Entrevista de Laura Zuccheri ao Jornal de Notícias, a 29 de Abril

Texto da secção Banda Desenhada de 29/04/2022
F. Cleto e Pina

Laura Zuccheri: “É preciso paixão e disciplina para desenhar westerns”

* Desenhadora presente em Anadia neste fim de semana foi a primeira mulher a desenhar Tex.

Chama-se Laura Zuccheri, é italiana e foi a primeira mulher a desenhar Tex nos mais de 70 anos de vida que o ranger mais famoso dos quadradinhos já conta. A sua presença na 7.ª Mostra do Clube Tex Portugal, que teve lugar nos dias 30 de abril e 1 de maio no Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, foi o pretexto para uma pequena entrevista à distância.

Laura Zuccheri e o seu Tex no Livro de Honra do Museu do Vinho Bairrada

Em exclusivo ao “Jornal de Notícias”, a desenhadora de 51 anos, natural de Bolonha, confidenciou que não foi fácil cumprir o “sonho de fazer parte da equipa do Tex”, uma verdadeira instituição em Itália. “Especialmente”, adianta, porque “era um mundo exclusivo de colegas do sexo masculino” e “é um trabalho que exige muita dedicação e pouco espaço para a vida privada”.

Para lá chegar, precisou de fazer um longo trajeto, que conta já mais de 25 anos. Laura Zuccheri deu nas vistas na série “Julia Kendall, aventuras de uma criminóloga”, de que desenhou mais de 30 episódios desde 1996, apesar de não gostar “de policiais demasiado realistas”, como revelou ao JN.

A mudança de uma personagem realista e feminina como é Julia, para um western puro e duro como Tex, dificilmente poderia ser mais profunda, mas Zuccheri assumiu-a com prazer pois “desde criança sempre vivenciei o western em todos os seus aspetos heroicos”. Por isso, entre Julia e Tex, é do lado deste último que “fica o meu coração”.

Laura Zuccheri na Anadia a desenhar para os seus fãs

A sua estreia no ranger deu-se em 2019, quando foram publicadas em Itália, primeiro, e depois no Brasil, as mais de 200 pranchas de “A vingança de Doc Holliday”, que tem como principal nota distintiva o protagonismo dividido entre Tex e aquela personagem real. Quando questionada, hesita em responder se ser mulher pode trazer algo diferente para Tex, embora adiante que “talvez permita prestar mais atenção aos detalhes e fazer uma melhor interpretação das personagens femininas”.

Laura Zuccheri com uma garrafa no formato de uma espingarda

Aliás, nesta aventura, o argumentista Mauro Boselli deu papéis relevantes a duas mulheres, talvez “para aproveitar as minhas capacidades de descrever e dar espaço às heroínas daquela época, que foram muitas. As personagens femininas são mais complexas e cheias de nuances”. E acrescenta que a presença de uma figura histórica como Doc Holliday na narrativa “foi muito interessante e emocionante, devido à complexidade da personagem”, confessando que “não foi simples dar-lhe um rosto convincente”.

Em jeito de conclusão, como conselho para aspirantes a desenhadores, afirma: “É preciso paixão e disciplina para desenhar um género tão difícil como o western”.

A 7.ª Mostra do Clube Tex Portugal, que regressou a Anadia este fim de semana, após uma interrupção de dois anos devido à pandemia da covid-19, apresentou exposições de Laura Zuccheri e Roberto Diso, autores dos cartazes do evento, e o programa incluiu conversas com a autora, sessões de autógrafos e a apresentação de livros.

Fãs de Tex reunidos em frente ao Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, na companhia da desenhadora Laura Zuccheri

Copyright: © 2022 Jornal de Notícias;
F. Cleto e Pina

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.