Entrevista com o fã e coleccionador: Daniel Camargo

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Daniel Camargo: Sou formado em Administração, nascido em Barbacena, Minas Gerais, Brasil em 1973.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Daniel Camargo: Sempre tive uma paixão pelos quadrinhos de forma diversificada.

Quando descobriu Tex?
Daniel Camargo: Nos anos 80, gostava muito do género de Western, lia Chacal, Ken Parker, Chet. Até que li Tex e não parei mais.

Porquê esta paixão por Tex?
Daniel Camargo: É a capacidade lúdica, que as historias de Tex possuem ou seja nos transporta a outra época em suas aventuras.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Daniel Camargo: Um processo de identificação com o leitor, traz características e emoções, como fúria, solidariedade e senso de justiça.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Daniel Camargo: Umas 150, a mais importante para mim é “Vendetta Navajo”, me remete à infância.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Daniel Camargo: Apenas livros.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Daniel Camargo: Tex formato gigante, números 15-16-17 para fechar a coleção.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Daniel Camargo: Além de “Vendetta Navajo”, ”Tex o Grande”. Guido Buzzelli e Claudio Nizzi.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Daniel Camargo: Me agrada o senso de justiça e às vezes me incomoda a auto-confiança excessiva.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Daniel Camargo: A referência de uma época, até no contexto histórico e a identificação do herói que promove a justiça.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Daniel Camargo: Raramente.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Daniel Camargo: Num processo de evolução contínua. Quem sabe uma boa adaptação para o cinema...

Prezado pard Daniel Camargo, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.