Editor da Mythos de novo em terras lusas… e nova recepção dos texianos portugueses não podia faltar

Por Orlando Santos Silva e António Lança-Guerreiro (texto) e Orlando Santos Silva, António Lança-Guerreiro, Carlos Moreira e Victor Franco (Fotos)

Orlando Santos Silva, Pedro Bouça, Victor Franco, Carlos Moreira, António Lança-Guerreiro, Dorival Vitor Lopes, e José Manuel Cristóvão

Eram 7h45 deste domingo, dia 21 de Julho, e já vários Texianos portugueses esperavam o conhecido editor das revistas Tex, Dorival Vitor Lopes no cais de chegada do aeroporto da Portela em Lisboa.


.

A ansiedade por rever o amigo Dorival (para mais uma estadia em terras lusas), além de poderem apreciar os mais recentes lançamentos da Mythos Editora, pois Dorival traria várias revistas, era enorme.


.

Apesar do atraso de quase uma hora e quarenta minutos, como o próprio Dorival confidenciou, com que o avião partiu do Brasil, os Texianos portugueses tiveram o enorme prazer de receber em alegre convívio o conhecido editor das bermudas e do nosso Tex não só em terras brasileiras, mas também no nosso Portugal.


.

A hora do reencontro foi assim emotiva, em crescendo com a distribuição das revistas, para gáudio dos Texianos portugueses que o esperavam e que, mais uma vez, receberam de braços abertos o seu dilecto editor brasileiro, acabado de chegar das terras brasilis.

Orlando Santos Silva, Pedro Bouça, Victor Franco, Carlos Moreira, António Lança-Guerreiro, Dorival Vitor Lopes, e José Manuel Cristóvão

Na recepção ao editor Dorival estiveram presentes alguns dos Texianos habituais (o José Cristóvão, o Carlos Moreira e a sua esposa Teresa, o António Guerreiro, o Victor Franco, o Pedro Bouça e o Orlando Silva) que saudaram a sua vinda e acompanharam em “comitiva” o mítico editor num passeio pela baixa de Lisboa ao longo do rio Tejo, junto a Belém, para a tradicional paragem: os famosos Pastéis de Belém, onde o repasto foi uma montanha de pastéis, cada um com um dedo de altura (macios, quentinhos, deliciosos), havendo portanto um gostoso massacre de deliciosos Pastéis e outros acepipes.

Dorival Vitor Lopes nos famosos Pastéis de Belém

Por coincidência, ou talvez mesmo para receber Dorival (ainda o tentámos convencer disso, mas creio sem sucesso), assistimos ao famoso Render Solene da Guarda ao Palácio de Belém (residência oficial do Presidente da República Portuguesa).


.

O Render Solene da Guarda ao Palácio de Belém tem como significado a rendição simbólica do efectivo da Guarda responsável pela segurança do Palácio e, pela já longa tradição, entrou no roteiro turístico da cidade de Lisboa, ocorrendo no 3.º domingo de cada mês, às 11 horas e sendo realizado pela guarda de honra do Palácio Nacional de Belém, a cargo do Esquadrão Presidencial do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana.


.

Da sequência de acções da cerimónia destacam-se momentos como o cumprimento das duas Forças (a Guarda rendida passa em frente à que assume o serviço e cumprimenta com olhar à direita), a saudação entre comandantes de ambas as forças (simbólica passagem de testemunho), a escolta ao “Santo e Senha” e o “Brinco da Banda”, momento em que a Banda de Música executa trechos musicais enquanto evolui, desenhando figuras em marcha pelo recinto.

Render Solene da Guarda ao Palácio de Belém

Após este cerimonial pôde assistir-se a uma exibição da Charanga a Cavalo da USHE, no Jardim Vieira Portuense. Esta Charanga é a única no mundo que executa peças musicais em evoluções a galope.


.

Também por coincidência (será?) ainda na baixa, mais precisamente nos jardins de Belém junto ao famoso e maravilhoso Mosteiro dos Jerónimos, havia uma ocasional feira de velharias e antiguidades, onde encontrámos revistas antigas de Tex, e apresentámos à pessoa responsável dessa banca “este é o editor do Tex no Brasil“.

A omnipresença do nosso Tex

Algumas das revistas expostas eram da Mythos, sem dúvida um momento interessante e que demonstra uma vez mais que em todo o lugar, por mais estranho e improvável que pareça, podemos encontrar a omnipresença do nosso querido Tex.


.

Ainda neste espaço típico de cultura urbana, tiveram os Texianos portugueses a oportunidade de presentear o nosso estimado editor com uma edição da obra “Equador“, do conhecido escritor português Miguel Sousa Tavares, um reputado jornalista e escritor português, lembrança que muito agradou a Dorival. Este livro foi o seu primeiro romance, está traduzido em 10 línguas e já vendeu mais de 400 mil exemplares. A história desenrola-se na Ilha de São Tomé.

Dorival Vitor Lopes e a prestigiada obra Equador

Continuou o passeio pela zona ribeirinha, por entre um labirinto de gente de diversas nacionalidades, rumo ao Padrão dos Descobrimentos, lugar emblemático desta zona de Lisboa e símbolo da glória de Portugal, de outros tempos que já lá vão, e da sua famosa Rosa dos Ventos, onde estão representados os quatro cantos do mundo de língua portuguesa e sobre a qual o grupo tirou mais umas fotografias para memória futura: a de mais uma passagem do editor brasileiro Dorival por terras lusas.


.

Uma bela manhã de convívio e amizade, onde os 4 pards foram várias vezes referidos. Além das várias referências aos criadores do blogue português do Tex (e que por não poderem ter estado presentes, eram referidos como “temos de tirar fotos e escrever umas linhas, senão vamos ter o tratamento reservado aos vilões…“).

Dorival Vitor Lopes e Texianos portugueses na Rosa dos Ventos, onde estão representados os quatro cantos do mundo de língua portuguesa

(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

12 Comentários

  1. Mais um belo convívio entre Texianos e um excelente texto do Orlando e do António.

  2. Olá caro Amigo Dorival! Bem-vindo na Europa! Quem sabe se você vai dar um pulo em Milano também? Mesmo se para mim é um dos momentos mais ruins da minha vida (você sabe que a minha querida esposa Luisa faleceu em 12 de Julho) eu gostaria rever você, mesmo para entregar uma coisinha que você encomendou…
    Um abraço bem grande deste teu amigo Milanese.
    Gianni

  3. Férias merecidas ao nosso Dorival!…
    Felicidades pard Dorival!…
    Boas férias!!! 😉

  4. Eu sou mais a bandeira azul e branca, mas indiferente das visões políticas fico feliz por vocês, deve ter sido um momento muito especial.
    Viva o Tex!

  5. Uma manhã muito agradável, na companhia dos amigos Texianos, com o nosso estimado editor Dorival

    • Obrigado dilectos Pards pela EXCELENTE matéria sobre a presença do nosso prezado editor Dorival em Portugal.
      Belo texto e maravilhosas fotos que mostram bem como foi espectacular a manhã vivida por todos vós na bela capital portuguesa e que permitem ao blogue do Tex continuar na vanguarda da informação texiana 🙂

  6. Quando quiseres conhecer o norte de Portugal, cá te esperamos, caro editor.
    Um grande abraço e bem vindo ao nosso pequeno País.

  7. Pequeno, Nel Oliveira, mas cheio de belezas naturais, com um clima hospitaleiro e ameno! E abundante também em acepipes que não se encontram em mais lado algum, como os famosos pastéis de Belém! O editor Dorival que o diga!
    Quanto à reportagem, está excelente! Parabéns aos fotógrafos por se terem lembrado de colher imagens do render da guarda diante do Palácio de Belém. Dava um belo documentário!

  8. Caro Jorge, eu vivo no Minho, a dois passos do Gerês, a três de Montesinho (Reserva de Lobos…). Fui marinheiro, tive o prazer de conhecer grande parte da nossa costa, naturalmente sei o que temos de melhor… a NOSSA HOSPITALIDADE. Até porque o nosso pequeno País já é BELO sem que a gente o adjective.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.