Workshop com Stefano Biglia abrilhantou a sua passagem pela 2ª Mostra do Clube Tex Portugal

Por José Carlos Francisco (texto), Marco Guerra (fotos) e Orlando Santos Silva (fotos)

A equipa do workshop com Stefano Biglia – Mário Marques, Tizziana Giorgini, José Carlos, Stefano Biglia e João Lameiras

Um dos momentos mais  elevados da 2ª Mostra do Clube Tex Portugal foi o Workshop realizado com Stefano Biglia na tarde de domingo, 10 de Maio, em pleno Auditório do Museu do Vinho Bairrada e que teve a moderação do conceituado jornalista e crítico de banda desenhada João Miguel Lameiras tendo contado ainda com as colaborações de José Carlos Francisco e Tizziana Giorgini, esta última no papel de intérprete, mas que contou ainda com participação (no meio do público porque devido ao facto de ter ido levar Pasquale Frisenda ao aeroporto de Lisboa ter chegado já com o workshop a decorrer) de Mário João Marques.

Workshop com Stefano Biglia

Workshop com Stefano Biglia

Foi uma acção muito positiva que engrandeceu imenso esta 2ª Mostra, com qualidades e perspectivas muito produtivas sobretudo devido à capacidade e qualidade de Stefano Biglia, mas também devido à moderação de um dos mais conceituados experts portugueses no que à nona arte diz respeito e que prestigiou o evento texiano com a sua presença e participação: João Miguel Lameiras!

Stefano Biglia no uso da palavra no decurso do workshop

Stefano Biglia abordou a sua trajectória profissional até chegar a Tex, desde os primórdios da sua meninice onde a banda desenhada já tinha muita importância passando pelos primeiros passos da sua carreira, falando inclusive da sua primeira experiência com Tex em 1994 desenhando La ballata di Zeke Colter, uma aventura escrita por Claudio Nizzi, com esboços a lápis seus e de Luigi Copelo e a arte final de Renzo Calegari. A curta aventura L’ultimo della Lista, publicada no Color Tex também foi abordada enquanto a realização da actual história de Tex, com o título provisório de Bad Hand, que Biglia está a desenhar  para ser publicada no Verão de 2016 também foi, obviamente, muito abordada assim como algumas novidades e ideias para o futuro.

João Miguel Lameiras e Stefano Biglia

Houve ainda oportunidade para momentos de convívio muito descontraídos, inclusive do próprio Biglia ao contar um sonho ocorrido por cá e onde no sonho veio para fazer a vindima e não para o evento, entre todos os participantes e a imensa gente presente no auditório durante o workshop, discussões vivas e o lançamento de várias ideias que podem vir a tomar forma num futuro próximo. A destacar entre o numeroso público, algumas caras conhecidas de anteriores eventos relacionados a Tex ocorridos no nosso país, mas também muitas pessoas novas, que se integraram nas discussões, na partilha de informação e na vontade de lançar novos desafios mútuos. O cômputo final foi muito interessante e estimulante para todos os envolvidos, como se constata através das diversas fotos que ilustram este texto.

Stefano Biglia ladeado pelas bandeiras de Portugal e Anadia

(Para aproveitar a extensão completa das fotos acima, clique nas mesmas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.