As páginas de TESTE de Stefano Babini para TEX

O Tex de Stefano Babini

Stefano Babini inicia a sua actividade no campo da banda desenhada como arte-finalista de algumas séries eróticas da editora Edifumetto. Entra em contacto com Hugo Pratt e frequenta o seu estúdio na Suíça. Em 1993 chega à Sergio Bonelli Editore desenhando a história “Pendolare del tempo“, publicada no número 10 da série Zona X.
Sucessivamente inicia uma colaboração com a Rivista Aeronautica, para a qual ainda hoje escreve e desenha. A mudança na sua vida profissional acontece em 2006 quando passa a fazer parte do staff dos desenhadores de Diabolik. Em 2009 publica a graphic novel “Non è stato un pic nic“! Em 2010 nasce o seu segundo livro sketcbook “Welcome bye bye“.
Colabora no projecto Cinquanta x Cento por ocasião do centenário da C.G.I.L. (Confederazione Generale Italiana del Lavoro, o mais antigo sindicato italiano), juntamente com Vittorio Giardino e Ivo Milazzo. Trabalha num projecto para o mercado francês, em colaboração com Florian Rubis, autor do ensaio biográfico Hugo Pratt ou le sens de la fable para em finais de 2014, depois de já ter vencido o prestigiado Troféu Romics D’oro para melhor desenhador do ano, começar a desenhar… Tex!

Stefano Babini e o prestigiado troféu Romics D’oro para melhor desenhador de 2014

Isto porque Stefano Babini foi recentemente convidado por Mauro Boselli, o editor italiano de Tex, para desenhar uma história curta (32 páginas) do Ranger, aventura essa, cujo título provisório é “Teton Pass“, é escrita pelo próprio Boselli e será publicada em 2016 no Color Tex, após ter superado com sucesso um teste “encomendado” pela editora italiana, teste esse que consistiu na realização de três páginas com a presença de Tex, Kit Carson e Jack Tigre e são essas três páginas de teste que o blogue português do Tex tem o privilégio de divulgar hoje a todos os nossos inúmeros leitores…

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Magnífico trabalho! Bem marcadas, nalguns traços, as influências de Jean Giraud (Moebius). Mas o toque original também está lá… É uma pena que estas páginas sejam publicadas a cores, pois o trabalho de Babini a preto e branco é soberbo!
    Mais um bom desenhador para a galeria texiana, que não pára de crescer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.