Leomacs e os desenhos feitos na passagem pela 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, em Anadia

maio 19, 2017

Leomacs e os desenhos feitos na passagem

pela 4ª Mostra do Clube Tex

Portugal, em Anadia

Por José Carlos Francisco (texto), Cristina Amaral, Orlando Santos Silva e Marco Guerra (fotos)

Leomacs a desenhar para os seus fãs, em Anadia

No decurso da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, Leomacs brindou dezenas de Texianos presentes com desenhos feitos no momento por si, para gáudio de alguns dos presentes no evento bairradino.

Mas os desenhos realizados por Leomacs não se ficaram apenas pelos produzidos no decorrer do evento, isto porque Leomacs foi muito assediado pelos seus fãs na tentativa de conseguirem um desenho original de sua autoria feito na hora e com a respectiva dedicatória, levando a que o autor italiano tivesse por vezes que os realizar em condições inapropriadas, mas a todos Leomacs sempre respondeu positivamente, apesar de em alguns casos o cansaço do autor ser bem visível no seu rosto, fazendo um belíssimo desenho a cada Texiano e sempre com um sorriso encantador no rosto dando uma verdadeira lição de profissionalismo e de humildade, confirmando porque Leomacs foi tão admirado pelos seus fãs portugueses.

O blogue do Tex mostra de seguida, a todos os interessados, alguns desses fantásticos desenhos que esperamos sejam do agrado de quem acessa o blogue.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

2

A experiência PORTUGUESA de Keiko Ichiguchi (esposa de Andrea Venturi) – Parte 1

maio 18, 2017

A experiência PORTUGUESA

de Keiko Ichiguchi

(esposa de Andrea Venturi)
-
Parte 1

Keiko Ichiguchi, desenhadora e esposa do grande, e também desenhador, Andrea Venturi, fez questão de homenagear a recepção que antecedeu a 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, publicando as suas impressões pessoais no seu blog pessoal “KeikoSan”!
O Clube Tex Portugal fica muito honrado com tantas gentilezas e agradece todo o carinho, esperando receber estes dois Mestres da Nona Arte novamente!

Por Keiko Ichiguchi [1]

Eu relembrei o quão divertido é viajar para um país pela primeira vez. Vou escrever aqui um pouco, dividindo em alguns episódios, sobre a minha primeira viagem a Portugal.

No final de Abril, por alguns dias, eu estive em Portugal. O meu marido, um dos desenhadores de “TEX”, foi convidado por um fã-clube de Portugal, que, gentilmente, também me convidou.

Toda a viagem foi muito bem preparada pelo Clube Português. A nossa viagem começou com uma grande surpresa. Voamos com a TAP Air Portugal. No embarque disseram-nos: “Vocês irão viajar em Classe Executiva.” MAS! A SÉRIO?! Devido a Overbooking (termo utilizado por empresas que se refere a prática de vender um serviço em quantidade maior do que a capacidade que a empresa pode fornecer)?! Afinal, descobrimos que a esposa de um dos directores do Clube Tex Portugal estava a bordo como hospedeira. Tendo sabido que iríamos apanhar aquele voo, o Clube Português pagou mais para que viajássemos em Classe Executiva.

Também tivemos uma refeição, de acordo com a hospedeira, feita com produtos portugueses. (O pão e o vinho foram surpreendentemente bons!)


O aeroporto de Lisboa! Quantas vezes maior do que o de Bolonha?! É verdade que Lisboa é a capital do Estado, enquanto Bolonha é uma capital regional (^ ^;)


No aeroporto, o marido da hospedeira que nos tinha acompanhado, aguardava-nos. Praticamente este casal veio buscar-nos a Bolonha e levar-nos para Portugal! Como é belo o carinho dos leitores…

As surpresas continuavam.

A cidade onde iria desenrolar-se o evento ficava a cerca de duas horas de viagem de carro. Durante o trajecto, em determinado momento surge a pergunta, “Querem visitar Fátima?” FÁTIMA? Aquela Fátima, famosa pelos três segredos dos pastorinhos?! “Sim! Sim! De bom grado!!” Fui eu a responder, não o meu marido (^ ^;)

A minha viagem portuguesa continua no próximo episódio >

[1] (Texto publicado originalmente no blogue “KeikoSan, em 15 de Maio de 2017)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

1

Andrea Venturi e os desenhos feitos na passagem pela 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, em Anadia

maio 17, 2017

Andrea Venturi e os desenhos feitos na

passagem pela 4ª Mostra do Clube Tex

Portugal, em Anadia

Por José Carlos Francisco (texto), Orlando Santos Silva e Marco Guerra (fotos)

Andrea Venturi a desenhar para os seus fãs, em Anadia

No decurso da 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, Andrea Venturi brindou dezenas de Texianos presentes com desenhos feitos no momento por si, para gáudio de todos os presentes no evento bairradino.

Andrea Venturi e um autógrafo desenhado

Mas os desenhos realizados por Andrea Venturi não se ficaram apenas pelos produzidos no decorrer do evento, isto porque Venturi foi muito assediado pelos seus fãs na tentativa de conseguirem um desenho original de sua autoria feito na hora e com a respectiva dedicatória, levando a que o autor italiano tivesse por vezes que os realizar em condições inapropriadas, mas a todos Andrea Venturi sempre respondeu positivamente, apesar de em alguns casos o cansaço do autor ser bem visível no seu rosto, fazendo um belíssimo desenho a cada Texiano e sempre com um sorriso encantador no rosto dando uma verdadeira lição de profissionalismo e de humildade, confirmando porque Venturi foi tão admirado pelos seus fãs portugueses.

Andrea Venturi a desenhar em pé

Andrea Venturi a desenhar em pé

O blogue do Tex mostra de seguida, a todos os interessados, alguns desses fantásticos desenhos que esperamos sejam do agrado de quem acessa o blogue:

Andrea Venturi e o seu desenho de Tex para o livro de honra do Museu do Vinho Bairrada

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

0

PRANCHAS INÉDITAS de Stefano Andreucci a Mario Rossi (Majo) passando por Laura Zuccheri, Alessandro Piccinelli, Gianluca & Raul Cestaro, Pasquale Del Vecchio, Claudio Villa, Michele Benevento, Maurizio Dotti, Giovanni Bruzzo, Pasquale Ruju e Lucio Filippucci

maio 16, 2017

PRANCHAS INÉDITAS de Stefano Andreucci a

Mario Rossi (Majo) passando por Laura

Zuccheri, Alessandro Piccinelli, Gianluca &

Raul Cestaro, Pasquale Del Vecchio, Claudio

Villa, Michele Benevento, Maurizio Dotti,

Giovanni Bruzzo, Pasquale Ruju e

Lucio Filippucci

Hoje no blogue do Tex vamos dar, uma vez mais, conhecimento aos nossos leitores de inúmeras páginas INÉDITAS de Tex que estão sendo desenhadas por alguns dos grandes nomes do staff de Tex, de Stefano Andreucci a Mario Rossi (Majo) passando por Laura Zuccheri, Alessandro Piccinelli, Gianluca & Raul Cestaro, Pasquale Del Vecchio, Claudio Villa, Michele Benevento, Maurizio Dotti, Giovanni Bruzzo, Pasquale Ruju e Lucio Filippucci.

Página do próximo cartonado, com argumento de Mauro Boselli e desenhos de Stefano Andreucci, a publicar em Setembro deste ano. Cores de Matteo Vattani

Prancha do próximo Tex Gigante que estará disponível nos quiosques italianos neste Verão com argumento de Mauro Boselli e desenhos de Stefano Andreucci

Prancha do Tex Gigante que está a ser desenhado por Laura Zuccheri

Página desenhada por Alessandro Piccinelli para o Tex nº 682 a publicar em Agosto e que trará o regresso de Lupe num argumento de Mauro Boselli

Página do ansiado retorno de Mefisto ainda em produção! Irmãos Cestaro nos desenhos e Mauro Boselli nos textos

Pasquale Del Vecchio com uma prancha do Maxi Tex deste ano que conterá uma história verdadeiramente especial, escrita por Mauro Boselli

O Mestre Claudio Villa mostra-nos uma prancha do seu Tex Gigante em produção

Michele Benevento está a desenhar uma história de Tex escrita por Mauro Boselli e nesta fotografia exibe-nos uma prancha acabada de desenhar

Maurizio Dotti exibe-nos uma prancha da história de Tex que está a desenhar com argumento de Mauro Boselli!

Giovanni Bruzzo e uma prancha da história que está a desenhar e que leva rá Tex ao Grande Norte

Pasquale Ruju exibe uma prancha desenhada por Lucio Filippucci para a história de Tex escrita por si e com publicação em Junho com o títuo La pista dei Forrester

Prancha (a lápis) do Tex Gigante em produção com o título provisório Corpo Speciale desenhado por Mario Rossi (Majo) e com argumento de Mauro Boselli

(Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas)

3

O PRINCIPAL troféu futebolístico de Portugal nas mãos de um dos maiores TEXIANOS PORTUGUESES – O Ranger Paulo Magalhães

maio 15, 2017

O PRINCIPAL troféu futebolístico de Portugal

nas mãos de um dos maiores

TEXIANOS PORTUGUESES
-
O Ranger Paulo Magalhães

Por José Carlos Francisco

O Texiano Paulo Magalhães exibe orgulhosamente a Taça de Campeão de Portugal ganha pelo Sport Lisboa e Benfica nesta época 2016-2017

Texiano e Benfiquista Paulo Magalhães com José Carlos Francisco e Carlos Moreira, dirigentes do Clube Tex Portugal

Nesta época futebolística (2016/2017) que se encerrará daqui a duas semanas com a final da Taça de Portugal, no Estádio do Jamor, um dos maiores fãs e coleccionadores portugueses do Ranger Tex Willer, teve uma grande importância na conquista (36ª da história e 4ª consecutiva) por parte do seu clube (Sport Lisboa e Benfica) do principal troféu futebolístico de Portugal: o Campeonato de Portugal, mais conhecido como a Primeira Liga (escalão principal do futebol nacional), tanta importância que foi merecedor de exibir o respectivo troféu e festejar essa conquista como poderemos ver neste post.


Falamos do Ranger Paulo Magalhães, ilustre sócio (nº 82) do Clube Tex Portugal e responsável máximo pela segurança da equipa de futebol do Benfica (para além de ser treinador e responsável pela modalidade de boxe olímpico do Sport Lisboa e Benfica e coordenador do Núcleo de Desportos de Combate do SLB e presidente da Federação Portuguesa de Artes Marciais. Na sua carreira como lutador, Paulo Magalhães foi por diversas vezes campeão português nas modalidades de boxe e kick boxing e campeão europeu de kick boxing) acompanhando-a não somente nas suas deslocações pelo mundo fora, mas também no próprio Estádio da Luz onde vive habitualmente grandes momentos como este que mostramos no topo deste texto onde ostenta orgulhosamente o novo troféu (criado na época 2010/2011) que é dado ao campeão da Liga Portuguesa. A taça cujo nome é  “Troféu de Campeão da Liga“, mede 80 centímetros e pesa 9 quilos, tendo sido desenhada por Nuno Martins e constituída por prata e ouro e o Texiano Paulo Magalhães foi o fiel depositário da mesma no Museu Cosme Damião, museu dedicado à história do Sport Lisboa e Benfica, e que está situado no exterior do Estádio da Luz, em Lisboa e que deste modo passará a ser o detentor desta belíssima taça para gáudio dos adeptos benfiquistas.


O Paulo Magalhães além da sua grande paixão pelo Glorioso Benfica que vem dos seus tempos de criança tem outra grande paixão que tem tudo a ver com o Ranger criado em 1948 por G. L. Bonelli e Aurelio Galleppini, já que o Paulo Magalhães é também um dos maiores fãs e coleccionadores de Tex do nosso país e muita da sua paixão pelos desportos de combate vem precisamente da leitura texiana e dos combates do Ranger nas revistas que lia desde criança, como o próprio confidenciou no decurso do recente Convívio Texiano do Cacém onde o Paulo Magalhães participou e que contou com a presença do consagrado desenhador de Tex Luca Vannini.

O Texiano e benfiquista Paulo Magalhães ao lado de Jonas, um dos melhores jogadores do Benfica

O Texiano e benfiquista Paulo Magalhães ao lado de Jonas, um dos melhores jogadores do Benfica

Paulo Magalhães entre a família Texiana

Mas para conhecer melhor este campeão benfiquista e sócio do Clube Tex Portugal, mostramos de seguida um vídeo da Benfica TV dedicado às estrelas do SLB onde o próprio Paulo Magalhães se apresenta:


(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

A vinheta “PORTUGUESA” da história de Tex “Ouro Negro”

maio 14, 2017

A vinhetaPORTUGUESA

da história de TexOuro Negro

Capa de Ouro Negro, história de Gianfranco Manfredi e Leomacs, Polvo 2017

Ouro Negro”, o quarto volume da colecção TEX ROMANCE GRÁFICO, da Polvo Editora, chancela portuguesa do editor Rui Brito, cujo lançamento nacional ocorreu no passado dia 29 de Abril integrado na 4ª Mostra do Clube Tex Portugal, foi originalmente publicado em duas edições na série regular italiana de Tex, mais precisamente nos números 654 e 655, publicados pela Sergio Bonelli Editore em Abril e Maio de 2015.

Trata-se de uma aventura de Tex escrita por Gianfranco Manfredi e desenhada por Leomacs, pseudónimo de Massimiliano Leonardo onde a dupla Tex Willer e Kit Carson, depois de agraciada com a “Rosa Amarela do Texas”, é nomeada pelo Governador desse estado americano para colocar um ponto final nas actividades de Bob Braddock, um homem perturbado que controla a seu bel-prazer a cidade de Hellsfire, e para investigar o irmão Jonas, um homem de negócios do petróleo, proprietário dos ricos campos de Oil Springs.

Vinheta original italiana

Na sua chegada à cidade, Willer e Carson assistem à ousada detenção de Bob, pelo novel xerife Randy Nelson. Jonas, no entanto, contrata o habilidoso advogado Timothy Wilson para defender o irmão. Entre tiroteios, aldeias arrasadas e testemunhas corruptas, nas quais se encontra a sensual Rachel, Tex irá também desempenhar o papel de acusador no julgamento de Bob, presidido pelo temível juiz “enforcador” Felsen. Restava apenas tratar de Jonas, o que virá a acontecer num memorável e cinematográfico acerto de contas final por entre as torres de extracção petrolíferas.

Em Portugal foi publicado num único volume e num formato maior do que o original, tendo ainda a particularidade de ter uma vinheta “portuguesa”, já que uma das vinhetas da história foi redesenhada propositadamente por Leomacs para a edição nacional e com a devida aprovação e parabenização da Sergio Bonelli Editore, pelo que é a única edição a nível mundial a ter essa vinheta que mostramos numa das ilustrações deste texto.

Vinheta brasileira

A vinheta foi redesenhada porque houve um erro de Leomacs que não foi detectado aquando da publicação da história na Itália e também não foi corrigido no Brasil pela Mythos Editora, mas em Portugal o atento tradutor da história, José Carlos Francisco, tendo visto o erro entrou em contacto com o desenhador italiano pedindo que corrigisse o lapso, pedido que Leomacs atendeu de pronto enviando rapidamente a vinheta redesenhada. Depois foi precisa a aprovação por parte da Sergio Bonelli Editore, aprovação essa dada imediatamente por Mauro Boselli, o editor italiano de Tex que inclusive felicitou esta correcção com as seguintes palavras: “BRAVO! Iremos usar esta vinheta nas reedições futuras desta história.“.

Quanto ao erro em si, como alguns leitores já devem ter intuído, foi o facto do xerife Randy Nelson, veterano da guerra civil e homem de um só braço, numa vinheta da página 69 desta história ter aparecido milagrosamente com dois braços (nota cómica que não desafina uma história que faz da ironia um motivo recorrente) devido a uma distracção de Leomacs, distracção essa que não foi detectada pela redacção Bonelliana nas diversas fases de revisão antes da publicação da história.

Vinheta portuguesa devidamente correcta

E foi assim que Portugal passou a ter uma vinheta “portuguesa” numa história de Tex…

(Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas)

0

Entrevista com o fã e coleccionador: Samir de Araújo

maio 13, 2017

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Samir de Araújo: Eu nasci em Fortaleza, cidade conhecida como ‘’terra da luz‘’ na região nordeste do Brasil, no dia 23 de Abril de 1988 e trabalho num hospital na função de ascensorista.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Samir de Araújo: Desde os meus primeiros anos de vida por influência do meu pai. Recordo-me que com os meus 2 anos de idade o meu pai tinha muitas revistas de banda desenhada de diversas personagens, entre eles posso citar Batman, Homem-Aranha, Os Titãs, Hulk , entre outros, nessa época eu não sabia ler, mais despertou a minha paixão por gibis primeiramente pelos traços bem feitos dos desenhadores.

Quando descobriu Tex?
Samir de Araújo:
O meu primeiro contacto com Tex veio aos meus 6 anos, por intermédio de um amigo de infância. Ao fazer uma limpeza em sua garagem ele encontrou duas revistas que pertenciam à sua colecção de Tex quando ele era criança: ‘’El Muerto‘’ & ‘’Dinamite na Guerra do Petróleo‘’.

Porquê esta paixão por Tex?
Samir de Araújo: Tex é uma paixão para a vida inteira, está comigo desde os meus 6 anos. É o que me dá mais prazer na vida , folhear uma revista do Tex, envolver-se na história é quase tão bom quanto assistir um bom filme de faroeste e talvez até mais. Espero um dia passar todo o amor por Tex para os meus filhos ou sobrinhos e que eles dêem continuidade à minha colecção.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Samir de Araújo: Tex destaca-se dos demais heróis dos quadrinhos na minha opinião pelo facto dele ser um dos heróis mais próximos de uma realidade, um homem de honra, com valores nobres, senso de justiça, que valoriza a amizade, que não aceita injustiças, que preza a sua honestidade. Tex é um herói em que nos podemos inspirar para as nossas vidas, um exemplo raro de carácter e faltam muitas pessoas assim na vida real.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Samir de Araújo: Eu ainda tenho uma colecção pequena totalizando 226 revistas, com edições variadas. Se eu tivesse condições melhores teria mais revistas, espero que com o passar dos anos consiga ter a edição Tex normal completa. Na minha colecção existem duas revistas que são as mais importantes para mim: Tex ‘’El Muerto‘’ que na minha opinião é a melhor história de Tex e também ‘’Dinamite na Guerra do Petróleo‘’. Essas duas revistas foram as precursoras da minha paixão por Tex.

Colecciona também livros, inclusive italianos de outras personagens Bonellianas?
Samir de Araújo: Colecciono livros e revistas diversas, mas italiano por enquanto só Tex, mas tenho o desejo de conhecer outras personagens italianas.

Qual o objecto Tex que mais gosta de possuir?
Samir de Araújo: Objectos do Tex eu só tenho um póster que ganhei do meu amigo Jesse do ‘’Fã Clube Tex BR‘’. Gostaria de um dia possuir a colecção completas das estatuetas de Tex.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Samir de Araújo: História de Tex: ‘’El Muerto‘’. O meu desenhador favorito foi e é o mestre Galep, mas gosto muito dos traços de Claudio Villa, as suas capas são perfeitas!!! Gosto também de Pasquale Del Vecchio e Fabio Civitelli. Os meus argumentistas favoritos são Gianluigi Bonelli, Mauro Boselli e Claudio Nizzi.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Samir de Araújo: As belas ambientações de alguns desenhadores e os roteiros bem elaborados. O que menos me agrada são pequenos erros gráficos de impressão na gráfica. Às vezes o desenho fica num tom de preto muito escuro ou quase apagado, algumas edições ficam sem numeração nas páginas ou chegam amassadas.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Samir de Araújo: Seu senso de justiça e carácter creio que seja isso que torna Tex esse grande ícone e com essa longevidade toda e sempre renovando seus admiradores.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Samir de Araújo:
Na minha cidade não tem encontros com outros leitores, pelo menos que seja do meu conhecimento, mas gostaria muito que houvesse.


Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Samir de Araújo: Eu vejo que o nosso herói continuará por muito e muitos anos ainda, pois já existe uma renovação de novos leitores, assim como a velha guarda continua e renova-se com os seus parentes. Temos também uma safra nova de desenhadores e autores com muita lenha para queimar!!!

Prezado pard Samir de Araújo agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

3