As Leituras do Pedro: 2018 – Um ano de grandes colecções no Público (entre elas a Colecção Bonelli)

As Leituras do Pedro*

2018 – Um ano de grandes colecções no Público (entre elas a Colecção Bonelli)

.
O ano passado foi, atrevo-me a escrever, se não o melhor, pelo menos um dos melhores anos de sempre no que a colecções de BD publicadas com o jornal Público diz respeito. A tónica geral foi diversidade e qualidade.
No total, foram seis colecções, num total de 56 volumes. Quatro da Levoir (36 volumes) e duas da ASA (20 volumes). Colecções mais curtas do que em anos anteriores, uma tendência para manter – e até talvez acentuar – no futuro.
Eis a sua listagem:

  • Torpedo 1936 integral (Levoir): 6 volumes
  • IR$ (ASA): 9 volumes
  • Bonelli (Levoir): 10 volumes
  • Novela Gráfica 2018 (Levoir): 12 volumes
  • Vertigo 25 anos (Levoir): 5+3 volumes
  • Largo Winch (ASA):11 volumes
    .
[Voluntária e conscientemente omiti nesta lista a colecção Y, O último homem (Levoir), não por falta de qualidade, bem pelo contrário, mas pela lógica de publicação diferenciada.]
.
Desta forma, passamos a ter em Portugal acesso a traduções de três séries de referência em versão integral: Torpedo 1936, IR$ e Largo Winch – a primeira e a última fundamentais em qualquer biblioteca de BD.
.
Duas das colecções são mostruário de dois catálogos de referência, o da Sergio Bonelli Editore e o da Vertigo, e ambas, juntamente, mais uma vez, com a Novela Gráfica serviram para alargar horizontes de quem lê BD em Portugal.
.
Estes 56 livros foram editados entre 1 de Fevereiro e 5 de Dezembro. Atendendo a que houve 7 semanas sem nenhuma edição e que foram editados mais quatro volumes do que as semanas do ano, isso significa que ao longo do ano houve sobreposição de edições em 11 semanas. É uma ocorrência que o jornal pretende reduzir ou mesmo evitar de futuro. O que significará menos edições por ano.
.
Dos 56 livros, 48 eram inéditos em português e oito já tinham sido editados parcial ou completamente no nosso país. Quanto à origem, houve uma colecção espanhola, duas franco-belgas, uma italiana, uma norte-americana e uma com obras de várias proveniências. Distribuindo esta última, ficamos com 13 livros originalmente espanhóis, 25 franco-belgas, 10 italianos, 9 norte-americanos e um sul-americano..
.

.
Com um ou outro lapso que deve ser considerado de pormenor no computo geral, lamentando a não edição pela ASA dos volumes seguintes da suas suas colecções que, mais a mais, encerram dípticos, estamos perante edições de qualidade, de obras de referência, de temáticas e estilos muito variados, capazes de agradar a uma vasta gama de leitores, para mais a preços agradáveis.
.
Resta esperar que o Público e os seus parceiros nos proporcionem, em 2019, (tantas) boas leituras como no ano transacto. As hostilidades vão abrir já na primeira quinzena de Fevereiro [com mais 2 volumes de Y, O último homem], seguindo-se, a partir da segunda quinzena do mesmo mês, os 10 volumes já anunciados da colecção dedicada aos 80 Anos de Batman.
..
A seguir – previsivelmente em Abril/Maio – é de contar com uma colecção franco-belga e o meio do ano trará – e esta é uma previsão de As Leituras do Pedro feita com razoável certeza – a Novela Gráfica 2019. Depois, só o futuro o dirá….
.
*
Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro
.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *