Em Novembro, novo Color Tex com QUATRO histórias curtas de Tex

Por José Carlos Francisco

Minaccia nelle tenebre, de Mauro Boselli e Giuseppe Franzella

É já no próximo mês de Novembro, mais precisamente no dia 20, que chega aos quiosques italianos o habitual Color Tex Outonal, prosseguindo a fórmula já habitual de quatro histórias curtas, de 32 páginas cada, realizadas por autores diversos e neste oitavo número das aventuras coloridas do nosso imparável Ranger, o terceiro contendo histórias curtas, uma vez que alterna com a edição do Verão,  constituída por uma única história de 160 páginas, vamos ter a participação, nos textos, de Mauro Boselli, Pasquale Ruju, Gigi Simeoni e Luigi Mignacco.

Sfida alla vecchia missione, de Pasquale Ruju e Sergio Tisselli

A arte das quatro histórias, por sua vez será da responsabilidade de quatro desenhadores que se estreiam na saga de Tex: Giuseppe Franzella (com cores de Oscar Celestini), Sergio Tisselli (também responsável pelas cores), Gigi Simeoni que deste modo é o autor único da sua história (com as cores a serem igualmente de Oscar Celestini) e Luca Vannini (também ele responsável pelas cores).

Color Tex

Quanto às quatro aventuras em si, teremos Minaccia nelle tenebre, de Mauro Boselli e Giuseppe Franzella, onde veremos El Morisco a ajudar Tex contra um antigo demónio que se esconde na sombra. Sfida alla vecchia missione, com argumento de Pasquale Ruju e arte magistral de Sergio Tisselli, onde uma mulher raptada por um chefe Comanche deve decidir para quem vai o seu amor e a sua lealdade.

La banda Hogan, com argumento e desenhos de Gigi Simeoni

La banda Hogan, com argumento e desenhos de Gigi Simeoni e onde um perigoso fora-da-lei que viaja aprisionado num comboio vai ser alvo de uma tentativa de libertação por parte dos seus cúmplices. E para concluir o álbum a cores teremos Chindi, com argumento de Luigi Mignacco e arte de Luca Vannini,onde os fantasmas de uma família Hopi pedem a Jack Tigre para vingá-los…

Chindi, de Luigi Mignacco e Luca Vannini

Quanto à capa (polémica, pelos ecos que nos chegam) deste volume de 132 páginas é assinada por um autor não texiano, o carismático Tanino Liberatore que deste modo também se estreia a desenhar oficialmente Tex Willer.

Arte da capa da autoria de Tanino Liberatore

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

7 Comentários

    • Polémica, porque na Itália há muita gente a considerar esta a pior capa de toda a saga do Ranger 😉

  1. Spero la storia sia bella perché la copertina ovvero Tex non è verosimile: non sembra Tex!

  2. A capa de Liberatore é diferente, sem dúvida, mas daí a considerar que é a pior de sempre vai, quanto a mim, uma grande distância. Quando é que alguns pards deixarão de ser tão conservadores? 🙂
    Liberatore não é um ilustrador convencional, muito pelo contrário, e o vigor das suas composições está bem expresso nesta capa em que tanto o cavalo como o cavaleiro parecem dois titãs, duas forças da natureza!
    Acho que das quatro histórias deste Color Tex duas se destacam à primeira vista: a que tem cores directas e fantásticas de Sergio Tisselli e a última, desenhada por Luca Vannini, um artista de estilo mais tradicional que promete vir a ser um bom elemento das renovadas equipas texianas.

  3. A SBE mudou a capa ? Pergunto isso porque vi na página do Facebook de Tex que seria uma capa do Villa (que alguém até comentou que os olhos do Carson ficaram brancos, rs) , a menos que a capa do Villa seja pra uma outra edição e eu to confundindo, rs.
    Obrigado.

  4. Liberatore fraco e mau desenhador? Não acredito no que leio… para mim umas melhores capas do Tex… menos betinho ehehehe

  5. O Liberatore é conhecido em toda a Europa menos que na Itália, o problema italiano é demasiada TV e poucos livros…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *