A nova vaga dos desenhadores do Tex

A nova vaga dos desenhadores do TexTex é uma personagem de Banda Desenhada, criada em 1948, pela dupla Giovanni Luigi Bonelli e Aurelio Galleppini na Itália. Hoje em dia é uma das personagens de “western”, com maior longevidade na história da Banda Desenhada a nível mundial, sendo editado em diversos países do mundo, inclusive no nosso, onde teve uma edição especial integrado na colecção da Série Ouro: Os Clássicos da Banda Desenhada.

Tex é um Ranger do Texas, é o representante da lei em qualquer lugar do Estado por onde passa. Além disso é o chefe dos Navajos com o nome de Águia da Noite, bem como seu agente indígena. Enfim, um homem temido e respeitado no Oeste, tido como uma lenda e que é também um defensor dos injustiçados, quer sejam eles índios ou brancos.

Com o sucesso da personagem e com o passar dos anos, vários artistas foram-se unindo aos dois pioneiros. Na equipa de escritores, Guido Nolitta (pseudónimo de Sergio Bonelli), Decio Canzio, Antonio Segura, Michele Medda, Mauro Boselli, Giancarlo Berardi, Gianfranco Manfredi e mais recentemente Tito Faraci, foram os que escreveram também histórias de Tex no decurso destes quase 60 anos, coabitando com outro grande argumentista, Claudio Nizzi que é considerado o “herdeiro” de G. L. Bonelli e ainda hoje é o principal escritor de Tex.

Carson e Tex
Já os primeiros desenhadores após Galleppini foram Francesco Gamba, Mario Uggeri, Guido Zamperoni e Lino Jeva. Mais tarde, com o aumento da produção passaram a integrar a equipa de desenhadores do “staff”, Virgilio Muzzi, Guglielmo Letteri, Giovanni Ticci, Erio Nicoló, Fernando Fusco, Vitor de la Fuente, Jesus Blasco, José Ortiz, Carlo Raffaele Marcello, Vincenzo Monti, Fabio Civitelli, Alberto Giolitti, Claudio Villa, Raffaele Della Monica, Aldo Capitanio, Alfonso Font, os irmãos Raul e Gianluca Cestaro entre outros, sem contar os convidados para fazer as edições especiais gigantes, alguns dos quais grandes nomes mundiais da nona arte, casos de Joe Kubert, Colin Wilson, Jordi Bernet, Guido Buzzelli, Magnus (pseudónimo de Roberto Raviola), Sergio Zaniboni, Goran Parlov, Ivo Milazzo, Bruno Brindisi e Manfred Sommer, só para dar alguns exemplos.

Devido à extraordinária popularidade da série que continua a fascinar as novas gerações, impõe que se pense no futuro e consequentemente se constitua uma nova leva de novos autores dignos dos seus precedentes.
Mostrando a vitalidade da personagem, assim como a confiança com que a editora italiana se prepara para o futuro (substituindo os velhos clássicos desenhadores por outros excelentes ilustradores mais ou menos jovens, mas decididamente talentosos, que já estão a trabalhar nas páginas da série principal de Tex, oriundos na sua larga maioria de outras séries “bonellianas”) e dando seguimento à política de qualidade sempre adoptada para com Tex, a Sergio Bonelli Editore, pretende testemunhar com esta inédita exposição de Moura, apresentada no formato original, o trabalho dos quinze novos desenhadores, todos eles fruto de uma selecção verdadeiramente dura e rigorosa, que neste preciso momento, estão empenhados numa história de Tex pela primeira vez na vida. Serão expostas duas pranchas de cada um desses ilustradores numa estreia exclusiva a nível mundial do trabalho destes autores em Tex, uma vez que nenhuma destas histórias foi ainda editada.

Tex em acção

Cada novo autor com o seu próprio estilo pessoal, mas também clássico, para poder responder condignamente ao desafio de uma personagem como Tex Willer.
São eles: Alessandro Piccinelli, Corrado Mastantuono, Dante Erasmo Spada, Giacomo Danubio, Franco De Vescovi, Giovanni Bruzzo, Lucio Filippucci, Marco Torricelli, Orestes Suarez, Pasquale Del Vecchio, Pasquale Frisenda, Rossano Rossi, Ugolino Cossu e a dupla Marco Bianchini & Marco Santucci.

Texto de José Carlos Francisco, integrado no programa-catálogo MouraBD2007
(para ver o texto original, clique na 1ª imagem)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.