O melhor livro da Colecção Bonelli Portugal foi… (sondagem promovida pelo Blogue “As Leituras do Pedro”)

…, de acordo com os resultados da sondagem promovida por As Leituras do Pedro, Dylan Dog: A saga de Johnny Freak, de Tiziano Sclavi, Mauro Marcheselli, Andrea Venturi e Giampiero Casertano.
.
Curiosamente, a personagem repete a preferência expressa pelos leitores na sondagem que dizia respeito à colecção Novela Gráfica 2017. Um pormenor a que os editores deverão estar atentos?
.
Este livro de Dylan Dog, que ocupou o primeiro lugar quase desde o início, recolheu 53 indicações (18,4 % do total), tendo sido indicado por quase dois quintos (39,3 %) dos 135 leitores deste blogue que participaram na sondagem.
.
Nos lugares imediatos, ficaram o surpreendente Le Storie: Sangue e Gelo (48 indicações, 16,7 % do total; indicado por 35,6 % dos participantes) e – sem surpresa para mim – Julia: O Eterno Repouso (40; 13,9 %; 29,6 %).
.
As ‘aventuras portuguesas’ desta (primeira?) colecção Bonelli, que a Levoir disponibilizou com o jornal Público ao longo de dez semanas, tiveram resultados semelhantes e pouco significativos, indicadores que a localização não foi incentivo suficiente para a leitura. Dampyr: Aventuras em Portugal conseguiu o sexto lugar (24; 8,3 %; 17,8 %) e Martin Mystère: O Destino da Atlântida foi oitavo (18; 6,3 %; 16,3 %).
.
Uma ilação curiosa desta sondagem – possivelmente surpreendente para muitos – é a ‘vitória’ inquestionável de Dylan Dog sobre Tex Willer. Na verdade, os dois livros do detective do impossível (A Saga de Johnny Freak e Os Inquilinos Arcanos) tiveram maior votação individual que qualquer dos dois volumes do ranger (A Lenda de Tex e A pista dos fora-da-lei), e em conjunto, Dylan Dog (84) teve quase o dobro das indicações de Tex (48).
.
A cor parece não ter feito diferença nas escolhas. Os volumes a preto e branco ocuparam o 1.º, 3.º, 6.º, 8.º, 9.º e 10.º lugares, enquanto que o coloridos ficaram em 2.º, 4.º, 5.º e 7.º.
.
Cada participante votou, em média, em 2,1 livros.
A estes, o meu obrigado pela participação. Aos outros, reitero o convite para (re)descobrirem a banda desenhada Bonelli, agora com a possibilidade de seguirem as indicações de quem já leu as obras…
.

Sondagem Colecção Bonelli Portugal 2018

*Pedro Cleto, Porto, Portugal, 1964; engenheiro químico de formação, leitor, crítico, divulgador (também no Jornal de Notícias), coleccionador (de figuras) de BD por vocação e também autor do blogue As Leituras do Pedro

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Não me surpreendem os resultados. Se os volumes de Tex fossem inéditos por exemplo…
    Essa colecção foi adquirida por coleccionadores de BD, não só por texianos. E os coleccionadores apreciam as histórias pelo seu conteúdo e qualidade no seu todo, e não só pela personagem principal.

  2. Eu gostaria que a Mythos se arriscasse mais, e lançasse em livrarias livros com melhor acabamento gráfico destes heróis Bonelli. Mas eles ainda tem o preconceito de ser uma leitura amadora e barata, infelizmente.

    Pard Zeca, por favor, parece que a editora que tinha os direitos da marca “Júlia”, no Brasil não tem mais estes direitos. Assim a Mythos poderá mudar a nomenclatura da revista da Júlia finalmente, alerte o Dorival, por favor.

    • Olá, pard Banzé,
      Ao que eu sei a Mythos já a par da questão de Júlia, mas a esta altura do campeonato creio que a mudança de nome da série traria mais críticas do que elogios. É apenas a minha opinião, não sei qual será a do Dorival e do Helcio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *