que não deixarão de ter o seu interesse para os leitores mais jovens ou para quem nunca os tenha lido nessa altura. Esperamos que este esforço titânico seja do agrado de todos e que os elementos fornecidos possam também ajudar a desenvolver a Banda Desenhada no nosso país e o gosto pela leitura do tema, não só em Banda Desenhada como em prosa.

SUMÁRIOPágs. 3 a 8 – O “Western” na Banda Desenhada Portuguesa
Págs. 9 a 11 – O “Western” na Europa
Págs. 12 a 15 – Os “Cow-boys” na Banda Desenhada-Os “Comic-Books“
Pág. 16 – As Outras Editoras de “Comic-books” de “Western“
Págs. 17 a 20 – As Histórias aos Quadradinhos de “Western” em Inglaterra
Págs. 20 e 21 – Os “Comics” Ingleses Sobre Cinema de “Western“
Págs. 21 e 22 – O “Western” em Espanha – Os “Cuadernos“
Págs. 23 a 26 – Dell e Gold Key, Os Dois Gigantes dos “Comic-books“
Págs. 27 e 28 – Autores de Banda Desenhada – Hugo Pratt
Págs. 29 e 30 – José Delbo
Pág. 30 – Jordi Buxadé
Págs. 31 e 32 – Primaggio Mantovi
Pág. 32 – Edmundo Rodrigues
Pág. 33 – Arturo Del Castillo
Pág. 34 – Charles Flanders
Pag. 35 – Giancarlo Berardi, Ivo Millazzo e Dan Spiegle
Págs. 35 e 36 – Clarence Edward Mulford
Págs. 36 e 37 – Jose Luís Salinas
Pág. 38 – Stan Lynde
Págs. 39 e 40 – “Heróis” do Oeste – Matt Marriott
Págs. 41 a 45 – The Lone Ranger
Pág. 46 – Hopalong Cassidy
Pág. 47 – Chick Bill e “Jerónimo“, Um «Cow-boy» Brasileiro
Págs. 48 a 50 – Ken Parker, O Verdadeiro Oeste
Págs. 51 a 52 – Lucky Luke
Págs. 52 e 53 – Buddy Longway
Págs. 53 e 54 – Máscara Negra
Págs. 54 a 58 – Cisco Kid
Págs. 58 e 59 – Roy Rogers
Págs. 60 a 62 – O Pequeno Xerife
Págs. 62 a 64 – Xuxá – Uma Fascinante Personagem
Págs. 64 e 65 – Rick O’Shay
Págs. 66 e 67 – Uma Pequena História dos “Western” no Cinema
Pág. 68 – Rex Allen e Gene Autry
Pég. 69 – Gene Barry, Smiley Burnette e Rod Cameron
Pág. 70 – Harry Carey, O Bandido “Herói“
Pags. 70 e 71 – Clint Eastwood e Bill Elliott ou William Elliott ou “Wild Bill” Elliott
Págs. 71 e 72 – Errol Flyn e a Sua Ligação aos Filmes de “Cow-boys“
Pág. 72 – Rock Hudson e Burt Lencaster
Pág. 73 – Johnny Mack Brown
Págs. 73 e 74 – Tim Mc Coy
Pág. 74 – Joel McCrea
Págs. 74 e 75 – Clayton Moore (Jesse James)
Pág. 76 – Audie Murphy e Hugo O’Brian
Pág. 77 – Os Três Patetas e Tex Ritter
Págs. 78 e 79 – O “Cow-boy” da Cara de Pedra – Randolph Scott
Pág. 79 – Charles Starrett
Págs. 79 e 80 – Clint Walker e Roy Rogers
Págs. 81 a 89 – Os Outros Artistas que Participaram em Filmes de “Western“
Págs. 90 e 91 – As “Heroínas” dos Filmes de “Western“
Págs. 92 a 95 – As Séries de “Western” na TV
Pág. 96 – Artigos Publicados Anteriormente Sobre o Tema do “Western“
Págs. 97 e 98 – Dicionário Enciclopédico de “Heróis” da Banda Desenhada
Pág. 99 – As Revistas Portuguesas de Banda Desenhada Dedicadas ao “Western“
Pág. 99 – Os Cromos Dedicados ao Oeste
Pág. 100 – Desenho Inédito de Jobat (José Batista)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, e/ou imprimí-las, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.