Pasquale Del Vecchio pelos caminhos da Bairrada

Pasquale Del Vecchio pelos caminhos da
.
Bairrada

Por José Carlos Francisco (texto e fotos) e Orlando Santos Silva (fotos)

Pasquale Del Vecchio e José Carlos Francisco tendo por trás a Câmara Municipal de Anadia

A Bairrada é uma região situada na Beira Litoral, em Portugal, que compreende os concelhos de Mealhada, Anadia, Cantanhede, Águeda e Oliveira do Bairro, caracterizando-se essencialmente pela forte produção vitivinícola, sob a denominação Bairrada e sendo também considerada Região Demarcada, bem como pelo afamado Leitão Assado à Bairrada.

Pasquale Del Vecchio, Andreia Sofia e José Carlos Francisco na Praça Visconde de Seabra em Anadia

E foram pelos caminhos da Bairrada que o afamado desenhador italiano de Tex, Pasquale Del Vecchio de seu nome, passeou nos passados dias 15 e 16 de Agosto de 2014 na companhia dos seus pards José Carlos Francisco e Orlando Santos Silva (ambos acompanhados das suas esposas e filhas do primeiro), antes da inauguração oficial da 1ª Mostra do Clube Tex Portugal.

Pasquale Del Vecchio e José Carlos Francisco na Praça Visconde de Seabra em Anadia

A oportunidade de dar a conhecer um pouco da região Bairradina a Pasquale Del Vecchio prendeu-se com o facto do desenhador italiano ter ficado hospedado na Malaposta, QG de Tex em Portugal. O passeio começou precisamente pela capital da Bairrada, Anadia, uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Aveiro, região Centro e sub-região do Baixo Vouga, com cerca de 3.034 habitantes. A cidade de Anadia está inserida na freguesia de Arcos. Lugares desta freguesia: Anadia, Arcos, Famalicão e Malaposta. Anadia é ainda sede de um município com 216,64 km² de área e 31 422 habitantes.

Pasquale Del Vecchio no Museu do Vinho Bairrada

Tradição ou lenda refere que o seu topónimo proviria de Ana Dias, proprietária de extensa vinha na periferia da povoação. O vinho produzido, de óptima qualidade, era por ela vendido junto da estrada de Coimbra, o que lhe granjeara tal fama, que o seu nome ficaria ligado a esta terra para sempre: Ana Dias, Ana Dia, Anadia.

Ana Beatriz, Nazaré Pereira, Pasquale Del vecchio e José Carlos Francisco no Museu benfiquista de Nazaré Pereira

Aproveitando a presença de Pasquale Del Vecchio em Anadia, a visita ao Museu Benfiquista da mãe de José Carlos Francisco, a dona Maria Nazaré Pereira era ponto de paragem obrigatório. Toda a família é benfiquista, mas o fervor e a paixão de Nazaré Pereira pelo Benfica, Clube único de entre os demais, nobre na fundação, percurso e filosofia, aberto a todas as almas, indiferente à pobreza ou à riqueza é tão grande, grande demais para caber apenas no seu coração que ao longo dos anos foi juntando uma panóplia dos mais diversificados adereços benfiquistas a ponto de hoje em dia ter um verdadeiro Museu Benfiquista na Bairrada.

Pasquale Del Vecchio e Andreia Sofia na Cruz Alta

Seguiu-se uma visita ao Miradouro da Cruz Alta, o ponto mais alto da Serra do Buçaco, onde a montanha atinge uma altitude de 547 metros, a partir da qual se inicia a inclinada vertente para o Luso. É pois um local priviligiado para apreciar a paisagem do Buçaco. As vistas a partir deste local são deslumbrantes, como bem atestou Pasquale Del Vecchio, avistando-se desde o Oceano Atlântico (a Oeste) à Serra da Estrela (Sudeste), passando pela Serra do Caramulo (Nordeste).

Pasquale Del Vecchio e José Carlos Francisco no Miradouro da Cruz Alta

E logo ao pé, do Miradouro da Cruz Alta, o manto verde da Mata Nacional do Buçaco, também foi visita obrigatória, sobretudo ao fantástico Palace Hotel do Bussaco, situado precisamente no interior da Mata Nacional do Bussaco, um hotel de 5 estrelas que é considerado como o último legado dos reis de Portugal constituido por um conjunto arquitectónico, botânico e paisagístico único na Europa e categorizado inclusive como um dos mais belos e históricos hotéis do mundo.

Pasquale Del Vecchio e José Carlos Francisco com o majestoso Palace Hotel do Bussaco ao fundo

A afamada Estância Termal da Curia (a Curia deve a sua existência às propriedades curativas das suas famosas águas. Já no tempo dos Romanos a qualidade da água da Curia era conhecida e, para eles, a Curia era Aquae Curiva – água que cura), localizada em pleno coração da Bairrada vitivinícola, também foi alvo de um passeio nocturno que muito agradou o autor italiano.

Pasquale Del Vecchio, Ana Beatriz e José Carlos Francisco nos deslumbrantes jardins do Palace Hotel do Bussaco

“AQUAE CURIVA” era o nome conhecido ao tempo da ocupação da Península pelos romanos, que conheciam as nascentes e as exploravam. Do topónimo “CURIVA” adveio o nome da actual povoação, a CURIA, uma das mais antigas e afamadas estâncias hidrológicas portuguesas. Durante séculos, as termas viveram no esquecimento, até que em 1900 foi fundada a Sociedade das Águas da Curia, por iniciativa de Albano Coutinho.

Pasquale Del Vecchio e o magnífico Palace Hotel do Bussaco

As termas da Curia, hoje em dia, oferecem ao Aquista a tradição termal unida ao conforto e à tecnologia moderna, usada no novo edifício termal, que ficou concluído em 1993. Assim, as Termas da Curia satisfazem as exigências do aquista durante todo o ano, tanto para uma cura termal como para férias relaxantes.

Pasquale Del Vecchio e a fachada do Palace Hotel do Bussaco

A Curia é então hoje uma moderna estância de saúde que oferece ao aquista um avançado complexo termal com tratamentos especializados para combater doenças metabólico-endócrinas, cálculos renais e infecções urinárias, hipertensão arterial, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas, programas de recuperação de forma física, reabilitação, fisioterapia correctiva e dietas de emagrecimento.

Pasquale Del Vecchio, Fátima, Ana Beatriz, Andreia Sofia, Filipa e José Carlos Francisco num passeio nocturno pela Curia

Com génese nas águas termais descobertas então há muito pelos Romanos, a Curia é constituída de uma verdadeira mancha verde ímpar, propõe-nos um despertar para os verdadeiros sentidos da vida: regressamos ao nostálgico ambiente dos dourados anos 20 e mergulhamos na arquitectura “Belle Époque” e “Arte Nova”.

Orlando Santos Silva, Pasquale Del Vecchio e José Carlos Francisco numa pausa nocturna na Curia

Apreciamos os gigantescos plátanos, respiramos o ar perfumado por calmas tileiras, passeamos pelos belos jardins e pelo frondoso Parque das Termas e deixamo-nos deambular pelos pitorescos caminhos por entre vinhedos, mas, acima de tudo, sentimos o raro prazer de viver um sentimento de liberdade e de espaço onde os únicos limites são a imensidão do verde das árvores e infinito azul do céu.

Pasquale Del Vecchio na Curia ladeado pelas suas fãs portuguesas

Local paradisíaco onde Tex seria muito bem vindo e certamente ficaria agradado com este passeio na companhia de Del Vecchio. Caminhos curiosamente percorridos já anteriormente por Fabio Civitelli, Andrea Venturi e inclusive pelo editor Dorival Vitor Lopes aquando das respectivas passagens pela portuguesa Região Bairradina…

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. José Carlos parabéns pelo texto e pelo roteiro turístico pela nossa região. Pena não terem vindo à Curia durante o dia para poderem apreciar ainda melhor a sua beleza…

  2. Magnífica reportagem, com cenários verdadeiramente idílicos, de deslumbrante beleza, quer paisagística quer arquitectónica, de que um bom exemplo é o Palace Hotel do Bussaco. Região rica em História, em Cultura, em Arte, que merece ser conhecida e visitada. E ainda há quem nos trate como um país do terceiro mundo… a começar pelos nossos governantes!
    Parabéns ao Clube Tex Portugal pela realização da sua 1ª Mostra, que trouxe a Portugal o talentoso e simpático Pasquale Del Vecchio, e ao Zeca e ao Orlando por esta magnífica reportagem (mais uma) da visita do artista italiano à Anadia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *