A GOL Linhas Aéreas Inteligentes recomenda a leitura de Tex

Por José Carlos Francisco (texto) e Nilson Pires Farinha (fotos)

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes, empresa de aviação focada em serviços de qualidade sobretudo para o mercado brasileiro, mas expandindo-se cada vez mais também para o mercado internacional, a ponto de já ser uma das maiores empresas brasileiras de aviação, na mais recente edição (nº 112, de Julho de 2011) da sua revista de bordo “Gol Linhas Aéreas Inteligentes“, publicação lançada em 2002 e que conta no presente com uma tiragem mensal de mais de 150 mil exemplares (para um volume de 2,9 milhões de bilhetes emitidos por mês, ou seja quase 3 milhões de potenciais leitores)  recomenda a leitura da revista Tex, mostrando também desta forma que faz jus ao seu lema, ou seja, que é realmente uma empresa inteligente.

Distribuída exclusivamente a bordo das aeronaves Gol, a revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes é uma ferramenta de relacionamento que traz matérias editadas com linguagem leve e atraente, proporcionando leitura fácil e agradável ao passageiro. Com o objectivo de atender os passageiros dos países vizinhos, conta ainda com parte do conteúdo traduzida para o espanhol.

A receita editorial da revista, seguindo o exemplo da companhia aérea, aposta num Brasil que pode dar certo. Com personalidade e charme, a publicação traz tecnologia, turismo, lifestyle, dicas sobre o que fazer nas cidades de destino das linhas Gol, matérias das revistas Trip e Tpm e também algumas recomendações na rubrica “Embarque e Bagagem” e é aí que a publicação recomenda aos seus passageiros a leitura e a compra de revistas de Tex (inclusive com a informação do preço e que Tex pode ser adquirido na Comix), integrada num texto intitulado “Segura, peão!” de modo a que o passageiro entre no universo Western com uma selecção da própria GOL relativa a músicas, filmes, revistas de banda desenhada e objectos.

Isto porque este número da revista GOL que traz Rodrigo Faro na capa, é dedicado ao género Western, onde não falta sequer o tema “Moda“, já que a volta do Western origina textos como “Tiro Certo” e “Fashion Western“, ambos da autoria de Isabel Barros e muito menos o tema “Cinema“, com a sugestão de grandes filmes de “bangue-bangue“, como Cimarron, No Tempo das Diligências e Bravura Indómita para o passageiro se inspirar.

Revista da GOL recomenda a leitura de Tex

E para concluir, sabendo que os leitores de Tex são igualmente inteligentes, podemos sugerir um lema que deverá ser seguido pelos Texianos:

GolTex – Voe Gol, Leia Tex!

(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

9 Comentários

  1. Adorei esta ultima página da revista! Me fez recordar de Fess Parker, um excelente ator no papel de Daniel Bone. Abandonou a carreira cedo e faleceu ano passado. Mas fica sempre na memória… É muito bom lembrar dos bons e velhos tempos… ahhh como queria ter vivido naquela época… rsrsrs

  2. Excelente texto, pard Zeca, e muito interessante essa informação por dois motivos: saber que Tex foi divulgado num canal de alta penetração, e saber de mais um item colecionável.
    Abraço

  3. Slogan final que é da autoria do Nilson e que realmente ficou bem criativo 🙂

  4. O chamado cinema Western, também popularizado sob os termos “filmes de cowboys” ou “filmes de faroeste”, compõe um género clássico do cinema norte-americano (ainda que outros países tenham produzido Westerns, como aconteceu em Itália, com os seus Western spaghetti).
    Podemos observar que mesmo na atualidade, todos os grandes astros de Hoolywood já participaram de um filme de faroeste.
    Todo ator americano quer, e procura fazer um filme de faroeste.
    O faroeste está enraizado no povo americano, faz parte de sua origem, de sua história, não é uma fantasia, embora a maioria dos filmes, HQ e etc., sejam de ficção.
    Por isso as histórias de faroeste em HQ, filme ou qualquer outra mídia não desaparecerá nunca, por que sempre estará no imaginário de todo cidadão americano.
    Chegam por aqui muito menos filmes de faroeste do que no passado, mas os que chegam geralmente são de ótima qualidade, e estrelado por astros de Hollywood.

  5. É mesmo Antonio Carlos, nunca desaparecerá! Até aproveito prá indicar um filme que foi produzido em 2007: “Enterrem meu coração na curva do rio“. E que futuras produções sejam tão emocionantes como foi neste e em muitos outros…

  6. Denize.
    Acredito que tenho todos os filmes de Western considerados de alguma relevância nesse genêro.
    Embora já tenha assistido, esse eu não tenho em minha filmacoteca.
    Se você ainda não leu, sugiro que procure ler o livro que tem o mesmo título desse filme, e que mostra de forma “verdadeira” e clara a relação entre o invasor branco e os nativos da América.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.