ESTATÍSTICAS BONELLIANAS – 2020: BOSELLI NOTA 20… COM LOUVOR

Por Saverio Ceri

BOSELLI, NOTA 20… COM LOUVOR

Aqui estamos com a segunda parte dos números bonellianos de 2020, onde descobriremos quem escreveu, página por página, as vinte e uma mil, setecentos e doze páginas inéditas de banda desenhada produzidas pela Bonelli nestes últimos doze meses.

Mauro Boselli com o Maxi Tex da histórica ultrapassagem ocorrida em 2020

Não obstante os 10% de páginas originais publicadas a menos comparativamente com 2019, o número de escritores bonellianos permaneceu quase estável. De facto, este ano 77 autores assinaram pelo menos um argumento, contra os 79 no ano passado. E sim, é o número de escritores mais baixo dos últimos quatro anos, mas também é verdade que é o maior de todos os anteriores 76 anos da editora. Oito, exactamente como há um ano, os iniciantes na máquina de escrever, mesmo que algum não seja propriamente novo na casa Bonelli e já o tenhamos conhecido com pincéis ou cores. No ranking abaixo encontrarão todos eles, antigos e novos, em colunas por número de páginas inéditas publicadas; descobrirão com quais personagens eles colaboraram e se o resultado dos últimos doze meses é o seu Melhor Pessoal (PB verde se ultrapassado, PB amarelo se igualado), ou se estão em estreia (E), na editora. Os números periódicos que encontrarão são filhos de histórias escritas por várias mãos.
O pódio 
O incansável Mauro Boselli é, pelo décimo ano consecutivo, o argumentista mais publicado nos volumes de Tex & Cia.; com esta vitória eleva para 17 o número dos seus “títulos” Bonellianos. O “louvor” do título, que se soma aos 10 sucessos consecutivos, é o devido reconhecimento pela histórica ultrapassagem a Gianluigi Bonelli no topo do ranking dos escritores mais publicados de todos os tempos nas publicações da Sergio Bonelli Editore. Um ano, pelo menos para Mauro, para recordar. Atrás dele, encontramos Pasquale Ruju, o último argumentista a ter publicado mais páginas que Boselli num ano… estávamos em 2011.
Ruju subiu ao pódio pela sexta vez na carreira, a última vez tinha sido em 2018.
Atrás dos dois texianos, Claudio Chiaverotti conquista o pódio pela quarta vez; a última vez tinha sido em 2017. Claudio subiu no ranking, em comparação ao décimo lugar no ano passado, somando aos seus clássicos Brendon e Morgan Lost, as páginas escritas para a nova encarnação de Dylan Dog, mas também uma história para a série regular de Zagor centrada em torno de um dos inimigos históricos do Espírito com a Machadinha: Kandrax, o mago.

Pasquale Ruju, o único escritor que pode se orgulhar de ter ultrapassado Boselli na última década, mesmo que apenas por uma vez

O Top Ten
No Top Ten entram Perniola, Vigna e Recchioni que substituem Rigamonti, Masiero e Manfredi, este último passando do pódio em 2019 para nem uma única página publicada em 2020; portanto, sai do ranking após 26 anos de presença ininterrupta com textos Bonellianos.
A propósito de Top Ten: Boselli junta-se ao grupo pelo 27º ano consecutivo e pela 28ª vez na carreira; nos últimos 7 anos também Ruju esteve sempre no Top Ten, elevando sua participação geral para 15 presenças entre os dez primeiros. Berardi frequenta o círculo exclusivo dos mais publicados há 6 anos consecutivos e quase rivaliza com Boselli com 26 participações no Top Ten. Quem por sua vez disputa com Mauro o título das presenças é Mignacco também presente pela 28ª vez no restrito círculo dos dez mais produtivos. Seguem-se Chiaverotti e Burattini, ambos com 25 presenças.

Luigi Mignacco um dos autores mais prolíficos da Bonelli: por vinte e oito anos no Top Ten!

Os veteranos
Entre os escritores publicados este ano, o veterano continua a ser Alfredo Castelli, agora no seu 49º ano bonelliano, seguido por Giancarlo Berardi que publica na SBE há 43 anos e Maurizio Mantero que se estreou um par de anos depois, pelo que vimo-lo nas publicações Bonelli há 41 anos. Tiziano Sclavi, por sua vez, comemora, este ano o seu 40º ano bonelliano como argumentista.
Depois do já citado Castelli, já no seu 44° anno consecutivo de publicações, destacamos que Mignacco  vem sendo publicado ininterruptamente há 34 anos, seguido de Vigna (33 anos), Chiaverotti (32), Boselli (29), Burattini (28), Berardi (27), Ruju (26), Vietti (25), Enoch (24), Barbato e Mantero (23).

Alfredo Castelli, o decano dos escritores: daqui a poucos meses festejará os cinquenta anos na Casa Bonelli

Série por série
Encerramos com a lista dos escritores mais publicados em cada série, pelo menos aqueles com 500 páginas publicadas no ano que está prestes a chegar ao fim. reportamos, abaixo, uma tabela-resumo, com o número de páginas publicadas e o número de vitórias anuais relativamente à série em questão.
Boselli conquista a segunda estrela  dampyriana, triunfando pela 20ª vez em 21 anos de vida do personagem.
Enoch equilibra as contas com o co-criador Vietti, tornando-se o escritor mais publicado em Dragonero pela quinta vez em doze meses; mesmo que no total das páginas publicadas desde a estreia do personagem Vietti ainda permaneça na frente por 445 páginas.
Em Dylan Dog finalmente chegou o ano de Recchioni, que com 564 páginas publicadas, vence o seu primeiro Scudetto do Pesadelo e sobe no ranking geral do personagem, atingindo o décimo primeiro posto.
Na criminóloga, destaque para a reconfirmação de Berardi no topo do ranking de Júlia pelo 23º ano consecutivo, ou seja, desde que criou a sua personagem.
Os argumentistas de Martin Mystère foram tantos durante este ano que Lotti conquista, com menos de 200 páginas, o seu terceiro título mysteriano.
Mignacco é reconfirmado pelo segundo ano consecutivo, e pela décima sexta vez na sua carreira, líder do ranking de Mister No.
Chiaverotti inevitavelmente torna-se o escritor mais publicado em Morgan Lost pelo sexto ano consecutivo.
Após dois anos na retaguarda, Vigna volta a ser o escritor mais publicado em Nathan Never, conquistando o sétimo título da série.
Segundo ano para Odessa e segundo título para Rigamonti, co-criador do projecto.
Boselli neste 2020 conquista o segundo título de série, reconfirmando-se pelo segundo ano consecutivo, décimo segundo no geral, o escritor Tex mais publicado.
Recorde de fidelidade à camiseta vermelha para Burattini, pelo 27º ano o escritor mais publicado nas publicações de Zagor.
 

Moreno Burattini (na foto com a sua esposa Valentina Uccheddu), o escritor zagoriano mais publicado em absoluto, também encontrou tempo para se casar neste 2020

Por hoje é tudo. Se você perdeu, convidamo-lo a ler a primeira parte dedicada às fantasmagóricas cifras bonellianas de 2020, e  voltaremos a encontrar-nos em breve com todos os números dos desenhadores bonellianos em 2020.
Saverio Ceri

Material apresentado no blogue Dime Web em 24/12/2019; Tradução e adaptação (com a devida autorização): José Carlos Francisco.
Copyright: © 2020, Saverio Ceri

2 Comentários

  1. Pard José Carlos, tu sabes se o Nizzi está escrevendo mais histórias do Tex?
    Eu considero Nizzi o melhor escritor de Tex.

    • Sim, prezado pard Teodoro, para seu deleite e também para meu porque gosto muito das histórias do Nizzi, ele continua escrevendo novas histórias para Tex 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *