As Leituras do Pedro: J. Kendall – Aventuras de uma criminóloga #119 – “Policial Corrupto” e “O Grande Salto”

As Leituras do Pedro*

J. Kendall – Aventuras de uma criminóloga #119

Policial Corrupto
Berardi e Calza
(argumento)
Piccoli
(desenho)


O Grande Salto
Berardi e Mantero (argumento)
Pittaluga e Antinori (desenho)

Histórias originalmente publicadas em Julia #132 e #133

Mythos Editora
Brasil, Novembro/Dezembro de 2015
135 x 180 mm, 260 p., pb, capa mole, bimestral
R$ 20,50 / 10,00 €

Nem tudo é o que parece.

Esta poderia ser uma frase a usar para publicitar a edição 119 de J. Kendall – Aventuras de uma criminóloga, actualmente distribuída em Portugal, mais ainda devido ao duplo sentido que pode assumir no presente contexto.

Policial Corrupto, primeira das duas narrativas desta edição, mostra o tenente Alain Webb acusado de suborno e corrupção, sob investigação dos superiores, do FBI e até dos amigos (Julia, Ben…) e a optar pela via da fuga e, por isso, deveria ser a ‘estrela’, o destaque da revista e até deste texto.

No entanto, numa história bem escrita – Berardi não sabe fazê-lo de outra forma – ao longo da investigação, há sempre algo que não soa bem, mesmo que as acções a que assistimos neguem a (nossa) evidência, há sempre um incómodo, algo difícil de aceitar pelo leitor, que o leva a pôr em causa aquilo que os olhos vêem e a mente intui. A culpa, possivelmente, será da estrutura global da série e da importância do núcleo duro das suas personagens e da familiaridade com a sua forma de ser e de agir que os leitores fiéis de Julia já há muito interiorizaram. Por isso a estranheza que sentimos quando vão contra a sua natureza…

Mas, como ‘nem tudo é o que parece’…


A mudança de agulha faz-se depois para O Grande Salto, uma investigação pessoal de Julia, em companhia de Leo Baxter. A queda de um avião e o subsequente desaparecimento de um piloto e do assaltante de bancos que o sequestrou, são o ponto de partida para mais uma narrativa intrincada e complexa, que desafia o raciocínio do leitor, com diversas surpresas e inflexões e um final que, mais uma vez, prova que ‘nem tudo é o que parece…’

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.