A colecção (de originais) de José Carlos Francisco na Exposição “70 anos de Tex” no Coimbra BD

fevereiro 21, 2018

    A colecção (de originais

    de José Carlos Francisco

    na Exposição “70 anos de Tex”

    no Coimbra BD


    O Coimbra BD aproxima-se a passos largos (8 a 11 de Março) e promete algumas grandes surpresas para os fãs e coleccionadores de Tex, mítica personagem da banda desenhada italiana criada em Setembro de 1948, devido à presença de Walter Venturi, desenhador italiano que tem trabalhado nas séries Tex e Zagor. Na sequência da vinda do artista existirá uma exposição dedicada aos 70 anos de TEX e sessões de autógrafos para Sábado e Domingo.

    Tex Willer e José Carlos (Zeca): WANTED DEAD OR ALIVE $5.000 REWARD, na ARTE de Walter Venturi

    Exposição essa que será recheada por dezenas de originais de Tex e seus pards pertencentes a um dos maiores coleccionadores de Tex a nível mundial: José Carlos Francisco, um português, residente perto de Coimbra (Anadia) e que é proprietário da mais importante colecção de desenhos originais ligados ao Tex, o mais célebre cowboy da BD italiana, que comemora então 70 anos em 2018. Uma fantástica colecção, de verdadeiros tesouros, com trabalhos de autores como Claudio Villa, Fabio Civitelli, Giovanni Ticci, Guglielmo Letteri, Andrea Venturi, Maurizio Dotti, Massimo Rotundo, Walter Venturi, Alfonso Font, Alessandro Bocci entre (muitos) outros, que será exposta em público pela primeira vez no Coimbra BD.


    Mais um motivo para os fãs e coleccionadores de Tex (e não só)  apontarem nas suas agendas, o segundo fim-de-semana de Março, já que entre os dias 8 e 11 de Março todos os caminho vão dar à Casa Municipal da Cultura em Coimbra.

    (Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

Tex e os seus pards na Guatemala, na fantástica arte (a aguarelas) de Stefano Biglia!

fevereiro 20, 2018

Tex e os seus pards na Guatemala,

na fantástica arte (a aguarelas)

de Stefano Biglia!

Tex e os seus pards na Guatemala, na fantástica arte (a aguarelas) de Stefano Biglia!

(Para aproveitar a extensão completa da ilustração, clique na mesma)

1

WALTER VENTURI (desenhador de Tex, Zagor e O grande Belzoni) e EXPOSIÇÃO (DE ORIGINAIS) DEDICADA AOS 70 ANOS DE TEX em grande destaque no Coimbra BD (8 a 11 de Março de 2018)

fevereiro 19, 2018

WALTER VENTURI

(desenhador de Tex, Zagor e Belzoni)

e EXPOSIÇÃO (DE ORIGINAIS) DEDICADA

AOS 70 ANOS DE TEX

em grande destaque no Coimbra BD

(8 a 11 de Março de 2018)

Ainda não foi anunciado oficialmente, mas o Coimbra BD está a chegar e só faltam uns 20 dias…
Fica já aqui um cartaz não-oficial desenhado pelo André Caetano, um artista da terra.

O evento será no mesmo local dos anos anteriores, ou seja, na Casa da Cultura de Coimbra e será entre os dias 8 e 11 de Março (um dia a mais que na edição do ano passado). À semelhança dos anos anteriores o Coimbra BD além das bancas com algumas editoras nacionais, também terá sessões de cinema, exposições, conversas com os autores e as famosas sessões de autógrafos. Como novidade, este ano o evento aventurou-se a trazer alguns autores estrangeiros para conhecerem a bela cidade do conhecimento. Fala-se também que o evento terá o já “clássico” desfile e concurso de cosplay, e que este ano terá um prémio monetário.

Tex e Kit Carson não podem faltar a este concurso, por isso preparem as vossas melhores vestes, Ricardo Leite, Mário Marques e demais pards portugueses.

Tex Willer terá uma grande presença neste evento, contando com a presença do consagrado desenhador Walter Venturi, um mestre dos fumetti – Desenhador italiano que tem trabalhado nas séries Tex, e Zagor, da editora Bonelli, e é autor da novela gráfica Il Grande Belzoni (dedicada à vida do grande egiptólogo Giovanni Battista Belzoni, que foi um dos responsáveis pela descoberta de Abu Simbel e o primeiro homem a entrar na segunda pirâmide de Gizé).


Walter Venturi,, que fez uma maravilhosa ilustração EXCLUSIVA com Tex e Kit Carson a subirem o rio Mondego, com o skyline da Colina da Sabedoria ao fundo, vai estar pela primeira vez em Portugal com exposição própria, para além de ter trabalhos seus integrados na exposição dedicada aos 70 Anos de Tex. O artista estará presente na 3ª edição do Coimbra BD – Mostra Internacional de Banda Desenhada. Com sessões de autógrafos agendadas para Sábado e Domingo.

Quanto à exposição dedicada aos 70 Anos de Tex, em breve daremos mais informações, mas já podemos confirmar que será abrilhantada, entre outras coisas, pela exposição de dezenas de pranchas e ilustrações ORIGINAIS de Tex Willer, feitas por muitos dos mais talentosos e admirados desenhadores do staff do Ranger e da Editora Bonelli, como por exemplo Claudio Villa, Giovanni Ticci, Fabio Civitelli, Guglielmo Letteri e tantos outros.

O programa completo do Coimbra BD será divulgado daqui a poucos dias, mas podemos já indicar um segundo convidado, é um dos mais consagrados artistas portugueses do momento. André Lima Araújo tem trabalhos publicados na Marvel, Image Comics e Titan Books.

Actualmente está a desenhar o título mensal do Black Panther, mas já desenhou histórias dos Vingadores, Quarteto Fantástico e Homem-Aranha, entre outros. Mas são as suas criações, como o recente Generation Gone (na Image, com argumento de Ales Kot) ou o livro que a Kingpin recentemente editou em Portugal, Man Plus (originalmente publicado na Titan Books, que ele escreveu e desenhou por inteiro), que têm ganho destaque nas prateleiras de coleccionadores pelo mundo fora e cujas pranchas originais estarão em exposição no Coimbra BD. André Lima Araújo estará presente para autógrafos no sábado, dia 10 de Março.

Já agora, informa-se que a estreia em Portugal de Jason Aaron e R. M. Guéra (desenhador sérvio que está a desenhar uma história de Tex), a premiada dupla de Scalped, faz-se com The Goddamned – Os Malditos, uma edição da G Floy Studio – Portugal com lançamento marcado precisamente para o Coimbra BD.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2

Os quatro pards na interpretação de Giuseppe Candita

fevereiro 18, 2018

Os quatro pards na interpretação de

Giuseppe Candita

Os quatro pards na interpretação de Giuseppe Candita

(Para aproveitar a extensão completa do desenho, clique no mesmo)

0

COMENTÁRIO DE JORGE MAGALHÃES À REVISTA #7 DO CLUBE TEX PORTUGAL

fevereiro 17, 2018

COMENTÁRIO DE JORGE MAGALHÃES

À REVISTA #7

DO CLUBE TEX PORTUGAL

A belíssima ilustração de Stefano Biglia para a capa da Revista nº 7 do Clube Tex Portugal

Por Jorge Magalhães [1]

Foi decerto a melhor prenda de Natal que os texianos sócios do Clube Tex Portugal receberam o ano passado, durante o 4º convívio do Cacém, realizado em 9 de Dezembro, como oportunamente informámos.

Revestido das melhores galas, a começar por duas super-capas de Stefano Biglia — pois a revista teve outra dose dupla, com duas edições simultâneas —, esse número bateu mais um recorde, aumentando o volume de páginas para 52, sem aumento de preço (10 euros) na edição com capa alternativa.

Com um sumário tão copioso, recheado de textos texianos, entre os quais se destacam os de Mário Marques, Moreno Burattini e Thiago Gardinali (sem desprimor para os restantes), e de ilustrações dos mais diversos autores — em que avultam os trabalhos inéditos que figuram, como habitualmente, na contracapa e nos versos das capas, da lavra de artistas italianos de reconhecido talento, como Leomacs, Alessandro Nespolino e Massimo Rotundo —, dir-se-á que este nº 7 elevou ainda mais a fasquia de qualidade e de mérito já atingida pela sua equipa (sob a batuta de Mário João Marques e de José Carlos Francisco) e pelo Clube Tex Portugal.

As duas capas da Revista nº 7 do Clube Tex Portugal, ilustradas por Stefano Biglia

Mas, como lá diz o ditado, “não há bela sem senão” — e a nós parece-nos, sem querermos arvorar-nos em críticos, por tudo e por nada, que num sumário tão denso, com tantas páginas de texto, embora profusamente ilustradas, faz falta uma história de Tex, como a que foi publicada no número anterior. Bem sabemos que não será fácil concretizar esse desidério em cada um dos próximos números — ideia que agradaria bastante aos seus editores e, em particular, aos leitores —, mas como o Clube Tex Portugal possui relações privilegiadas com a Sergio Bonelli Editore temos a certeza absoluta de que não hesitará em enfrentar o desafio que lhe lançamos, no sentido de conseguir apresentar, com mais frequência, uma história completa do mítico Ranger do Texas, justificando assim o aumento de páginas e consequentemente dos custos da impressão.

Mesmo sem acréscimo de preço na edição extra (que é vendida aos sócios), conteúdos como o deste nº 7 parecem remeter mais para a literatura do que para a banda desenhada. E Tex não é literatura — é BD, é o movimento pela sequência de imagens ilustradas, é acção em estado puro. Como diz outro conhecido aforismo: “Uma imagem vale mais do que mil palavras!” Seria, portanto, ouro sobre azul se uma das edições anuais da Revista do Clube Tex Portugal, com maior número de páginas e mais prosa, tivesse também uma história de Tex em banda desenhada. É por causa dessa “mais-valia” que, na nossa opinião, os nos 4 e 6 continuam a ser, até agora, os melhores de todos.

Dinâmica ilustração de Leomacs para a Revista nº 7 do Clube Tex Portugal

[1] (Texto publicado originalmente no Blogue “Era uma vez o Oeste, em 30 de Janeiro de 2018)

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0

Do esboço inicial à capa final de Tex #688, passando pelo esboço alternativo e cores originais de Claudio Villa

fevereiro 16, 2018

Do esboço inicial à capa final de Tex #688,

passando pelo esboço alternativo

e cores originais de Claudio Villa

Por José Carlos Francisco

No passado dia 7 de Fevereiro a Sergio Bonelli Editore publicou a edição número 688 de Tex, intitulada “Il messaggero cinese” (“O mensageiro chinês”) que contém a primeira parte de uma história escrita por Pasquale Ruju e desenhada por Ugolino Cossu; uma aventura que andará ao redor de intrigas e mistérios na Chinatown de San Diego!

A bela Sun tem um poder mágico nas suas mãos. O malvado tio Wu deseja-a para si próprio, de modo a poder prolongar a sua própria existência. O jovem Charlie Xu, que deseja salvá-la, nada pode fazer contra a hegemonia das Tríades da baía de San Diego, mas Tex Willer e Kit Carson lutam a seu lado desencadeando um verdadeiro inferno em Chinatown!

A capa, tal como todas posteriores ao número 400, é da autoria do conceituado desenhador Claudio Villa, capa essa que divulgamos hoje aqui no blogue do Tex acompanhada do esboço inicial assim como de um esboço alternativo mas também da arte final a preto e branco e da capa original pintada pelo próprio Claudio Villa tal como temos feito com alguma regularidade devido à gentil cortesia de Villa que nos tem dado a conhecer nos últimos tempos as suas cores originais das capas que vai produzindo para Tex:

Esboço inicial da capa de Tex #688, da autoria de Claudio Villa

Esboço alternativo da capa de Tex #688, da autoria de Claudio Villa

Arte final a preto e branco da capa de Tex #688, da autoria de Claudio Villa

Capa de Tex #688, pintada por Claudio Villa

Capa de Tex #682

Nestas capas e cores que temos dado a conhecer com alguma regularidade aos nossos leitores aqui mesmo no blogue português do Tex elas têm gerado um grande número de comentários e na esmagadora maioria dos casos é considerada pelos fãs e coleccionadores do Ranger como sendo infinitamente superior a colorização original do Maestro italiano em relação à colorização digital realizada na Sergio Bonelli Editore, mas com relação a esta capa divulgada hoje, qual a sua opinião, caro leitor?

(Para aproveitar a extensão completa das imagens, clique nas mesmas)

0

Tex Willer na MAGISTRAL ARTE de SERGIO TISSELLI

fevereiro 15, 2018

Tex Willer na MAGISTRAL ARTE

de SERGIO TISSELLI

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

0