Resgatando o passado: Mythos Editora, o Templo das Publicações Tex no Brasil (2001)

julho 23, 2017

Resgatando o passado:

Mythos Editora, o Templo das  Publicações

Tex no Brasil (2001)

Por José Carlos Francisco (Dezembro de 2001)

Como coleccionador que sou e ávido por novas descobertas, ao visitar o Brasil em Dezembro de 2001 tive o prazer de conhecer a Editora Mythos em São Paulo. Entretanto, para esse prazer ser completo, eu julgava que deveria repartir o que vi e descobri com outros texianos, que, como eu, têm o desejo de conhecer o templo das publicações de Tex no Brasil. E é uma visita simplesmente espectacular, porque visitar a Mythos é como fazer uma visita na aldeia central dos Navajos…

A Mythos Editora é uma editora relativamente nova que, pelas evidências apresentadas em poucos anos de vida (foi criada em 1996), dá claros sinais de que nasceu fadada ao sucesso.
Vocacionada aos quadradinhos, a Mythos é considerada pelos especialistas como a Editora do Século XXI. Com menos de um ano de publicação de Tex no Brasil, a Mythos elevou a revista à condição de “a melhor publicação internacional de Tex fora da Itália“, e olha que são muitos os países que publicam Tex.

E com poucos anos de vida, consegue realizar uma façanha inimaginável para uma Editora tão nova: fechou uma parceria com a Panini Comics para publicar os títulos da Marvel, a Casa das Ideias, no Brasil, destronando a tradicional Editora Abril. Mas não é só, os quadradinhos publicados pela Mythos nos inspiram e nos desafiam a sermos cada vez mais justos, humanos e bem aventurados, como os nossos principais heróis – Tex, Zagor e Ken Parker, ou seja, melhorar a qualidade das nossas vidas mediante a leitura, porque ler quadradinhos é também uma forma de cultura.

Situada na Rua Andrade Fernandes, rua sem o bulício das grandes cidades e bastante arborizada, no número 283 em pleno Alto de Pinheiros, na grande metrópole chamada São Paulo. Quem se deslocar naquela artéria, nem suspeita que por detrás daqueles muros e dos seus portões encontra-se o Templo de Publicações das Revistas do Tex no Brasil e isto porque nenhuma publicidade exterior se encontra exposta.

Entrando pelos portões, deparamo-nos com um enorme átrio a envolver a casa e por detrás da casa principal encontramos os anexos da editora. Aliás, é importante frisar que o local onde se encontra a Mythos Editora foi construído inicialmente para ser uma luxuosa casa de habitação. Adentrando na Editora, primeiramente chegamos na sala da recepção, uma sala grandiosa e agradável, com revistas espalhados por todos os lados. Aí nessa sala, que é separada por um biombo, além da jovem e bela Michelle, também encontramos a responsável pelas assinaturas das revistas e pelo departamento de números atrasados, a simpática funcionária Antônia Coelho.

Virando à direita, entramos em um corredor  que nos conduz efectivamente para dentro do cérebro da editora. Ao final do corredor, no lado esquerdo, está o gabinete do director Helcio de Carvalho e, no lado direito, o gabinete do famoso editor das bermudas, Dorival Vítor Lopes, editor de Tex no Brasil, pessoa extremamente perspicaz e conhecedora do mundo dos quadradinhos… e que passa muita segurança e conhecimento a todos que o contactem. Logo na sua porta, a anunciar que Tex voltou, temos um grandioso póster de Tex, anunciando que mudou de casa, morando agora na Mythos Editora, póster esse baseado na primeira capa de Tex produzido pela Mythos, a capa de TEX-351.

Na sala de Dorival pudemos encontrar ainda, além de sua secretária sempre cheia de trabalho e com toda a programação das revistas para o ano de 2002, a sua indispensável ferramenta de trabalho: o computador. Atrás da escrivaninha do editor de Tex, temos duas estantes com o material proveniente da Sergio Bonelli Editore, assim como a obra produzida pela Mythos, com um exemplar de cada número de tudo aquilo que foi publicado pela editora, guardados com muito carinho e amor. Notamos que ali está a jóia da coroa de Dorival Vítor Lopes, ou seja, ali estão reunidos todos os volumes que atestam o conjunto da história editorial da nova editora. Nas paredes da sala do editor, encontramos também vários pósters de vários personagens de banda desenhada.

A nossa visita prossegue agora aos fundos da casa, ou seja, nos anexos da editora. Aí encontramos, no andar térreo, o estúdio de produção das revistas Marvel, cujo editor é Fernando Lopes, onde pudemos ver e manusear centenas de revistas Marvel oriundas do estrangeiro para serem trabalhadas e publicadas pela editora. Ao lado desse estúdio, temos o que consideramos um local paradisíaco, simplesmente maravilhoso, onde qualquer coleccionador texiano passaria horas sem se dar conta, o depósito onde a Mythos guarda todos as revistas editadas que sobraram das vendas. Como curiosidade, sublinhamos que de tudo o que a Mythos já produziu de Tex, neste depósito falta somente o Tex Gigante nº 1 – O Homem de Atlanta, edição esta completamente esgotada. Destacamos também que este local foi baptizado por Júlio Schneider, o coleccionador nº1 de Tex do Brasil, como a “batcaverna” da Mythos.

Como não poderia deixar de ser, este depósito tem milhares de revistas em suas estantes, extremamente bem organizadas, como podemos ver pela foto que ilustra esta matéria. É daqui da “batcaverna” que saem os exemplares que abastecem os coleccionadores que diariamente se manifestam pedindo números antigos ainda em falta nas suas colecções. Prosseguindo a nossa visita, subimos uma escadaria e eis que ela nos conduz ao primeiro andar, onde encontramos (agora sim, rufem os tambores!) o verdadeiro coração da Editora: o lugar onde é feita toda a editoração electrónica das revistas.

Uma sala magnífica onde tudo é produzido e trabalhado por técnicos especialistas em ultra-modernos computadores, rápidos e velozes, que preparam o material das edições, elaboram artes e mesmo legendagem computadorizada, artes que depois seguirão para a fotolitagem e depois para a impressão na gráfica, mas daí, bom!, calma, gente!, isso já é outra história…

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2

Os 4 pards na inigualável arte de Sergio Zaniboni

julho 22, 2017

Os 4 pards na inigualável arte de

Sergio Zaniboni

Os 4 pards na inigualável arte de Sergio Zaniboni

(Para aproveitar a extensão completa do desenho, clique no mesmo)

0

Póster Tex Nuova Ristampa 282

julho 21, 2017

Póster Tex Nuova Ristampa 282

Nesta belíssima ilustração da autoria de Claudio Villa, vemos Tex Willer e Kit Carson, ainda antes do amanhecer, já levantados e a tomarem um café bem forte para os despertar para um novo dia, depois de uma noite (bem) dormida ao ar livre, em pleno Canadá.

Desenho INÉDITO no Brasil e inspirado na história “La strage di Red Hill” de Guido Nolitta e Alberto Giolitti & Giovanni Ticci (Tex italiano #431 a #435).
(Para aproveitar a extensão completa do póster, clique no mesmo)

0

O editorial da revista nº 6 do Clube Tex Portugal

julho 20, 2017
Tags:

O editorial da revista nº 6 do

Clube Tex Portugal

O editorial da revista nº 6 do Clube Tex Portugal

E aqui está, nas vossas mãos, mais um número da revista que é de todos nós, um projeto, não nos cansamos de referir, aberto à participação de todos os que desejarem escrever sobre Tex Willer ou do western em geral. Acreditamos que este sexto número vai ser do agrado geral, não só pela qualidade dos artigos que publicamos, mas também porque as suas 56 páginas constituem um novo recorde, o que demonstra bem o crescimento da revista.

Artes originais das capas da revista nº 6 do Clube Tex Portugal

Um número, uma vez mais, com duas versões da sua capa, desta vez desenhadas e pintadas pelo magnífico Massimo Rotundo, desenhador, pintor, ilustrador, um dos maiores autores italianos de sempre e que, recentemente, esteve em Portugal quando da Mostra de Anadia de 2016, onde irradiou simpatia e teve a oportunidade de participar na apresentação da excelente e luxuosa edição portuguesa de Tempestade sobre Galveston, editada em boa hora pela Polvo. Na génese das capas deste número da revista está um pedido por nós formulado ao autor para fazer um desenho que ilustrasse uma das páginas interiores do número anterior da revista, ao que Rotundo respondeu desde logo afirmativamente. No entanto, quando todos nós aguardávamos por um simples desenho a preto e branco, Rotundo presenteou-nos com uma magnífica pintura a cores, onde Tex e Kit Carson cavalgam numa magnífica paisagem outonal. Em face de tanta qualidade, resolvemos guardar esta obra-prima para uma futura capa da revista, não a “escondendo” no interior da revista, o que agora se veio a concretizar, juntando ainda um outro desenho para a capa alternativa, onde Tex e Dinamite saúdam os leitores.

Outro grande destaque deste número prende-se com a publicação (a cores) de mais uma aventura de Tex, desta vez Morte no deserto, uma história de 12 páginas escrita por Claudio Nizzi e desenhada (magistralmente) por Giovanni Ticci. Trata-se da primeira vez que esta história é publicada a cores em língua portuguesa, uma das formas que encontrámos para homenagearmos as bodas de ouro de Giovanni Ticci como desenhador de Tex, a que juntamos um artigo sobre o percurso e a evolução do traço deste autor na série, da autoria de Mário João Marques, e um desenho de António Lança-Guerreiro, cada vez mais à vontade a desenhar as atmosferas texianas.

Sumário da revista nº 6 do Clube Tex Portugal

Destaque ainda para as colaborações exclusivas vindas de Itália: ilustrações dos consagrados Fabio Civitelli e Alessandro Poli, uma prancha da próxima aventura que Stefano Biglia está a desenhar para o ranger, e artigos assinados por Moreno Burattini, Sandro Palmas e pelo estreante Tino Adamo, autor/redator da SBE. O sumário completa-se com artigos de José Carlos Francisco (que nos fala de Tex e seus pards esculpidos em areia), de Jesus Nabor Ferreira (que escreve sobre aventuras texianas realizadas a quatro mãos, porque Tex nunca pode parar), de João Miguel Lameiras (que nos relata uma deslumbrante visita à Casa dos Sonhos, em Milão), do Jorge Machado-Dias (que nos brinda com a 3ª parte de O Texas e os Rangers) e, a terminar, uma reportagem fotográfica sobre a 4ª Mostra do Clube Tex Portugal.

Terminamos como sempre, endereçando os nossos agradecimentos a todos os que direta ou indiretamente contribuíram para que este número pudesse ser uma realidade. E aqui merece especial agradecimento a SBE e o seu responsável Davide Bonelli, que tornaram possível à revista do Clube Tex Portugal publicar mais uma aventura do nosso ranger preferido.

Nota do Clube Tex Portugal a todos os sócios:

Como habitualmente, os sócios do Clube Tex Portugal (com excepção dos sócios menores) COM AS QUOTAS DO MÊS DE JUNHO PAGAS, terão direito a receber gratuitamente um exemplar da revista. Dado que este 6º número será publicado com duas versões da capa, o exemplar gratuito será o da versão com desenho de Tex e Kit Carson a cavalgar.

Adicionalmente, sem qualquer limite, os sócios podem adquirir mais exemplares da revista, quer da versão oficial quer da versão alternativa, sendo o preço unitário de 10 euros.

Deste modo, todos os sócios (que ainda não o tenham feito) que desejem adquirir exemplares da revista, devem informar desde já o Clube Tex Portugal, na forma de comentário a este post ou escrevendo para José Carlos Francisco (josebenfica@hotmail.com), indicando o nº de exemplares pretendido para cada versão da capa e procedendo ao respectivo pagamento na conta do Clube Tex Portugal ou através de paypal, enviando o comprovativo desse mesmo pagamento.

  • Pagamentos internacionais por transferência bancária  devem ser feitos com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube, devendo ser creditada a conta PT50003600009910590434664 em nome do Clube Tex Portugal na Caixa Económica Montepio Geral – código swift: MPIOPTPL;
  • Pagamentos nacionais por transferência bancária  devem ser feitos para o NIB 0036.0000.99105904346.64
  • Pagamentos por Paypal devem ser efectuados para o e-mail cacem.moreira@gmail.com com todas as despesas a serem suportadas pelo ordenador, sem qualquer dedução no valor a receber pelo Clube.
7

As FANTÁSTICAS capas das revistas nº 1, 2, 3, 4 e 5 do Clube Tex Portugal

julho 19, 2017

As FANTÁSTICAS capas das revistas

nº 1, 2, 3, 4 e 5 do Clube Tex Portugal,

da autoria de

Andrea Venturi, Fabio Civitelli, Luca

Vannini, Enrique Breccia e Maurizio Dotti

As FANTÁSTICAS capas das revistas nº 1, 2, 3, 4 e 5 do Clube Tex Portugal, da autoria de Andrea Venturi, Fabio Civitelli, Luca Vannini, Enrique Breccia e Maurizio Dotti

(Para aproveitar a extensão completa da ilustração com as capas da revista do Clube Tex Portugal, clique na mesma)

1

Entrevista com o fã e coleccionador: Ulisses Miranda

julho 18, 2017

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Ulisses Miranda: Nasci em Contagem, estado de -Minas Gerais, Brasil, em Maio de 1980, mas logo depois mudei para o interior e morei em várias cidades retornando para Contagem em 1997, onde moro actualmente. Sou metalúrgico.

Quando nasceu o seu interesse pela banda desenhada?
Ulisses Miranda: Não me lembro ao certo porque sempre gostei desde bem pequeno, acho que na época o que mais chamava a minha atenção eram as armas, os índios e o velho Oeste em geral.

Quando descobriu Tex?
Ulisses Miranda: Através do meu pai e dos meus irmãos que sempre pegavam alguns Tex emprestados com amigos (coisa muito normal na época).

Porquê esta paixão por Tex?
Ulisses Miranda: Porque Tex luta contra o que está errado, independente da posição que a pessoa ocupa, sempre em busca de ajudar os oprimidos, pelo seu senso de justiça e lealdade.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Ulisses Miranda: Não sei dizer por coleccionar apenas Tex.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção?
Ulisses Miranda: Actualmente tenho 872 revistas.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Ulisses Miranda: Tudo que tenho condições financeiras de comprar.

Qual o objecto Tex que mais gostaria de possuir?
Ulisses Miranda: Estatuetas.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Ulisses Miranda: El Muerto, Fabio Civitelli, e Gian Luigi Bonelli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Ulisses Miranda: O que mais me admira em Tex é o seu carácter e o que agrada menos é que as vezes ele exagera nos socos.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Ulisses Miranda: Toda pessoa justa e honesta sente no Tex um espelho.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Ulisses Miranda: Sim, desde criança sempre mantive contacto com outros coleccionadores, agora com uma frequência maior desde a criação do Clube Tex e Zagor Brasil, em 2013.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Ulisses Miranda: Vejo um futuro promissor apenas se todos os apaixonados pelas revistas de Tex se unirem e cada um fizer a sua parte, comprando, divulgando, doando Tex para crianças, etc. Uma união total desde a Sergio Bonelli Editore, editoras, clubes, coleccionadores e leitores em geral.

Prezado pard Ulisses Miranda agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

14

Um determinado Tex de Sergio Tisselli

julho 17, 2017

Um determinado Tex de Sergio Tisselli

Um determinado Tex de Sergio Tisselli

(Para aproveitar a extensão completa do desenho, clique no mesmo)

1