Albo Speciale Tex n. 24 (Texone): I ribelli di Cuba

Albo Speciale Tex n. 24 (Texone) - I ribelli di CubaAlbo Speciale Tex nº 24 – “I ribelli di Cuba”, de Junho de 2010.
Argumento de Guido Nolitta, roteiro de Mauro Boselli, desenhos e capa de Orestes Suarez. História inédita no Brasil e Portugal.

A fasquia estava alta desde o épico “Patagónia”. Esta aventura desde há muito que estava concluída, fechada na gaveta a aguardar uma melhor oportunidade, a sua hora. Finalmente saiu para deleite de todos os leitores texianos, porque apesar de não atingir o patamar do épico de Boselli e Frisenda, reúne mesmo assim inúmeras qualidades, além de trazer mais um valor consagrado do universo gráfico do outro lado do Atlântico.

O jovem Matt Picard, filho de Henri Piccard, um amigo de Montales que trabalha no Ministério da Guerra, foi raptado por seguidores de uma estranha seita. Montales chama Tex e ambos vão até Cuba, em busca do jovem Matt, numa delicada missão, uma vez que terão que contactar com os revolucionários cubanos que lutam contra o domínio espanhol na ilha.

Havana - Cuba

Apesar de frequentes encontros,  a verdade é que desde há longo tempo que Tex e Montales não se encontravam juntos no terreno, tal como o fizeram nos tempos da luta pela independência mexicana. Ambos românticos e idealistas, o rapto do jovem Matt catapultará os dois amigos para um terreno hostil que permitirá a cada um exaltar as suas melhores qualidades. Tudo se reacende para Tex e Montales, uma vez que a luta pela independência cubana lembrará os tempos da revolução mexicana e mesmo da sangrenta Guerra da Secessão que dividiu um país.

Montales e TexDesta vez, Montales assume-se mais como uma diplomata, um estratega na arte de iludir, deixando para Tex o lado mais pragmático, ou seja, Montales prepara o terreno enquanto Tex age no terreno. Montales surge assim nesta aventura como um substituto de grande qualidade do velho Carson, recriando um ambiente de diálogos de igual modo  interessantes numa história que vive sempre mais da aventura pura do que propriamente das causas históricas que se interligam.

Tex em acçãoNão que estas não assumam o seu papel, Boselli vinca a especificidade e a importância da luta contra o opressor espanhol, mas o objectivo, esse permanece sempre em recuperar um jovem raptado das mãos de um grupo de fanáticos, com a guerra cubana a servir sempre mais como um pano de fundo ou um cenário onde Tex possa assumir o seu papel. Mas quando tudo é bem feito, coerente e com a dosagem certa em cada momento, o facto de se privilegiar a aventura pura em detrimento do lado didáctico, que voltamos a sublinhar não ter sido abandonado, acaba por nos deixar um sentimento de enorme prazer na leitura.

O Tex de Orestes SuarezOrestes Suarez apresenta pranchas de grande qualidade, plenas de dinamismo e ricas em detalhe, demonstrando um grande à vontade e prazer em recriar graficamente todo um universo que faz parte dos compêndios da história da sua Cuba. A sua versão de Tex não é uniforme ao longo da aventura, porquanto algumas vezes o ranger surge incaracterístico. De qualquer modo, parece-nos sempre muito decalcado do Tex de Capitanio, algo diferente das influências ticcianas que quase todos preferiram adoptar. Um trabalho de grande qualidade de um autor que parece ter sabido captar a essência das personagens e da série desde as primeiras páginas.

Texto de Mário João Marques

Um comentário

  1. Esperemos que chegue ao Brasil (e a Portugal, obviamente) o mais depressa possível!

    Pela descrição promete!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.