Tex à chuva, na magnífica arte de Stefano Andreucci

setembro 23, 2017

Tex à chuva, na magnífica arte de

Stefano Andreucci

Tex à chuva, na magnífica arte de Stefano Andreucci

(Para aproveitar a extensão completa do desenho, clique no mesmo)

0

2ª Edição da (ESGOTADÍSSIMA) Revista Número 1 do Clube Tex Portugal terá lançamento em Outubro. FAÇA JÁ A SUA RESERVA

setembro 22, 2017

2ª Edição da (ESGOTADÍSSIMA)

Revista Número 1 do Clube Tex Portugal

terá lançamento em Outubro.

FAÇA JÁ A SUA RESERVA!

José Carlos Pereira Francisco

Capa (realizada por Andrea Venturi) da 2ª Edição da Revista nº 1 do Clube Tex Portugal

Devido a dezenas de pedidos de sócios do Clube Tex Portugal, em particular dos inúmeros novos associados dos últimos dois anos que quando se associaram ao Clube Português dedicado ao Ranger criado por G. L. Bonelli e Aurelio Galleppini em 1948, já não tinham à sua disposição a mítica Revista Número 1 do Clube, lançada em Novembro de 2014 e que se esgotou completamente ao fim de pouco tempo, a Direcção do Clube Tex Portugal decidiu fazer uma 2ª Edição da Revista #1 de modo a satisfazer todos os pedidos permitindo assim que todo e qualquer sócio possa ter na sua colecção a edição que deu início a um projecto único e hoje em dia muito valorizado, tanto que fomos sabedores que já houve exemplares da Revista Número 1 que foram vendidos (por sócios que na época de lançamento compraram mais do que um exemplar) por valores a rondar os 25 euros.

A 2ª Edição da Revista nº 1, tem lançamento marcado para Outubro deste ano, ou seja, já no próximo mês e somente poderá ser adquirida por sócios do Clube, podendo cada sócio adquirir quantos exemplares desejar, ao preço de 10 euros por cópia. Atendendo ao facto desta ser uma Edição Especial e também ao facto de ter uma tiragem menor do que aquando das revistas da 1ª Edição, fazendo com que o valor a pagar à gráfica seja mais elevado, o Clube Tex Portugal NÃO ARCA COM AS DESPESAS DE ENVIO desta Revista Número 1 da 2ª Edição, estando todavia disponível para entregar a(s) Revista(s) em mãos quando houver essa possibilidade de modo a evitar o pagamento dos portes.

Assim sendo, para além do valor da(s) Revista(s) cada sócio terá que arcar com as despesas postais, acrescentando ao valor da revista os valores que seguem e que são para Portugal, Europa (Espanha, Itália, Holanda, etc.) e Resto do Mundo (Brasil, Angola, Moçambique, Índia, etc.):

Portugal: 1 ou 2 revistas 1,75€
Europa: 1 revista  2,80€ – 2 revistas. 4.30€
Resto do Mundo: 1 revista 4.80€ – 2 revistas  7.50€

O editorial da Revista nº 1 do Clube Tex Portugal

De modo a salvaguardar o valor das revistas originais da 1ª edição, esta 2ª edição da Revista número 1 terá a menção na capa de que se trata de uma 2ª Edição, assim como trará igualmente na capa o mês de Outubro de 2017 e não Novembro de 2014, conforme se pode já constatar na capa (ainda provisória) que mostramos na abertura deste texto. Serão as duas únicas alterações, mantendo-se religiosamente igual toda a restante revista de 32 páginas.

Desenho de Stefano Biglia para a contracapa da Revista nº 1 do Clube Tex Portugal

Esta segunda edição da Revista do Clube Tex Portugal mostra a solidificação do projecto da Revista do Clube Tex Portugal, que crescendo e fortalecendo-se a cada novo número faz com que os novos sócios desejem adquirir os primeiros números e prova do cada vez maior sucesso da Revista Portuguesa que conta em cada número com participações dos mais renomados autores de Tex, é que para além da Revista número 1, também as edições número 2, 3 e 4 estão completamente esgotadas pelo que em Abril de 2018, aquando da 5º Mostra do Clube Tex Portugal a realizar nos dias 29 e 30 de Abril, iremos ter o lançamento da 2ª Edição da Revista Número 2.

Para além dos sócios que ainda não tenham a Revista Número 1, temos a mais firme convicção que muitos sócios que a tenham, irão também tentar adquirir a 2ª Edição por se tratar no fundo de uma revista diferente e porque os coleccionadores são assim mesmo, como provam os mais diversos texianos que coleccionam a revista Tex do Brasil, não somente da 1ª Edição, mas também da 2″ Edição!

Deste modo, todos os sócios que desejem adquirir exemplares da Revista Número 1, da 2ª Edição, devem informar desde já (e impreterivelmente até ao dia 30 deste mês) o Clube Tex Portugal, na forma de comentário a este post ou escrevendo para José Carlos Francisco (josebenfica@hotmail.com), indicando o nº de exemplares pretendido e procedendo ao respectivo pagamento (inclusive dos portes) na conta do Clube Tex Portugal ou através de paypal, enviando o comprovativo desse mesmo pagamento.

  • Pagamentos internacionais por transferência bancária  devem ser feitos com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube, devendo ser creditada a conta PT50003600009910590434664 em nome do Clube Tex Portugal na Caixa Económica Montepio Geral – código swift: MPIOPTPL;
  • Pagamentos nacionais por transferência bancária  devem ser feitos para o IBAN PT50003600009910590434664
  • Pagamentos por Paypal devem ser efectuados para o e-mail cacem.moreira@gmail.com com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube.

Falando da Revista Número 1 em si, para quem ainda não a possui, informamos que é TOTALMENTE a CORES, tem o FORMATO A4 e conta com textos de Mário João Marques (que escreve sobre Pasquale Del Vecchio e também Leituras e Apontamentos), Júlio Schneider (Hola, Amigo), Carlos Moreira (1º Convívio do Clube Tex Portugal) , José Carlos Francisco (1.ª Mostra do Clube Tex Portugal), Jorge Magalhães (Como eu encontrei Tex Willer em Barcelona), Jorge Machado-Dias (Porque não gosto de westerns), Sérgio Madeira de Sousa (Giovanni Ticci – O elo), Pedro Cleto (A cor em Tex: Um longo caminho a percorrer) e Paulo Guanaes (Da indiferença ao sucesso estrondoso) e DESENHOS EXCLUSIVOS de ANDREA VENTURI, STEFANO BIGLIA e MAURIZIO DOTTI!

Estudo de Stefano Biglia para o verso da contracapa da Revista nº 1 do Clube Tex Portugal

Para uma apresentação melhor  desta importante iniciativa dirigida por Mário João Marques, o director da revista, e destinada aos sócios do Clube damos a conhecer de seguida o editorial deste primeiro número da revista:

EDITORIAL

Em Agosto de 2013, durante uma tertúlia texiana organizada quando do 18º Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, um grupo de amigos teve a oportunidade de formalizar a criação de um clube que pudesse fomentar o convívio e a troca de ideias sobre Tex. Idealizado uns meses antes, a ocasião proporcionada e a presença inspiradora de Andrea Venturi, desenhador convidado para o Salão, serviram assim de catalisadores, permitindo firmar a criação do Clube Tex Portugal.

A revista que agora está nas vossas mãos é um objectivo a que nos propusemos desde a primeira hora, um instrumento privilegiado que permite divulgar, aprofundar e sobretudo homenagear um grande herói e uma grande série que, ano após ano, se vem batendo pelos ideais da justiça e da honra, unindo muitos em redor de valores infelizmente cada vez mais raros.

Devidamente autorizada pela Sergio Bonelli Editore, que desde o início nos concedeu a honra do seu apoio e do seu carinho, a revista é o trabalho de muitos e que nos enche de orgulho, representando o culminar de um primeiro ano do Clube pleno de actividades e de sucesso. Todos são convidados a participar, apresentando trabalhos sobre Tex, o seu mundo, as suas personagens, os seus autores. Queremos fomentar o convívio, desejamos divulgar a personagem, ansiamos que apreciem e possam retirar o mesmo prazer que todos os que colaboraram neste primeiro número tiveram na sua preparação e elaboração.

Este primeiro número conta com artigos de José Carlos Francisco, Sérgio Madeira de Sousa, Pedro Cleto, Jorge Magalhães e Mário João Marques, assim como com um pequeno texto escrito por Júlio Schneider, em jeito de homenagem à amizade em torno de Tex. Mas outros, de uma forma ou de outra, deram o seu grande contributo, permitindo que o projecto pudesse ver a luz do dia. Carlos Moreira, Hernâni Portovedo, Orlando Silva, António Guerreiro, Jorge Machado Dias, Dorival Lopes (e a Mythos), Gianni Petino e todas as mulheres texianas, foram baluartes fundamentais. A todos o Clube Tex Portugal agradece!

Apesar desta paixão, nada teria sido possível sem o apoio dado pela Sergio Bonelli Editore, que não cansamos de sublinhar, particularmente Davide Bonelli e Mauro Boselli, a quem o Clube Tex Portugal agradece eternamente. E é também um enorme motivo de orgulho poder contar, na capa deste primeiro número, com um desenho exclusivo de um grande talento, Andrea Venturi. Um grande desenho de um grande desenhador, desde o início ao nosso lado. Grazie mille Andrea!

Leiam, releiam, comentem, sugiram, pois a participação de todos é fundamental para juntos podemos fazer cada vez mais e melhor. Sem qualquer presunção, humildemente queremos alimentar o sonho e a paixão.

Clube Tex Portugal

Ilustração a preto e branco de Andrea Venturi para a capa da edição nº 1 da revista do Clube Tex Portugal

Ilustração a preto e branco de Andrea Venturi para a capa da edição nº 1 da revista do Clube Tex Portugal

(Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas)

12

Entrevista de José Carlos Francisco à revista Billy The Kid & Outras Histórias nº 24

setembro 21, 2017

Entrevista de José Carlos Francisco

à revista

Billy The Kid & Outras Histórias nº 24

Entrevista de José Carlos Francisco à revista Billy The Kid & Outras Histórias nº 24

Nome: José Carlos Pereira Francisco

Profissão: Chefe de produção numa indústria de mobiliário metálico, sendo também no campo editorial o representante da Mythos Editora em Portugal.

Nacionalidade: Portuguesa

Relação com o faroeste? Desde que me lembro sempre fui um apreciador de histórias aos quadradinhos com predilecção pelo género faroeste e ainda em Moçambique, país onde nasci e residi até quase aos 10 anos, a minha leitura preferencial já eram as edições de Bonanza, Tex Tone, Façanhas do Oeste, Buffalo Bill, O Falcão, Heróis do Faroeste, Sioux, Apache, Mascarilha, Lucky Luke e tantas outras, isto porque desde tenra idade fui habituado a ler BD’s porque a minha mãe tinha uma livraria que vendia BD’s.

Sobre o blogue: O blogue português do Tex nasceu em 2006 para mostrar ao mundo que mesmo não sendo Tex publicado em Portugal, havia muita paixão pelo Ranger neste pequeno, mas belo país à beira-mar plantado. Com o decorrer do tempo e com a ajuda e colaboração de outros colaboradores, o blogue tornou-se uma referência mundial para os fãs e coleccionadores não só de Tex, mas do faroeste em geral, destacando-se sobretudo pelas entrevistas aos autores da editora Bonelli, para além das inúmeras novidades e conteúdos exclusivos como por exemplo o Alfabeto do Velho Oeste.

Sobre o Clube Tex: O Clube Tex Portugal foi criado em 10 de Agosto de 2013, por ocasião do 18º Salão Internacional de Banda Desenhada de Viseu, na presença de Andrea Venturi. A ideia germinava desde 2011 e foi, digamos assim, oficializada com a devida autorização da Sergio Bonelli Editore, na pessoa do seu director geral Davide Bonelli, que deu o seu apoio incondicional ao Clube desde o anúncio da sua criação. O Clube Tex Portugal é caso único em Portugal, de um Clube dedicado exclusivamente a um herói da BD, e foi o primeiro Clube oficial de Tex no mundo. É uma iniciativa dedicada aos fãs e coleccionadores portugueses, que visa um maior convívio não somente entre os admiradores do Ranger, mas também, entre outras coisas, proporcionar a vinda a Portugal e consequente convívio com autores de Tex. Além disso,  publicamos uma revista semestral destinada em exclusivo aos sócios do Clube.


Desde quando és fã de Tex? A minha paixão por Tex nasceu somente em Portugal, porque Tex não era vendido em Moçambique. Tal ocorreu em 1980 durante umas limpezas em casa dos meus avós onde descobri uma caixa com muitas revistas e entre elas somente um exemplar de Tex, mas era uma edição especial que me cativou de imediato. Tratava-se de “Pacto de Sangue“, uma aventura onde acontece o casamento do Ranger e fiquei de tal forma impressionado que passados mais de 35 anos desse dia aqui estou eu a falar desta minha paixão, que aumenta a cada nova história.

Qual a diferença da personagem Tex para outras? Creio sobretudo que diferença principal é que Tex encarna valores universais como, por exemplo, o desejo de justiça graças à força da lei ou até mesmo fora dela, a consciência da igualdade entre os homens e a capacidade de julgá-los apenas com base no seu comportamento efectivo, características essas que eram revolucionárias para uma personagem na década de 40 mas que são actuais hoje, assim como continuarão a ser no futuro. Uma fórmula que praticamente continua imutável já que apesar de terem mudado os autores que trabalham com Tex, se alguém aplicou modificações ou inseriu novas temáticas, fez isso com o mais rigoroso respeito pela personagem, mantendo-se fiel aos princípios de G. L. Bonelli. No fundo Tex é o homem que todos gostaríamos de ser e quem lê Tex não consegue ficar indiferente ao Ranger, porque de certo modo ele é real, já que nos podemos rever nos seus princípios, nos seus actos e na sua coragem, sempre em prol da justiça. Esse penso ser na minha opinião o segredo maior do sucesso, mas para além disso há que destacar a excelência da produção. Tex é uma série excepcional pelos seus longos enredos, muitos deles permeados de factos e personagens históricas e que sempre teve magníficos desenhadores ao seu serviço.


Das histórias de Tex que envolvem os Apaches, quais as que mais lhe agradaram? Aquela que certamente mais me agradará, ou pelo menos a que mais aguardo, já que ainda não foi contada, será a história do primeiro encontro de Tex com Cochise, história que está a ser produzida no presente, mas falando das histórias já feitas, não me posso esquecer de “O Passado de Tex”, onde curiosamente o chefe apache tem a sua primeira aparição, assim como de “A Volta do Bandoleiro” onde os apaches salvam Tex e Carson de uma enrascada ou de “Território Apache”, uma das melhores histórias de toda a longa saga de Tex ou ainda “Os sinos dobram por Lucero” quando apaches mescaleros liderados por Lucero espalham a morte e o terror através de saques e ataques a ranchos na fronteira entre o Estados Unidos e o México ou mais recentemente a aventura “Rumo a Forte Apache” quando o Arizona se encontrava a ferro e fogo, devido ao facto de um grupo de apaches rebeldes chefiados por Chunz lutar contra o exército americano instalado em Forte Apache, mas são tantas as aventuras de Tex com a participação dos apaches que é difícil escolher as melhores histórias.

Das histórias de Tex qual a personagem Apache mais importante? Na saga de Tex, a personagem apache mais importante é indiscutivelmente Cochise, chefe dos apaches e irmão de sangue do próprio Tex, numa homenagem de G. L. Bonelli ao célebre homónimo real já que se trata de uma personagem que na realidade existiu tendo sido inclusive chefe de todas as tribos apaches, comandando pessoalmente a tribo dos Chiricahuas. No mundo de Tex, Cochise que está sempre pronto para ajudar o seu irmão branco, foi apresentado inicialmente como um destemido guerreiro em busca de escalpes, fama e glória, mas com o passar do tempo o grande chefe privilegiou a paz entre o seu povo e os homens brancos.


Fale um pouco sobre teu acervo de revistas e ilustrações de Tex. Somando as duas principais colecções (completas) de Tex, a brasileira e a italiana e álbuns publicados em 23 outros países, inclusive em Portugal, tenho mais de 1500 revistas do Ranger. Há ainda a acrescentar mais de 1500 revistas de várias outras colecções e novas séries de Tex que têm surgido nos últimos anos, tanto italianas como brasileiras e ainda um festival de edições especiais e extras com destaque para as coloridas, de vários tipos, formatos e países, para além de mais de uma centena e meia de livros temáticos dedicados a Tex, totalizo no presente um valor superior a 3000 edições de Tex.
Quanto à minha colecção de ilustrações originais de Tex que já são mais de 80, ela começou em 2006, quando durante uma das minhas visitas à Sergio Bonelli Editore, em Milão, Claudio Villa teve a gentileza de me fazer um desenho exclusivo de Tex enriquecendo-o com uma dedicatória personalizada. Pouco tempo depois, um amigo italiano enviou-me, pelo correio, um desenho original realizado por Fabio Civitelli e também esse com a devida dedicatória. A partir desse momento comecei a ganhar um carinho especial pelos desenhos originais, sobretudo por serem peças únicas e realizadas propositadamente para mim, não somente por desenhadores de Tex mas também por muitos outros autores da Casa Bonelli (e não só!) que conhecia pessoalmente, e também dos mais renomados ilustradores, por ocasião das entrevistas publicadas no Blogue Português de Tex. Com tudo isso, a minha casa transformou-se em uma verdadeira “galeria” texiana, com os desenhos expostos nas paredes.


Se não tivesse o Tex serias fã de qual personagem? Não imagino a minha vida sem Tex, mas caso eu nunca tivesse descoberto Tex, provavelmente a minha personagem preferida fosse “Comanche”, de Greg e Hermann ou então o “Tenente Blueberry” da dupla Charlier/Giraud, curiosamente ambos disputam com Tex o título de melhor personagem do Oeste americano com a particularidade de todos os três serem de autores europeus.

Obrigado, Zeca!

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

1

Billy The Kid & Outras Histórias nº 27 traz um PÓSTER de TEX desenhado por CORRADO MASTANTUONO e uma matéria de Tex em dose dupla

setembro 20, 2017

Billy The Kid & Outras Histórias nº 27

traz um PÓSTER de TEX desenhado por

CORRADO MASTANTUONO

e uma matéria de Tex em dose dupla

A revista brasileira Bill The Kid & Outras Histórias atingiu neste mês de Setembro a edição nº 27, consolidando-se cada vez mais na história da produção brasileira por atingir tantos números, ainda por cima tendo o selo de uma editora alternativa, a Opção 2 do editor Arthur Filho, em parceria com a Editora Quadrinhos e Cultura Ink Blood Comics, e por reunir tantos grandes nomes da banda desenhada brasileira, aliás a edição nº27 é um novo marco histórico, pois nunca uma revista independente de faroeste chegou tão longe no Brasil!

Capa da revista Billy The Kid & Outras Histórias #27

Esta edição nº 27 tem histórias deWilski Barbosa, Rodolfo Zalla, Fábio Chibilski, Elthz, Arthur Filho e ainda a rubrica Correio do Billy, mas o grande destaque é a publicação nas páginas centrais de mais um magnífico póster de TEX, desta vez da autoria de Corrado Mastantuono e um artigo exclusivo sobre Tex em dose dupla.

Editor Arthur Filho e uma prancha de The Kid de sua autoria para compor a edição 27 da Billy The Kid & Outras Histórias

Recorde-se que esta colecção nasceu no ano de 2005, quando movido por uma antiga paixão pelos westerns, e vendo que nas bancas de jornais Tex Willer, o herói da Casa Bonelli, era o único título disponível para atender a uma legião de fãs de bang-bang, Arthur Filho decide publicar a revista Billy The Kid & Outras Histórias, mas para conhecer melhor este batalhador editor, leia a entrevista concedida ao nosso blogue, clicando AQUI!

Quem desejar adquirir este número (tem o formato A5, 30 páginas e miolo em papel reciclado e capa a cores em papel couchê 120g, com um custo de R$ 8,00) assim como números anteriores deve fazer os pedidos através do e-mail do próprio editor: arthur.goju@bol.com.br

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

PRANCHAS INÉDITAS de Stefano Andreucci a Claudio Villa, passando por Fabio Civitelli, Pasquale Del Vecchio, Stefano Biglia, Maurizio Dotti e Laura Zuccheri

setembro 19, 2017

PRANCHAS INÉDITAS de Stefano Andreucci a

Claudio Villa, passando por Fabio Civitelli,

Pasquale Del Vecchio, Stefano Biglia,

Maurizio Dotti e Laura Zuccheri

Hoje no blogue do Tex vamos dar, uma vez mais, conhecimento aos nossos leitores de inúmeras páginas INÉDITAS de Tex que estão sendo desenhadas por alguns dos grandes nomes do staff de Tex, de Stefano Andreucci a Claudio Villa passando por Fabio Civitelli, Pasquale Del Vecchio, Stefano Biglia, Maurizio Dotti e Laura Zucceri:

Página de uma aventura do jovem Tex nos territórios além do Rio Grande, em fuga de caçadores de prémios e xerifes corruptos! Il vendicatore, de Mauro Boselli e Stefano Andreucci (com colorização d Matteo Vattani)

Prancha de Fabio Civitelli para o Tex número 700, com argumento de Mauro Boselli

Página do próximo Maxi Tex, escrito por Mauro Boselli e desenhado por Pasquale Del Vecchio, aventura que narra a juventude e adolescência do nosso herói

Prancha desenhada por Stefano Biglia de uma história escrita por Pasquale Ruju e que trará o retorno de ... Montales

Tex e Kit Carson numa aventura em Nova Iorque, desenhada por Maurizio Dotti

Um galante Kit Carson numa prancha desenhada por Laura Zuccheri

Stefano Biglia exibe-nos uma prancha da sua história em produção, cujo argumento é de Pasquale Ruju

Claudio Villa mostra-nos uma das mais recentes pranchas do seu Tex Gigante em produção, escondendo o número da página para evitar "pressões"

(Para aproveitar a extensão completa  das imagens acima, clique nas mesmas)

3

Um (jovem) Tex Willer na XVIII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro – 2017

setembro 18, 2017

Um (jovem) Tex Willer

na XVIII Bienal Internacional do Livro

do Rio de Janeiro2017

O gatilho mais rápido do Oeste foi dar uma passadinha na Bienal do Livro Rio 2017

Por José Carlos Francisco

Como certamente todos os fãs e coleccionadores de Tex Willer sabem, está prestes a chegar às bancas brasileiras o 1º volume da colecção Tex Gold, um lançamento da Editorial Salvat que tinha data marcada para esta última sexta-feira, dia 15 de Setembro (e que findará apenas em Dezembro de 2019) e cuja notícia tinha sido dada em primeiríssima mão aqui mesmo no blogue português do Tex, inclusive com a divulgação em exclusivo, dos títulos dos 60 volumes da colecção. Colecção essa que integra histórias coloridas de Tex publicadas originalmente nas séries italianas Albo Speciale, os vulgarmente chamados Texoni, Maxi Tex, Almanacco del West e Color Tex.

Como forma de divulgar este novo lançamento com o selo da Editorial Salvat, a editora brasileira esteve presente na XVIII Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, evento que decorreu de 31 de Agosto a 10 de Setembro e que é o maior evento literário do Brasil, um grande encontro que tem o livro como astro principal.

Durante onze dias, o Riocentro sediou a festa da cultura, da literatura e da educação. Nos espaços dedicados às atracções, o público pôde participar de debates, conversas com personalidades e escritores, além das actividades culturais que promoveram a leitura. Atraente, variada e dinâmica, a Bienal do Livro Rio foi uma vez mais diversão para toda a família e onde não faltou inclusive a presença de um (jovem) Tex Willer, patrocinado precisamente pela Salvat e que interagiu com o numeroso público!

A “escolha” de um jovem Tex não deve ter sido um acaso, já que estamos numa época próxima do septuagésimo aniversário do Ranger e que está a ser marcada pela realização de várias histórias de um Tex jovem, inclusive abordando a juventude e adolescência de Tex! Mas diga-se de passagem, que este é seguramente um dos mais bem feitos cosplays de Tex a nível mundial, sobretudo ao nível da indumentária, como se comprovam pelas diversas fotografias que publicamos a ilustrar este nosso texto.


(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2

GRANDES NOVIDADES para Tex, durante a apresentação do álbum cartonado “Il vendicatore”

setembro 17, 2017

GRANDES NOVIDADES para Tex,

durante a apresentação do álbum cartonado

Il vendicatore

Por Filippo Marazzini [1]

Stefano Andreucci e Mauro Boselli na apresentação prévia do álbum cartonado de Tex Il vendicatore (O vingador)

Nesta última sexta-feira na Galeria Rizzoli em Milão decorreu uma apresentação prévia do álbum cartonado de Tex Il vendicatore (O vingador). O argumentista do volume e responsável pela série Mauro Boselli e o desenhador Stefano Andreucci conversaram com o público durante a apresentação, tendo Boselli dado muitas e interessantes informações (e ainda suculentas antecipações) sobre o futuro de Tex. Graças à preciosa colaboração de Emanuele Marazzini e Chiara Porta, podemos fornecer-vos os detalhes sobre o que emergiu. Eis as novidades:

  • O álbum cartonado de Tex a ser publicado daqui a um ano, em Setembro de 2018, por ocasião do septuagésimo aniversário de Tex, será escrito por Mauro Boselli e desenhado por Corrado Mastantuono. O volume apresentará mais uma história da infância de Tex;
  • Ainda nesta série, teremos no futuro um outro álbum cartonado escrito por Pasquale Ruju e desenhado por Mario Milano. Quanto à trama da história: desconhecida;
  • Um outro álbum cartonado que também está a ser produzido teremos uma história escrita por Boselli e desenhada por Enrique Breccia, que verá como protagonistas Tex, novamente nas vestes do Homem da morte, e Lilyth;
  • Em Setembro de 2018, na série principal, será publicado o volume  do septuagésimo aniversário, desenhado pelo eterno Giovanni Ticci. A história será ambientada  no período durante o qual Tex participava nos rodeios e trará o regresso de históricos antagonistas Coffin e o xerife Mallory que não víamos desde os primórdios da saga;
  • O número 700 –a publicar em Fevereiro de 2019- será desenhado por Fabio Civitelli. Tex, nesta aventura centenária, terá como pard excepcional a índia Tesah, outra personagem histórica;
  • Proteus regressará numa história, a ser publicada em breve, escrita por Pasquale Ruju;

  • O segundo aguardadíssimo retorno de “O Mestre” acintecerá numa aventura de quatro volumes ambientada em Nova Iorque com textos de Mauro Boselli e suberbos desenhos de Maurizio Dotti. Será uma história citadina e mostrará o encontro de Tex com o mundo tecnológico do Este. No decurso desta aventura assistiremos também ao retorno de Pat McRyan, à apresentação da personagem (histórica) Ned Buntline e também ao retorno do grande Buffalo Bill. Haverá também a possibilidade de Kit Carson conhecer o inventor das batatas fritas (os dois, intuímos, irão tornar-se bons amigos). Pouco se sabe sobre o enredo: em homenagem à obra-prima de Scorsese, o “Mestre” irá aliar-se com os mais ferozes gangues da cidade e com Castle e Muggs, os dois inimigos sobreviventes de L’isola della nebbia (A ilha do nevoeiro, Tex #540, Mythos);
  • Em 2019 teremos o regresso aguardado de Mefisto e Yama. Os desenhos serão de Gianluca e Raul Cestaro e, também de Fabio Civitelli;
  • Na série principal sairá uma aventura, escrita por Mauro Boselli e desenhada por Michele Rubini, centrada no drama dos índios Seminoles. Será uma história crepuscular em homenagem à escrita de Sergio Bonelli;
  • Stefano Andreucci regressará à série principal de Tex, desenhando o regresso do mítico capitão Barba Negra. A ambientação será nórdica;
  • Está a ser avaliada a ideia de tornar semestral a publicação do Tex Magazine. Boselli gostaria de fazer uma história tendo como protagonista Lilyth e uma outra tendo como principal protagonista o cavalo de Tex, Dinamite;
  • Voltando à série principal teremos uma história que narrará o encontro de Tex com Os três Bill (Kid, Black e Sam Bill), uma outra criação de Gianluigi Bonelli.

Finalmente, uma notícia que irá agradar os apaixonados pela Fronteira: o próximo ano trará uma mini-serie western mais “adulta” relativamente a Tex e com tons muito duros e realistas. Os álbuns serão ilustrados, entre outros, por Fabio Valdambrini, Stefano Andreucci e Corrado Mastantuono e os temas da série serão tirados dos romances de um autor com o qual a Sergio Bonelli Editore está em contacto há algum tempo. De quem se trata? De Joe Lansdale!

[1] (Texto publicado originalmente no blogue “C4 Comic, em 16 de Setembro de 2017)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)


4