Fabio Civitelli pelos caminhos da Bairrada

Por José Carlos Francisco

Fabio Civitelli e José Carlos Francisco tendo por trás a Câmara Municipal de Anadia

A Bairrada é uma região situada na Beira Litoral, em Portugal, que compreende os concelhos de Mealhada, Anadia, Cantanhede, Águeda e Oliveira do Bairro, caracterizando-se essencialmente pela forte produção vitivinícola, sob a denominação Bairrada e sendo também considerada Região Demarcada, bem como pelo afamado Leitão Assado à Bairrada.

Fabio Civitelli e José Carlos Francisco na Praça Visconde de Seabra em Anadia

E foi pelos caminhos da Bairrada que o afamado desenhador italiano de Tex, Fabio Civitelli de seu nome, passeou no passado dia 10 de Setembro de 2011 na companhia dos seus pards José Carlos Francisco, Carlos Moreira e Fernanda Martins antes de rumar a Viseu onde a inauguração do 17º Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu o aguardava pelas 17 horas.

Fernanda Martins, Fabio Civitelli e Carlos Moreira no coração de Anadia

Carlos Moreira e José Carlos Francisco descansando à sombra de uma palmeira em Anadia

A oportunidade de dar a conhecer um pouco da região Bairradina a Fabio Civitelli prendeu-se com o facto do desenhador italiano ter ficado hospedado na Malaposta, QG de Tex em Portugal. O passeio começou precisamente pela capital da Bairrada, Anadia, uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Aveiro, região Centro e sub-região do Baixo Vouga, com cerca de 3.034 habitantes. A cidade de Anadia está inserida na freguesia de Arcos. Lugares desta freguesia: Anadia, Arcos, Famalicão e Malaposta. Anadia é ainda sede de um município com 216,64 km² de área e 31 422 habitantes.

Tradição ou lenda refere que o seu topónimo proviria de Ana Dias, proprietária de extensa vinha na periferia da povoação. O vinho produzido, de óptima qualidade, era por ela vendido junto da estrada de Coimbra, o que lhe granjeara tal fama, que o seu nome ficaria ligado a esta terra para sempre: Ana Dias, Ana Dia, Anadia.

Carlos Moreira, Nazaré Pereira, Fabio Civitelli e José Carlos Francisco no Museu Benfiquista da mãe de José Carlos

Aproveitando a presença de Fabio Civitelli em Anadia, a visita ao Museu Benfiquista da mãe de José Carlos Francisco, a dona Maria Nazaré Pereira era ponto de paragem obrigatório. Toda a família é benfiquista, inclusive a pequena Ana Beatriz, mas o fervor e a paixão de Nazaré Pereira pelo Benfica, Clube único de entre os demais, nobre na fundação, percurso e filosofia, aberto a todas as almas, indiferente à pobreza ou à riqueza é tão grande, grande demais para caber apenas no seu coração que ao longo dos anos foi juntando uma panóplia dos mais diversificados adereços benfiquistas a ponto de hoje em dia ter um verdadeiro Museu Benfiquista na Bairrada.

Carlos Moreira, Nazaré Pereira, Fabio Civitelli, José Carlos Francisco e Ana Beatriz no Museu Benfiquista da mãe de José Carlos

De seguida fomos mostrar a Fabio Civitelli a afamada Estância Termal da Curia (a Curia deve a sua existência às propriedades curativas das suas famosas águas. Já no tempo dos Romanos a qualidade da água da Curia era conhecida e, para eles, a Curia era Aquae Curiva – água que cura), localizada em pleno coração da Bairrada vitivinícola.

José Carlos Francisco, Fernanda Martins, Fabio Civitelli e Carlos Moreira no belo parque das Termas da Curia

“AQUAE CURIVA” era o nome conhecido ao tempo da ocupação da Península pelos romanos, que conheciam as nascentes e as exploravam. Do topónimo “CURIVA” adveio o nome da actual povoação, a CURIA, uma das mais antigas e afamadas estâncias hidrológicas portuguesas. Durante séculos, as termas viveram no esquecimento, até que em 1900 foi fundada a Sociedade das Águas da Curia, por iniciativa de Albano Coutinho.

José Carlos Francisco e Fabio Civitelli na Fonte Albano Coutinho na Estância Termal da Curia

Fabio Civitelli passeando pela Estância Termal da Curia com Fernanda Martins, Teresa Moreira, Carlos Moreira, Fátima Francisco e Andreia Sofia

…….
As termas da Curia, hoje em dia, oferecem ao Aquista a tradição termal unida ao conforto e à tecnologia moderna, usada no novo edifício termal, que ficou concluído em 1993. Assim, as Termas da Curia satisfazem as exigências do aquista durante todo o ano, tanto para uma cura termal como para férias relaxantes.

Ana Beatriz, Fabio Civitelli e José Carlos Francisco nas Termas da Curia

A Curia é então hoje uma moderna estância de saúde que oferece ao aquista um avançado complexo termal com tratamentos especializados para combater doenças metabólico-endócrinas, cálculos renais e infecções urinárias, hipertensão arterial, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas, programas de recuperação de forma física, reabilitação, fisioterapia correctiva e dietas de emagrecimento.

Teresa Moreira, Fátima Francisco, Ana Beatriz, José Carlos Francisco e Fernanda Martins

Com génese nas águas termais descobertas então há muito pelos Romanos, a Curia é constituída de uma verdadeira mancha verde ímpar, propõe-nos um despertar para os verdadeiros sentidos da vida: regressamos ao nostálgico ambiente dos dourados anos 20 e mergulhamos na arquitectura “Belle Époque” e “Arte Nova”.

Fabio Civitelli com a família Francisco no belo parque das Termas da Curia

Apreciamos os gigantescos plátanos, respiramos o ar perfumado por calmas tileiras, passeamos pelos belos jardins e pelo frondoso Parque das Termas e deixamo-nos deambular pelos pitorescos caminhos por entre vinhedos, mas, acima de tudo, sentimos o raro prazer de viver um sentimento de liberdade e de espaço onde os únicos limites são a imensidão do verde das árvores e infinito azul do céu.

Fabio Civitelli e Fernanda Martins no parque da Curia

Fabio Civitelli e a família Moreira no parque da Curia

Local paradisíaco onde Tex seria muito bem vindo e certamente ficaria agradado com este passeio na companhia de Fabio Civitelli. Caminhos curiosamente percorridos por estes dias pelo editor Dorival Vitor Lopes que se encontra a passar umas curtas férias precisamente na portuguesa Região Bairradina…

José Carlos Francisco e Fabio Civitelli na Malaposta, tendo a residência de José Carlos por trás

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

9 Comentários

  1. Que belo passeio. Os Amigos estão muitos felizes. Isso é muito bom pra mim, que torço pela FELICIDADE de todos. Grande Abraço a esta linda Familia. Ary Otávio

  2. Ah, que beleza ! Este passeio lembrou-me outro que eu fiz com minha esposa, Luisa, e Marco, Ivano, Sergio, parceiros do fórum italiano SCLS, uns anos atrás na ocasião da reunião luso-italiana (com o almoço baseado no Leitão Assado à Bairrada) junto com muuuuuitos amigos de Tex !!! Bela lembrança !!! 🙂

  3. Mais uma estupenda foto-reportagem que nos permite a todos, mesmo estando longe, ficar por dentro do acontecimento e até aprender mais algumas coisas sobre a região da Bairrada.
    Fabio Civitelli sorridente e impecável como sempre… José Carlos cada vez mais parecido com uma encarnação moderna de Tex, que, sem “armas”, posa orgulhoso ao lado dos amigos e da sua bela família.
    E que dizer do museu de D. Maria Nazaré Pereira? Não sou benfiquista, mas deve ser algo realmente digno de ver-se. Não admira que a sua devoção pelo clube do grande Eusébio se tenha transmitido a toda a família. E a propósito: terá D. Maria Nazaré no seu museu o álbum de BD com a história de Eusébio e da sua carreira desportiva, realizado por Eugénio Silva? É uma das mais belas odes, pura poesia gráfica, que já li em homenagem ao Benfica, na pessoa do seu (ainda hoje) mais lídimo representante.

    • Prezados Amigos Jorge Magalhães e Carlos Rico, a história (em banda desenhada) de Eusébio e da sua carreira desportiva, realizado por Eugénio Silva já está no Museu benfiquista da minha mãe, assim como no meu Museu do Tex, pois também eu não poderia deixar de ter esta magnífica obra benfiquista 😉

  4. Conheci a Dª. Maria Nazaré Pereira e o seu Museu do Benfica em 2007, quando fui lá buscar uma pequena parte da coleção do Zeca para expormos em Moura durante o salão.
    Na altura notei que não existia no Museu esse álbum do Eusébio e pensei em oferecer-lho quando regressasse para devolver o material. Infelizmente não consegui adquirir um exemplar do álbum. Julgo que estará esgotado por estes dias (e não tenho dúvidas – apesar do meu sportinguismo – que seria um êxito de vendas a sua reedição).
    Optei por lhe levar o álbum de caricaturas do Benfica desenhadas por Carlos Laranjeira, Pedro Ribeiro Ferreira e Ricardo Galvão.
    O Museu é o espelho de um enorme amor que a Dª. Nazaré nutre pelo clube da Luz. Vale a pena fazer-lhe uma visita.

  5. Sem duvida mais uma bela recordação dos fantásticos dias que tive o prazer de desfrutar em tão boa companhia, e aquele Museu já o visitei duas ou três vezes (coração benfiquista a falar) e não me canso.

  6. Boa Tarde,

    Gostaria de entrar em contacto com a D. Nazaré porque a minha empresa gostaria de saber se estaria interessada em fazermos um vídeo para o historial do Benfica, que nos encontramos a preparar. Agradecia que me contactassem por email ou por telefone o mais rápido possível. Cumprimentos,
    Sara Silva

  7. B E L E Z A ! ! ! Dois museus na mesma cidade: o da mãe do Zeca pelo Benfica e o do Zeca pelo nosso grande Ranger !!!
    Parabéns meus amigos 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *