A alegria e a honra de receber em casa Marcos Maldonado e Dolores Maldonado, legendadores (letristas) de Tex

Por José Carlos Francisco

Marcos Maldonado e Dolores Maldonado na Bibliotex de José Carlos Francisco

Dia 5 de Junho de 2012 foi mais um dia memorável na minha faceta de fã e coleccionador de Tex, porque uma vez mais tive o grande privilégio e a grande alegria de receber em simultâneo na minha modesta casa a mítica dupla de legendadores (letristas, no Brasil) brasileiros de Tex, os lendários MARCOS MALDONADO e a sua simpática esposa DOLORES MALDONADO!

Marcos Maldonado Rodrigues, natural de Sorocaba, Estado de São Paulo, Brasil, nasceu em 25 de Abril de 1940 e é legendador de Banda Desenhada desde 1969, tendo iniciado a sua ligação com Tex no dia 3 de Março de 1980 (tratava-se de Tex nº 110, “A Sombra do Patíbulo“, 130 páginas), portanto já lá vão mais de 3 décadas participando das aventuras deste nosso destemido herói do oeste.

Marcos Maldonado e Dolores Maldonado na Bibliotex de José Carlos Francisco

Já de Dolores Maldonado reza a lenda que aquando do legendamento (letreiramento, no Brasil) manual, a sua caligrafia era tão semelhante com a do seu marido que não se conseguia identificar o início de uma e o fim de outra. Durante muito tempo ambos legendaram juntos, pois na época tinham tanto trabalho e algumas histórias tinham o prazo tão apertado que eles dividiam as páginas legendando por vezes a mesma história de Tex para a Editora Vecchi.

Depois de publicadas as revistas ambos tentavam, sem sucesso, descobrir o que um ou outro tinha legendado. Isso era possível por terem iniciado juntos o treino de legendamento, ainda em 1969, copiando histórias de revistas da época e seguindo o estilo de letras de Antonio Maldonado, irmão de Marcos Maldonado, também ele legendador e que já era muito conhecido no meio das Histórias aos Quadradinhos.

José Carlos Francisco, Marcos Maldonado, Tex e Dinamite

Marcos Maldonado e Dolores Maldonado na bibliotex de José Carlos Francisco

A presença de tão ilustres visitantes no meu lar, deveu-se ao facto de estando ambos em Espanha a passar uns dias de férias em casa de amigos, quererem fazer questão de visitar a família Francisco e o “Museu português do Tex” e para isso não mediram esforços, pois alugaram propositadamente uma viatura e meteram-se à estrada sem receio dos mais de 2.000 km de trajecto rodoviário e isso diz bem da consideração e estima que o casal Maldonado tem por mim e pela minha família, sinal da grande e especial amizade que nos une, devido sobretudo a Tex!

Marcos Maldonado, José Carlos Francisco, Dolores Maldonado e… Júlio Schneider

Dolores Maldonado, Marcos Maldonado, José Carlos Francisco… Sergio Bonelli e Dorival Vitor Lopes

Marcos Maldonado e Dolores Maldonado pernoitaram inclusive no QG de Tex em Portugal, como sempre diz o editor Dorival Vitor Lopes, e ficaram fascinado com o aumento (desde a anterior presença de ambos em minha casa, ocorrida em 2010) da já de si majestosa colecção de Tex (curiosamente nesse dia chegou o primeiro – e grosso – volume da nova série – de 5 volumes – dedicado a Mefisto e publicado na Itália pela Mondadori). Colecção essa onde para além das colecções completas do Ranger oriundas do Brasil e da Itália existem muitas outras edições de mais de 20 países do mundo onde Tex foi editado, bonecos, estatuetas, pins e uma panóplia de outros objectos texianos, para além da fantástica galeria texiana onde estão expostos diversos desenhos originais do Tex, numa espécie de mini-galeria da Sergio Bonelli Editore por também ela ter todas as suas paredes repletas de originais que ao longo dos anos foram presenteados ao finado editor Sergio Bonelli.

Dolores Maldonado e Marcos Maldonado vendo fotografias da exposição dedicada a Sergio Bonelli

Dolores Maldonado e Marcos Maldonado na bibliotex de José Carlos Francisco

A estadia do casal Maldonado na Malaposta (pequena aldeia – onde habito – do centro de Portugal, cujo nome provém de “Antiga diligência do correio; Carruagem para transporte de pessoas e correio”, um meio de transporte que Tex e seus pards usaram e continuam usando em algumas aventuras) prolongou-se até ao seu regresso a Espanha e vivenciamos dias fantásticos, onde a amizade predominou e que só foi possível devido ao Ranger, ser uma personagem (de papel) tão especial e publicamente, agradeço ao casal Marcos e Dolores Maldonado, por estes maravilhosos momentos (poucos, mas bons) vividos em minha casa, pois é sempre um tremendo prazer falar sobre o nosso Tex, ainda mais entre Amigos com a mesma paixão e que no fundo são como família!

Marcos Maldonado, José Carlos Francisco e um original… especial

José Carlos Francisco, Marcos Maldonado e Tex… em Moura

Marcos Maldonado lendo o Tex francês – colorido – desenhado por Joe Kubert

José Carlos Francisco, Marcos Maldonado e um Tex… especial

José Carlos, Fátima, Dolores e Marcos Maldonado

Dolores Maldonado, a pequena Ana Beatriz e Marcos Maldonado

Andreia Sofia e Dolores Maldonado na bibliotex

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

11 Comentários

  1. Caro Zeca e texianos:
    Sua afirmação “caligrafia era tão semelhante com a do seu marido que não se conseguia identificar o início de uma e o fim de outra. Durante muito tempo ambos legendaram juntos, pois na época tinham tanto trabalho e algumas histórias tinham o prazo tão apertado que eles dividiam as páginas legendando por vezes a mesma história de Tex para a Editora Vecchi” não é lenda. É a pura verdade. Eu fui testemunha. Eu era o chefe de revisão da Vecchi na época, e revisamos várias histórias letradas da forma descrita por essa simpática dupla.

  2. Julgo que, como já tem acontecido, é algo fascinante para todos os seguidores deste blogue, irmanados no grande espírito fraternal da família texiana dispersa por vários pontos do mundo, partilhar os comentários entusiásticos do Zeca e as imagens de alguns momentos especiais vividos no seu lar, desta vez em companhia de um simpático casal brasileiro que já se tornou uma lenda, mesmo em terras lusitanas, onde é tão conhecido como outras ilustres personagens ligadas à história e ao percurso de Tex no Brasil e em Itália.
    Quanto ao treino e à perfeição que Marcos e Dolores Maldonado alcançaram no seu trabalho comum, ao ponto das suas caligrafias mimeticamente se confundirem, é outro curioso e relevante pormenor, somado à sua simpatia, à sua experiência e ao seu profissionalismo, que torna ainda mais meritório o prestígio de que gozam numa carreira quase sempre discreta como a de legendador/letrista.

  3. Parabéns, Amigo Zeca!

    Mais uma grande matéria, além da felicidade que sei ser real, por receber esta talentosa e mítica dupla de legendadores brasileiros.

    E ainda havia a Maria Maldonado, que eu lembro muito bem de ter lido muitas revistas de Terror “escritas” por ela.

    Tive o prazer de conhecer este fantástico casal durante a Fest Comix em SP, quando também conheci pessoalmente você e nosso grande Mestre Civitelli.

    Um grande abraço a você e ao casal Maldonado.

    Alvarez

  4. Zeca,

    Ia esquecendo. Suas princesas estão uma graça. Pelo visto a Andreia já superou o pai em tamanho. Rssss

    Talvez por isso o Amigo não tirou nenhuma foto ao lado dela. Rsssss

    Abraços

    Alvarez

  5. Casal Maldonado.

    A voz de Tex nas Hqs.

    Eles fazem parte da história de Tex no Brasil.

  6. Caro José Carlos
    Aqui quem esta escrevendo é o César, filho do Marcos e da Dolores.
    Parabéns pelo “Museu português do Tex” por sua família e pelo Blog do Tex.
    Ficamos muito felizes em saber que meus pais conseguiram visitá-los mais uma vez, alimentando essa forte amizade que nasceu de uma paixão em comum, o Tex. Espero que vocês possam se encontrar muitas outras vezes para matar saudades e conversar sobre o tão querido Ranger.
    Um grande abraço a você, sua família e a todos os leitores do Blog do Tex!

    César Maldonado e família.

    • Prezado César Maldonado, muito obrigado pelos seus parabéns e pelas suas palavras.
      Eu e a minha família também ficamos muito felizes pela vinda (inesperada, o que tornou ainda mais especial a maravilhosa surpresa) dos seus pais e agradecemos eternamente o esforço que fizeram (2.000 km “apenas” para visitar-nos) e também espero que ainda nos possamos ver muitas vezes no futuro, seja em Portugal, na vossa bela (que tanto amo e onde fui sempre muito bem recebido) Sorocaba ou quiçá, em Milão na verdadeira casa de Tex, a Sergio Bonelli Editore…

  7. Muito obrigado pela confirmação da “lenda” que “envolve o casal Madonado e que você testemunhou, caro Amigo Paulo Guanaes. Um dia também espero ter o prazer mas sobretudo a honra de recebê-lo também a si na minha casa 😉

    Tal como espero também receber os dilectos Amigos Jorge Magalhães, Bira Dantas, Alvarez e Carlos Pandolfo, para além de outros grandes e especiais Amigos que ainda não tive o privilégio de os receber aqui no “Museu português do Tex“, onde já recebi, por exemplo, o caríssimo Amigo AMoreira que veio acompanhado da sua simpática esposa…

    E a propósito do Amigo Alvarez, muito obrigado pelas suas palavras com relação às minhas princesas e realmente se a Andreia ainda não me superou em tamanho, para lá caminha… como pode ver na foto que se segue e onde estamos juntos:

    Fátima, Dolores, Andreia, Marcos e José Carlos

  8. Caro José Carlos, felicito-o pelo Blog. Realmente fantástico!!
    Eu sou genro do casal Marcos e Dolores e gostaria de deixar aqui meu testemunho sobre eles, como pais meus que assim os considero. Nunca os vi desistirem de seus objetivos. E como trabalhavam… Fazendo Zilhões de letrinhas, criaram e educaram seus filhos e construíram patrimônio.
    Quando namorava a Márcia, filha mais velha deles e hoje minha amada esposa, me lembro que as vezes precisávamos montar um certo números de páginas antes de irmos passear, para que eles pudessem letrerar durante toda a noite. Eram verdadeiros leões… Mesmo doentes as vezes, ou melhor muitas vezes pois meu sogro é hemofílico, trabalhavam nas letras. Era impressionante!! Mesmo com as dores muito fortes dele, os dois trabalhavam muito, muito, para entregar as histórias no prazo. E até, pasme! Fizeram “Foto-Novelas”… sim, daquelas bem antigas… kkk
    Deram ótima educação aos filhos. São definitivamente meus heróis. e são sempre presentes na vida de toda família.
    Marcos e Dolores, obrigado por me deixar fazer parte de suas vidas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *